Vindo de Hollywood, mais precisamente dos estúdios da Fox, temos um filme que envolve espionagem e romance proibido, vindo do país gelado em todos os sentidos possíveis, temos Operação Red Sparrow – um longa nível Rússia.

De bailarina à espiã, Dominika Engorova precisa mudar de vida por causa de um terrível acidente, e nisso ela conhece um americano a qual se apaixona e precisa fazer difíceis escolhas para salvá-lo, inclusive a si mesma, um filme forte e intenso no início e no fim – exatamente o que foi lido, eles esqueceram do meio.

Red Sparrow
Jennifer Lawrence em Operação Red Sparrow (Imagem Divulgação)

Melancolia Necessária

A trama possui aquela velha lentidão de sempre que não é novidade, porém necessária, pois a construção da mesma está sendo feita ao mesmo tempo que os personagens são construídos.

Sem falar também das cenas fortes que não é para qualquer um, pesado ao nível de estupros, carnes humanas e membros quebrados de forma quase explícita, ignorando totalmente o nudismo existente, além do plot twist que sempre existem em filmes de espionagem que explode as cabeças que estiverem presente na sessão

Se existe algo a ser exaltado no filme é a Jennifer Lawrence. Para muitos ela possui a mesma expressão facial para todos os seus filmes – o que não deixa de ser verdade – mas mesmo assim ela foi incrível, a cada novo trabalho que ela participa, parece estar cada vez melhor.

Dentro de Red Sparrow há muitas pistas do que pode acontecer na sequência da cena, muitas delas com a atriz presente – para os detalhistas de plantão, basta prestar atenção nas cores.

Red Sparrow
Jennifer Lawrence em Operação Red Sparrow (Imagem Divulgação)

Tensão e Romance

Toda essa tensão presente chega a segurar os apoios das cadeiras com força, mas o meio da filme começa a ter o desenvolvimento do romance entre Dominika Engorova e Nathaniel Nash, papel de Joel Edgerton, que pareceu mais uma encheção de linguiça do que parte da trama

Está nítido que o romance mostrou ser o alívio de tensão do filme, ficou tão claro que o jogo de cores das cenas mostram isso, mas ao invés de ser algo genial, ela acabou sendo tão mal trabalhada que o filme se mostrou cansativo para quem estava assistindo.

Começando a questionar o que estava acontecendo em cena, o filme começou tão intenso que essa quebra acabou atrapalhando e muito o desenvolvimento do filme a ponto de querer sair da sessão.

Isso pode ser uma falha um tanto imatura, pois a trama só volta a prender quando começa a se desenrolar para o fim, antes até do plot twist, nesse ponto, a intensidade volta da mesma forma que o início, mas cometer um erro desse chega a ser um tanto amador para um diretor de Hollywood.

Red Sparrow
Jennifer Lawrence e Joel Edgerton em Operação Red Sparrow (Imagem Divulgação)

Espionagem e Terror

O filme é uma mistura de romance com espionagem e terror, tão forte que a trama não se torna problema com uma grande cratera de roteiro, ela se desenrola normalmente, colocando em prática o raciocínio de quem estiver assistindo.

A fotografia nos dá algumas dicas da construção e desenvolvimento do filme em geral, uma experiência marcante e perturbadora em todos os sentidos para os verdadeiros fãs de filmes desse gênero, e da mãe Rússia.

Se alguns acham que a rigorosidade do país gelado é um exagero, verá nesse filme que o Nível Rússia ao estilo União Soviética não é para qualquer um.