marie-kondo

O Programa Ordem na Casa com Marie Kondo estreou em janeiro desse ano e ganhou grande repercussão no mundo todo, fazendo várias pessoas gastarem seu tempo dobrando suas roupas meticulosamente e organizando seus armários.

Mas o que é o método KonMari? E qual é a sua relação com o xintoísmo?

Neste artigo você vai descobrir o motivo do método de Marie ser tão eficaz para uma limpeza não só física como também espiritual e mental da sua casa e seus moradores.

Quem é Marie Kondo?

Nascida em Tóquio, Marie Kondo é uma especialista em organização pessoal, empresária e escritora. Autora do best-seller “A mágica da arrumação: A arte japonesa de colocar ordem na sua casa e na sua vida”, ela já foi eleita pela revista Times como uma das cem pessoas mais influentes do mundo em 2015, ao lado do autor Haruki Muramaki (“Kafka à beira-mar”).

Graças à influência de sua avó, ela começou a se interessar seriamente por organização e limpeza aos 15 anos, fazendo a arrumação não só de sua própria casa, mas também a de seus amigos. Já com 19 anos, ela se tornou uma consultora de organização doméstica enquanto fazia sua faculdade de sociologia na Tokyo Woman’s Christian University. Após a sua graduação, ela fundou a sua própria consultoria de organização, publicando o livro “A mágica da arrumação: A arte japonesa de colocar ordem na sua casa e na sua vida” em 2011, que já foi publicado em mais de 30 países e vendeu milhões de cópias.

Quando iniciou sua carreira no ocidente, seu marido largou o emprego em Osaka para se tornar seu agente, e hoje em dia ele é o presidente executivo da Konmari Media. Após anos ensinando os outros a organizarem suas casas através de aparições na TV, palestras e vídeos, Kondo finalmente ganhou uma série na Netflix, que estreou no dia 1º de janeiro.

O Método KonMari

O método é composto de formas simples de reorganizar a casa para se livrar da bagunça. De acordo com Marie Kondo, seguir seu método resulta em uma casa mais limpa e organizada, bem como um estilo de vida mais feliz e positivo no geral. O objetivo não é apenas limpar, mas também se livrar de objetos da sua vista, organizando seus pertences para que você saiba onde um item está sempre que você precisa.

O método realmente te deixa mais feliz? Do ponto de vista psicológico, completar uma tarefa, como organizar sua casa, tem resultados diretos no seu senso de competência, fazendo você se reconhecer como uma pessoa autossuficiente que pode aprender, crescer e ser bem sucedida. Isso reforça o bem estar geral e tem influência em diversas áreas do cérebro.

Uma grande vantagem do método KonMari é que ele inclui instruções detalhadas, mas ainda lhe dá margem para ser flexível. Isso acaba ajudando a melhorar seu senso de conquista ao terminar a organização.

Isso quer dizer que você não precisa jogar todos os seus objetos ou roupas fora e ficar com uma quantidade significativamente menor, mas que você pode usar seu discernimento para escolher entre os que te trazem mais alegria, lembranças mais agradáveis ou maior utilidade no geral.

O ponto chave do método é saber o que te traz alegria. Mas o que seria isso? Pode ser o grau de uso e o conforto que você sente ao vestir determinadas roupas, as boas lembranças que um certo objeto afetivo lhe traz, a utilidade de uma ferramenta ou objetos em relação a outros, tudo isso é a “alegria” que Kondo fala.

Outro aspecto importante que ela fala é se afastar para poder entender o que você sente diante de determinado objeto, isso o ajuda a entender melhor o que o item realmente significa para você. Por exemplo, às vezes você está se desfazendo de um objeto por impulso, no calor do momento da organização, mas mais tarde você vai poder sentir falta. Esse afastamento, ver o item mais tarde, o ajuda a tomar uma decisão mais coerente já que sua mente estará mais calma e clara.

Finalmente, depois de separar tudo o que você realmente quer, é hora de finalmente organizar. Marie recomenda locais de armazenamento que são fáceis para você pegar um item e coloca-lo de volta. Quanto mais fácil for seu acesso ao local de armazenamento, mais fácil é para você devolvê-lo ao seu lugar. Além disso, ela recomenda evitar métodos mais complicados, como empilhamentos. O objetivo é trabalhar com o que funciona para você.

konmari
Aplicando o método KonMari

Raízes Xintoístas

O xintoísmo é a religião mais difundida no Japão, tão antiga e enraizada que se confunde com a cultura e os hábitos da população. Politeísta, ela preza pelo culto à natureza e os antepassados, sempre honrando o Kami, que significa Deuses, essências ou espíritos.

O Kami é extremamente importante na prática do xintoísmo e se manifesta em diversas formas, desde elementos da natureza (montanhas, rios, pedras, animais), até pessoas, lugares e objetos. Além disso, o Kami e as pessoas coexistem, não ficam em planos separados, e compartilham uma relação complexa.

Como essa religião tão complexa se aplica ao método KonMari? Na religião, existe um conceito chamado tsukumogami, onde alguns objetos podem ganhar uma alma após 100 anos de serviço, um kami. Portanto, são dignos de gratidão pelos praticantes. A forma como Marie faz questão de agradecer esses objetos e “se apresentar” para a casa demonstra uma forma de respeito pelo kami. Como se pedisse permissão para entrar na casa alheia, agradecendo pelo seu acolhimento. Essa é uma maneira muito xintoísta de portar.

Além disso, Kondo incentiva seus clientes a limparem seus objetos que despertam alegria e guardá-los de forma adequada, bem como descartar os que não despertam alegria e agradecê-los pelos seus serviços, fazer uma despedida com dignidade.

A cultura japonesa é muito enraizada nas tradições xintoístas, onde é muito forte o senso de respeitar o lugar onde você mora ou trabalha, bem como as outras pessoas. Valorizar o que se tem e cada objeto são essências xintoístas.

Marie não nega que as pessoas tenham pilhas de livros ou objetos acumulados em uma estante, contanto que eles não estejam causando angústia. O método ensina que os bens materiais não são um meio para alcançar a felicidade, mas sim o contentamento, estar feliz pelo que se tem e desfazer do que já não tem mais utilidade.

Conclusão

Kondo tem claramente raízes xintoístas fortes e aplica essa sensibilidade do respeito ao próximo e aos objetos para organizar ambientes de forma simples, para trazer mais alegria às pessoas e renovar as energias da casa. Embora tenha recebido duras críticas por sua conduta, ela apenas aplica um conceito da sua cultura desconhecida para as mentes ocidentais, mas sempre respeitando os sentimentos das outras pessoas em relação aos seus pertences.