Ziraldo Alves Pinto, cartunista, chargista, pintor, dramaturgo, caricaturista, escritor, cronista, desenhista, humorista, colunista e jornalista brasileiro, um dos maiores nomes que construíram a cultura nacional ganhou um documentário contando sua história e mostrando todo seu acervo artístico para novas gerações que não cresceram lendo suas revistas, agora podem conhecer o porquê esse simpático mineiro é aclamado por todo território brasileiro e qual foi sua importância quanto à política da época.

Rica Trajetória

Um documentário extremamente rico em informações, não pela trajetória e acervo visual apenas, estamos falando até de técnica de traço, o modo como Ziraldo desenha o famoso saci Pererê, modo de coloração, o foco das histórias, a crítica social quanto à caça aos animais, preservação do verde que compõe a bandeira brasileira e repetido em outras histórias do cartunista nos tempos de ditadura, ainda fazendo uma ponte ao folclore brasileiro, A Turma do Pererê era o mais próximo da cultura brasileira tinha a oferecer para as crianças.

Toda essa riqueza de conteúdo te prende pela curiosidade de quem não conhece A Turma do Pererê e o Ziraldo, além da nostalgia de quem viveu essa época, ou seja o documentário é um presente para bom amante da histórias dos quadrinhos brasileiros e educativo para quem desconhece tal feito, se não só o próprio Ziraldo conta a história de Pererê, outros cartunistas contam a importância de A Turma do Pererê para o arco político vivido na época. Curioso como essas histórias caberiam nos dias de hoje.

Adulto e Infantil

Talvez um defeito que possa ser citado nesse documentário seria a parte técnica, a edição pareceu um tanto bruta, além de ausência de trilhas, lógico que por ser um documentário com um certo nível de detalhe, se mostra algo mais adulto, mas ao colocar tantas partes das revistas, dublagem dos personagens e até as antigas canções dos discos da Turma do Pererê, ele se divide em algo adulto e infantil a todo momento, fazendo assim um documentário para todas as idades.

Uma opinião pessoal aqui: colocar trilhas de fundo e amenizar o nível sério do documentário, principalmente por trazer tanta coisa que funcionaria para as crianças hoje, poderia fazer com que isso fosse passado nas escolas, para um ensino fundamental talvez, enriquecendo o pouco que a educação brasileira ainda mostra nas escola quanto a cultura de nosso país.

Um Retrato da Sociedade

Todo o conteúdo trouxe a importância da revista na época e mostra porque muitas coisas da cultura de cada país traz algo referente a política, isso não é só o Brasil, o próprio Estados Unidos traz muito isso também, A Turma do Pererê passou por isso, sofrendo censura na época da ditadura, e no próprio documentário, Ziraldo e companhia fala sobre as histórias datadas de suas revistas, mas ele que está vivo hoje deve reparar que as revistas da Turma do Pererê caberiam facilmente hoje, principalmente sobre o tema censura.

A Turma do Pererê.doc deveria ser transmitido e compartilhado em todos os cantos do Brasil, em meio a tantas produções de comédia escrachada ou algo dentro desse meio, assistir algo com essa riqueza de conteúdo se tornou raro, claro que diferindo de filme e documentário, mas ainda sim são poucas nossas produções de alto nível de informação, e esse documentário é a prova de que sim, o Brasil sabe trabalhar sua cultura em prol de grandes produções e resultar em um belo trabalho que agrade a nossa sociedade.