Anúncio

Um dos animes mais esperados do ano finalmente encerrou sua primeira temporada. The God of High School, produção original da Crunchyroll com os estúdios Mappa, baseada no famoso Webtoon entregou seu décimo terceiro episódio deixando já saudades e um gostinho de quero mais.

Como uma fã ferrenha da webserie, eu passei meses surtando por cada release e contando os minutos para o lançamento dos episódios. Mas afinal, TGOH entregou o que prometeu?

Se você ficou de olho no termômetro da temporada, deve ter percebido que grande parte dos redatores estavam assistindo a série, também deve ter percebido que eu – apesar de não ter pensando em abandonar o anime em nenhum momento – teci algumas críticas no desenvolvimento da trama.

Produção GOD

Mas vamos por partes. Primeiramente é importante apontar sobre as questões de produção. Mappa é um dos meus estúdios favoritos da atualidade, eles têm produzido MUITA coisa boa, e sido impecáveis em vários aspectos, principalmente quando falamos de animação e trilha sonora. TGOH não foi diferente. Desde os primeiros trailers e anúncios, a produção se mostrava muito dedicada aos detalhes, para tanto, eles até mesmo usaram lutadores reais de artes marciais para capturar da melhor forma possível os movimentos a serem animados! E, obviamente, com tanto investimento e detalhes, os resultados foram recompensados: em questão de fluidez, arte e música, o anime deu um SHOW, entregando tudo o que prometeu.

Tendo dito isso, eu tenho que pontuar minhas críticas sobre algumas escolhas de roteiro, estas que foram os únicos pontos negativos da série. TGOH é uma webserie bastante longa, dividida em partes conforme o desenvolvimento da trama. Os produtores, assim como o autor da série, optaram por adaptar os dois primeiros arcos da série em 13 episódios de anime, e quando eu descobri isso já fiquei com muitas ressalvas. Em geral, tudo que há de importante está ali no anime, entretanto, TGOH possui uma trama que acaba se tornando bastante complexa e detalhista conforme seu desenvolvimento cresce, principalmente quando falamos dos poderes emprestados, a batalha divina, e o poder das chaves. E, assim como eu temia, os poucos episódios acabaram não dando a melhor visibilidade a esses detalhes, causando confusão em muitos telespectadores que não conhecem a trama original. Apesar de eu não ser contra mudanças em adaptações, longe disso, eu sinto que a série perdeu grande parte da sua força por causa disso. É muito difícil se afeiçoar a algo que não entendemos.

Anúncio

Escolhas nem tão GOD assim

O meu segundo ponto de crítica, ainda focado nas escolhas de roteiro e quantidade de episódios, se dá justamente a construção dos personagens e do relacionamento dos mesmos. Uma das coisas mais apaixonantes em TGOH é o carisma de seus personagens, que acredite, é muito. Não só isso, mas os laços que eles constroem baseado em suas experiências. Apesar de conseguir pinçar o esforço dos produtores em criar esses momentos, eu sinto que a grande amizade de Mori, Mira e Daewi acabou se perdendo na pressa de avançar com a trama. A primeira parte, que é encerrada com a luta entre Mori e Dawei, é de longe meu momento favorito de mais de 500 capítulos da série. E mesmo eu já tendo relido essa parte mais de sete vezes, eu sempre choro. No anime, entretanto, apesar do esforço, faltou muito do drama e da emoção justamente porque eu não consegui sentir o nível de amizade e companheirismo que havia sido criado entre eles.

Eu falei com outras pessoas que estavam vendo a série, e não conheciam o quadrinho, e perguntei para eles sobre suas opiniões quanto a amizade que estava sendo criada, e as respostas foram bem ambíguas. Por um lado alguns concordaram comigo que acharam forçado, outros acharam bem natural, como eu tenho uma experiência prévia com a webseries, fica meio questionável até que ponto minha opinião é realmente válida ou está sendo influenciada pelo meu carinho pelo webtoon.

Segunda Temporada vem aí?

Apesar desses pontos, eu achei os últimos episódios incríveis! Os últimos quatro episódios foram muito bem feitos, e conseguiram transmitir muito do que eu esperava com o anime, e o encerramento deixou a abertura necessária para a segunda temporada, assim como a ansiedade crescente.

As opiniões sobre a série ainda estão bem divididas, por isso eu não tenho certeza se teremos – ou não – uma segunda temporada. Mas, eu torço pelo melhor. Até lá, você pode acompanhar os capítulos pelo Webtoon!

ASSISTA AGORA NA CRUNCHYROLL

Anúncio