Anúncio

Você está convidado a embarcar em uma narrativa onde uma viagem entre amigos se torna um pesadelo envolto de mistérios e sobrevivência. Hidden Shelter, da White Vortex, é uma experiência interessante se você busca um suspense e terror clássico em primeira pessoa.

O roteiro mostra a viagem de Charles, Bernardo e Diego que acabam se envolvendo em um acidente. Diego, irmão de Bernardo, desaparece e leva a dupla a explorar a região em busca de alguma pista do paradeiro do amigo. Entretanto, eles encontram um manequim com uma chave e uma grande mansão à frente, e em busca de ajuda eles começam a exploração.

Mansão, artes e segredos

Claro que como bom survival, temos um grande hall de mansão para abraçar o jogador e dar aquele clima. Além disso, Hidden Shelter traz uma carga cultural com história da arte, distribuídos ao longo da residência. Atente-se ao ambiente, é importante principalmente quando você encontra a criatura da casa.

Você não tem uma barra de vida, simplesmente se a criatura te alcançar é morte, com direito àquela tela clássica de “You DIED“. Então temos um pouco do problema que eu tive no começo desse jogo, as caixas espalhadas pela casa podem travar ou desacelerar o movimento do personagem, causando uma morte.

Além disso, a tela muda para tons escarlates para dar aquele suspense na corrida até você conseguir fugir. Durante a corrida as caixas voam e vidros estilhaçam pelo efeito paranormal da criatura, algo bem assustador na primeira vez. De qualquer forma, a trilha sonora ambienta bem os momentos de tensão, mas você pode se irritar se ficar transitando entre áreas distintas, pois a música muda drasticamente.

Contudo, o primeiro encontro com a criatura é suficiente para você parar de correr na mansão. Então vamos para o jogo de encontrar arquivos e chaves. Os arquivos ajudam a você ter uma ideia dos moradores da casa e do que aconteceu lá. Enquanto isso, as chaves identificadas se misturam entre outras genéricas, que possuem portas pré-definidas.

Anúncio

Com relação aos puzzles, alguns são mais fracos do que eu esperava. O que me deixou um pouco triste é que o mais difícil deles é optativo na nova versão de Hidden Shelter. Tudo bem que um quiz de artes é difícil, mas imagino que era uma das propostas do game.

Onde está todo mundo?

Então onde está Diego? E os moradores da mansão? Na versão 2.0 a equipe da White Vortex implementou mapas da mansão para ajudar a ter uma ideia da sua localização. Mas um problema que tive é que o inventário não separa as chaves e os files, apenas respeitam a ordem que você encontrou.

Além disso, quando você quer ler um file, uma grande caixa cinza de texto pula demonstrando o conteúdo. O jogo também tem pequenos glitches com relação a caixas e hidden boxes que faz seu personagem pular ou alcançar um super pulo. Os jump scares só acontecem quando o jogador está olhando para o local da aparição, caso contrário somente escutará o barulho do susto.

Executar o jogo de forma rápida pode ocasionar uma sobreposição de eventos e textos que ficam fora de contexto. Claro que isso aconteceu comigo por estar jogando novamente e testando a nova versão. Mas para a primeira jornada, aproveite a ambientação, e num replay vá em busca de um achievement.

Claro que para uma equipe de duas pessoas o trabalho cultivado em Hidden Shelter é sensacional, o foco narrativo é ótimo e vale muito a pena. Totalmente brasileiro e com localização e dublagem é um jogo que vale a pena jogar, além de apoiar a equipe da White Vortex.

Você encontra Hidden Shelter na Steam, com sistema de conquistas e uma grande surpresa no final!

Anúncio