Anúncio

Depois de agradar gregos e troianos, Tokyo Ghoule ser odiado por deuses e mundos também – está de volta com o subtítulo de ?A (Root A).

Ainda não sei do porquê deste título, mas este primeiro episódio da nova temporada já está dando o que falar. Os fãs mais ávidos – principalmente os que acompanham(ram) o mangá – estão descontentes com o que anda rolando.

Isto porquê Tokyo Ghoul ?A não vai mais acompanhar o mangá. Seria outro ponto de vista? 

Bem, pelo que se viu neste primeiro episódio, o foco parece ser com a organização Aogiri Tree e não com a Anteiku, como se viu na primeira temporada. Para quem estava preocupado com o elenco de seiyuu (dubladores) mudar, ele é  o mesmo, para alegria de todos! Outro dado interessante é de que a direção e roteiro está com a mesma dupla de antes: Shuhei Morita (nomeado ao Oscar por Short Peace em 2014) e Chuuji Mikasano, respectivamente. E não pára por aí, o autor do mangá Sui Ishida está agora creditado como criador da história desta nova temporada!

Root A

É galera, parece que tudo aquilo que se moldou nos últimos episódios da primeira temporada foi uma armadilha. Tudo para atrair a atenção dos diversos distritos e das organizações ghouls regentes. Se você estiver com dúvida quanto a trama que se formou e ficou meio confuso com o episódio, não custa nada voltar pra primeira temporada e curtir o último episódio.

Além deste combate entre Humanos e Ghouls – onde mais da metade dos soldados humanos morrem – a lindeza da Touka leva uma surra daquelas de seu irmã e só não acontece o pior, pois Kanekibad-ass mode on – aparece e lhe salva. Parece que com essa transformação, o meio-ghoul – ou caolho, como alguns lhe chamam – está tipo um super saiyajin da galera. O escolhido? O ser ímpar? É bem por aí e em sua segunda luta, ele já desponta superioridade a um dos membros mais fortes da Aogiri Tree, Ayato Kirishima, o irmão de Touka.

Anúncio

Falando mais sobre o episódio em si, duas coisas:

1 – Estava esperando mais porrada! Tirando a luta dos irmãos Kirishima – onde a animação do estúdio Pierrot mostra seu primor – as demais foram curtas. Até mesmo quando Kaneki chega a confrontar Ayato, estava esperando mais;

2 – Shuu “Gourmet” Tsukuyama está ainda mais carismático! Esperando para um destaque ainda maior para este personagem;

Mudança de Planos: Aogiri Tree

Muitos não gostaram do rumo que Tokyo Ghoul ?A vai tomar: Pelo que parece o lado Aogiri Tree! 

Diferente do mangá – que o #BELLAN ainda não leu – Ken Kaneki fará parte desta organização. De acordo com este primeiro episódio e com o diálogo entre Kaneki e o irmão de Touka, ele quer saber as pretensões desta organização. Para quem não sabe, ela vai totalmente de frente com a Anteiku, a qual Kaneki – a cafeteria – fazia parte.

E aqui vai uma reflexão: Enquanto a Anteiku vive em comunhão com os humanos, os Aogiri é a organização que contraria. Quer Kaneki deter o mal pela raiz? *E daí o subtítulo desta temporada ?A Root ARaiz Aogiri. Seria muita pretensão, não? 

#DONIS mandou uma nota bem legal quanto ao título  ?A Root ARaiz A, E pode ser que o significado esteja mais explícito do que imaginado. O subtítulo seria uma analogia quanto a Kaneki ser a raiz da Árvore Aogiri, ou algo do tipo!

Daqui Para Frente

Separação Kaneki e Touka

A cena que eles se reencontram sob uma árvore no fim do episódio é muito bonita e dramática. A música que toca nesse momento é MUITO mais bacana que a abertura e encerramento desta temporada – alguém sabe o nome? Voltando ao casal, o que vai rolar nessa temporada? Vão ser rivais de organização e ideais? Sinceramente, não sei o que esperar deste núcleo.

Mangá vs Anime 

Como em qualquer tipo de arte, adaptação não é transposição. Quer a história do mangá, leia o mangá e vice-versa. Claro que queremos algo o mais fiel possível, mas se Sui Ishida está na produção desta temporada, porquê não acreditar no trabalho dele? Se for pior, paciência… Quem aí acompanhou Evangelion e suas diferentes versões? 

O Que Esperar? 

Se todo o background foi criado na primeira temporada, espera-se uma linha de roteiro ainda mais dinâmica e direta nesta temporada. Explorar personagens secundários? Com toda certeza! E esta nova fase de Kaneki? parou de vez em ser o bundão? E o que isso contribuirá com a sua humanidade? Será afetada? Perdida?

Se olharmos de uma forma mais ampla, a forma em que houve o incidente de Ghouls vs Humanos – que começou no fim da primeira temporada – afetará de que forma Tóquio?

Extra: Abertura

Sinceramente não gostei da música e da animação. O #BELLAN pode ser chato, mas é que Unravel do Ling Tosite Sigure – fizemos uma matéria da banda AQUI – era maravilhosamente foda! Mas não vamos parar por aí não. Vamos dar uma analisada nesta nova abertura de Tokyo Ghoul ?A:

Nova temporada, espirito novo. Já nos damos de cara com o “novo” Kaneki. Seu físico, sua personalidade mudou. Quando começa e estando com o protagonista de olhos fechados, tudo está uma beleza aparentemente.

Conforme seus olhos vão se abrindo, tudo a sua volta vai tomando cor, num primeiro momento tons de vermelho, o sangue e depois a cor do luto, da morte. Tudo acompanhado com o desabrochar de diversas cores. Seria indício do que está por vir? *Assim foi com a abertura da primeira temporada* 

Outro fator é de: Quando Kaneki é abraçado, as cores correspondentes passam pelo character design de Touka e de seu íntimo, Rize!

E a pergunta que não quer calar, Kaneki vai deixar cada vez mais de ser humano?

Anúncio