O #BELLAN ainda tá vivendo esse hype todo de Resident Evil 7: Biohazard, e não é por menos: o game está muito bom, agradando até mesmo os fãs mais antigos da franquia.

Demos também um PRIMEIRO GOLE no Resident Evil 7: Biohazard – confira!

Vou tentar me abster ao máximo no que se diz respeito à spoilers. Já estou na minha quarta jogatina – agora no modo Hard – e aposto que muitos de vocês aí, já devem ter jogado pelo menos as demos ou claro, já ter zerado.

Recomendo estes especiais para quem JÁ TENHA TERMINADO O JOGO. Bom, já fica aí o aviso ^^ 

Nesta primeira matéria especial de Resident Evil 7: Biohazard, trago-lhes a icônica família dos Baker, já tão odiada quanto o Nemesis no RE3. E mais, pesquisando um pouquinho nas interwebs, podemos fazer algumas ligações com casos reais e até mesmo uma família “Baker” real, no caso, os Bender!

Apresento-lhes: A Família Baker

No jogo, a família Baker – como dito acima – ocupa aquele lugar que fora antes do Nemesis ou Senhor X, que ao contrário de termos um grande vilão, temos uma família toda e cada um a sua característica.

Eles vivem em Dulvey, interior do estado da Louisiana, Estados Unidos, como uma família de campo qualquer, até que um furacão viesse a mudar a rotina de todos drasticamente. Em meio aos destroços da casa, seu filho mais velho, Lucas, acha um navio naufragado num pântano próximo com dois sobreviventes: Mia Winters (esposa do protagonista Ethan) e uma jovem garotinha, Eveline…

Jack Baker

Jack Baker, 55 anos, foi um Fuzileiro Naval dos Estados Unidos nos anos 80, casando-se com Marguerite e tendo dois filhos: Lucas e Zoe. Em meados dos anos 90, Jack comprou algumas terras e um rancho no interior da Louisiana. Fissurado em Futebol Americano – no jogo é possível ver um pouco de sua coleção – Jack sempre foi reconhecido pela vizinhança como um homem dos bons costumes, dando a melhor educação – e rígida – para seus filhos. 

Marguerite Baker

A mãezona da família, Marguerite Baker, toma conta de uma grande plantação e mantém uma estufa nos arredores do rancho. Tradicional, ela gosta de tratar seus hóspedes o melhor possível.

Lucas Baker

Lucas, o filho mais velho dos Baker, é considerado o “ovelha negra” da família, visto que costuma desobedecer os pais e conta com um temperamento extremamente sadista. Genioso e com grande inteligência, gosta de fazer brincadeiras de certa forma imaturas, mas com grande criatividade e com um “quê” de inventor. 

Zoe Baker

Zoe Baker, a filha mais nova, é simplória e uma filha amável. Sempre pronta para ajudar, ela é quem te auxilia em boa parte da trama para você escapar de algum jeito do cárcere dos Baker. Sabemos também que ela é mestre no stalker né? Parece que ela está sempre nos observando, visto que ela liga pra gente no momento exato que estamos passando pelo telefone… 

Grandma “Vovó” Baker

Pouco se sabe sobre a vovó – e nem mesmo podemos dar um tiro nela durante o jogo! Fato é que no decorrer dos corredores e quartos, acabamos trombando com ela lá… estática, imóvel, praticamente um cadáver. E sim, ela consegue te assustar MESMO parada! 

Apresento-lhes: A Família Bender

Enquanto você está lá jogando Resident Evil 7: Biohazard e achando a família Baker toda macabra, fique sabendo que existiu no século retrasado um grupo familiar assim, ou se não, até mais nefasto que Jack e cia.

Pós a Guerra Civil Americana, a imigração começou a rolar solta pelos Estados Unidos, com a União disponibilizando territórios para colonos que ali gostariam de cultivar terras. Eis que surge uma família alemã, conhecida na época pelos Bender (mais tarde por The Bloody Benders, e você vai entender o porquê), que em 1870 se instauram ali pelo sul do país, no estado de Kansas.

Até então, uma família comum. (Imagem Divulgação)

Os Bender era um grupo de quatro pessoas, com o patriarca John, sua esposa Mary – ambos beirando os 60 anos  – e os filhos ou “filhos”, John Jr. e Kate. Coloquei “filhos” pois, há algumas evidências de que Kate não era filha de John – apenas de Mary – e na verdade, ela seria esposa de John Jr., a não ser que fosse uma relação incestuosa.

Ali na redondeza eles não eram muito bem vistos, na verdade, poucos tinham contato com eles. Uma questão era pelo fato de mal falarem inglês, e a outra é de que John e John Jr. teriam retardos mentais, o que dificultava na relação dos colonos vizinhos. Êta família estranha sô, mas não para por aí…

The Bloody Benders

Conhecidos posteriormente por “The Bloody Benders” ou, Os Sangrentos Bender, e não era por menos, pois são conhecidos como os primeiros psicopatas dos Estados Unidos. O plano consistia no seguinte:

  1. Eles possuíam duas casas, e uma dessas era uma espécie de pousada. Já que naquela época, viajar por aqueles lados era uma longa jornada, muitos viajantes se instauravam ali, já que o local também proporcionava uma área de refeição e restabelecimento de suprimentos.
  2. Eis que muitos que viajaram pela região, davam como desaparecidos depois. E porquê? Os Bender assasinavam os transeuntes, não pelo fato de serem sadistas maníacos, mas por quererem roubar os pertences daqueles que ali passavam.

Uma das estratégias é de que, como Kate era uma hábil cozinheira (além de alegar ser cartomante e curandeira), eram conhecidos por suas guloseimas e que enquanto estavam se deliciando com o alimento, John ou Jr. vinham de supetão e zaz! Cortavam a garganta ou golpeavam a cabeça do hóspede. Logo em seguida, o corpo era levado até o porão e depois, enterrado no jardim – ou pomar (como visto na imagem abaixo).

Investigadores e os sepulcros dos cadáveres feitos pelos Bender (Imagem Divulgação)

Investigação

Do período que se instauraram em Arkansas até meados de 1873, diversas vítimas desapareceram, entre elas Dr. William York, irmão de um senador e policial do estado. É aí que uma grande varredura investigatória se inicia, primeiramente com uma audiência com os donos de propriedade ali da região. Na mesma noite, os Bender nunca mais foram vistos novamente.

Em Resident Evil 7: Biohazard, Mia Winters – até então desaparecida – envia um vídeo no e-mail de Ethan, o protagonista do jogo. O início do jogo tem muito das características originais da família dos Bender, até mesmo nas vítimas desaparecidas como também do que o povoado acha dos Baker, com seus hábitos nada convencionais e a lenda de que a casa está amaldiçoada.

É interessante de como a Capcom trabalhou com seu mais recente episódio da franquia, com um trabalho bem interessante de pesquisa e que vale ressaltar: esta é uma parcela da vasta quantidade de referências dentro do jogo.

Fontes e Referências: Resident Evil, Krump, Biohazard France, Mental Floss, Murderpedia e Wikipedia