Tonya Harding, ícone da patinação no gelo, disputou duas olimpíadas, foi campeã nacional e está na história como a primeira mulher a conseguir fazer um salto o qual ninguém havia conseguido em sua categoria em competições e em mandar quebrar a perna de uma concorrente que poderia representar os EUA nas olimpíadas.

Confira também: Lady Bird: É Hora de Voar | Review

Disso tudo, ainda existia conflitos familiares e relacionamento conturbado, e só para completar, a protagonista é Margot Robbie – mais um filme entre os indicados ao Oscar 2018 – e mais uma obra prima digna de ser vista e re-vista para todos os amantes do cinema.

eu tonya poster
Eu, Tonya (Pôster Divulgação)

Polêmicas e Patinação

O filme conta a história da patinadora desde os seus três anos de idade até o início de sua carreira como boxeadora, levando para o estilo documentário, mas com uma trama tão bem amarrada que esse estilo consegue ser até descartável, tanto que em algumas partes percebe-se que as cenas documentadas se fazem desnecessárias.

O tom mais sombrio casa totalmente com o caráter da personagem, briguenta, arrogante e convencida de que nunca tem culpa de nada, Tonya, vivida por Margot Robbie, mostra o eterno ódio por sua mãe, as fortes brigas com o ex marido provam todas as sequelas que ela adquiriu durante a fama, ela apanhava sem dó nem piedade, trazendo um tom bem pesado para essa trama.

eu tonya margot robbie
Margot Robbie em Eu, Tonya (Imagem Divulgação)
eu tonya sebastian stan
Sebastian Stan em Eu, Tonya (Imagem Divulgação)

Trilha e Atuação

Apesar de Robbie apresentar uma grande atuação, ela divide os holofotes com Allison Janney, ganhadora do Critical Choice de Melhor Atriz Coadjuvante com o papel da mãe de Tonya, LaVene Harding, a frieza e arrogância que existe entre mãe e filha é um marco a ser destacado nesse filme.

E tudo casa perfeitamente com a trilha sonora, cada momento, seja de tensão ou alegria, facilmente você é pego pela situação, e se encontra dentro dela, e com esse elenco de peso que provavelmente levará um Oscar, além de Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante com Allison Janney, filme concorre a Melhor Montagem.

eu tonya poster
Eu, Tonya (Pôster Divulgação)

Quase um documentário

Eu, Tonya é sim uma obra de arte, foge do estilo documentário e consegue ser uma junção de humor e tragédia que dificilmente será feito novamente, talvez só contando a história da talentosa e polêmica Tonya Harding isso é possível.

E graças ao filme, a história de quebrar a perna da ex patinadora Nancy Kerrigan talvez tenha sido esclarecido, e para aqueles que querem entender um pouco a situação mais conturbada da ex patinadora, basta assistir esse filme sensacional digno de um Oscar.