Anúncio

Olá sucólatras, hoje vamos pegar nossas mochilas e viajar pelos relevos selvagens bolivianos como fantasmas do governo em busca de respostas. Preparem os cartuchos, afiem as facas e costurem a roupa camuflada pois é dia de Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands.

Confira também: Toren | Review

Selvageria Sul-americana

Você e seu grupo, uma unidade especial de Ghosts (Papa Emeritus curtiu isso), desembarcam nas selvagens terras Bolivianas que está sendo controlada por um dos maiores carteis de droga da América Latina, se não do mundo, conhecidos como Santa Blanca. A situação complica quando um agente secreto americano infiltrado no cartel é revelado e assassinado a sangue frio sendo assim a ponta do pavio para as agências de espionagem e enviar o seu grupo.

Com uma pegada clássica dos enredos de Tom Clancy, você e seu grupo de Ghosts “são” a solução que os Estados Unidos oferecem para a Bolívia, a fim de libertar a mesma desses terroristas. E plantar uma bandeira com a estrelinha depois com tratados de bens…

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands (Clique para ampliar)

Lhamas, Aviões e Bunkers

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands é um mundo aberto rico em detalhes geomorfológicos; é muito bonito ver as cadeias montanhosas e os lagos, além de animais selvagens ao longo do jogo. Os terroristas também entram nessa categoria. Contudo você é apresentado a situação real, um grupo de rebeldes, o cartel que controla o governo e os tiras locais que se forem provocados é melhor sair correndo.

Como um jogo de mundo aberto – nos moldes de GTA e The Witcher III – há muito o que ser explorado, principalmente com missões secundárias ao longo das províncias, o que também pode deixar alguns jogadores chateados com grandes deslocamentos entre uma missão ou outra. O jogo traz a experiência de um game tático com habilidades ao longo da evolução, e se comparando com seu irmão The Division, ele não chega a trazer algo tão rpgístico.

Você pode brincar de Rambo porém muitas missões vão falhar, pois querendo ou não, você e seu grupo são apenas quatro pessoas contra inúmeros guerrilheiros, mas você pode contar ajuda de alguns rebeldes.

Com aspecto de espionagem, você com auxílio de binóculos e dropes, pode usar de uma boa estratégia para não sofrer danos e baixas. Há também uma barra que você pode comandar seus parceiros para posições, realizar tiros sincronizados ou até mesmo meter bala sem dó ou piedade.

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands (Clique para ampliar)

“És tu C4br0n!”

Como regra de ouro dos tempos atuais, temos o modo multiplayer. No Beta, os servidores deram uma derrapada sobre esse aspecto e o matchmaking não estava funcionando bem. Porém, dentro do mesmo mundo você e mais 3 amigos podem explorar e detonar o cartel, com um microfone – fica bem mais fácil de escolher as ações. Agora com o lançamento do jogo, esse problema foi resolvido, então quando você cair já dá para sair gritando para seu melhor amigo: “c4br0n, me cura!!!!”

Aproveitando, a dublagem dentro do jogo ficou muito boa. Sabemos que não é fácil reproduzir algumas silabas portuguesas e espanholas para os nativos americanos. Havia horas que eu parava para ouvir o dialogo dos rebeldes em espanhol, falando que o cara estava sendo traído ou as rádios falando do cartel ou dos rebeldes e algumas subcelebridades.

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands (Clique para ampliar)

“Taca-lhe pau nesse carrinho, ghost recon!”

Bem, mundo aberto é legal – e as vezes cansativos -, mas o que não falta são bugs, e isso é frequente também em Wildlands. Às vezes você pode perceber pessoas dentro de paredes; alguns npcs brincando de teletransporte; a arma que você queria sair voando para debaixo de uma zona não acessível; o seu carro…. veículos ganharam um parágrafo especial!

A física dos veículos é algo que me incomodou um pouco. Até acho que a falta de extremo realismo é válida, mas você descer uma montanha e capotar e não amassar o teto do carro é estranho, assim como alguns movimentos com motocicleta na qual o jogo não permite você tomar um capote dando de frente a um muro de contenção – mas sim destruí-lo, sem cair da moto…

A IA do jogo é excelente, principalmente que existe a dificuldade do jogo e mais a das regiões. Provocar a milícia local para lidar com o cartel em lugares abertos é uma boa dica, desde que você fique escondido na sua. As missões de intel podem até apresentar um padrão repetitivo, mas isso é natural de se esperar nesse tipo de jogo, por exemplo: rouba avião, rouba helicóptero, entrega recompensa, aparece um caminhão persegue e rastreia ele, e assim vai o tempo do jogo.

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands (Clique para ampliar)

Vamos para a Bolívia?

Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands é a nova proposta da Ubisoft, um mundo aberto com ação e táticas de guerrilha. Com comandos até que simples, mas que levam um tempo para a adaptação. A estética gráfica muito boa desde a customização de seu personagem e de suas armas às grandes paisagens e detalhes de relevo. Você e seus Ghosts estão preparados para desmantelar o Cartel Santa Blanca e trazer um fim a sua operação Kingslayer? A Alma de Ricardo “Ricky” Sandoval poderá descansar em paz?

Chamem os amigos para jogar essa aventura e até a próxima!