Anúncio

Ahiru no Sora deu o que falar algumas semanas atrás, não só se mostrou a grande surpresa dos animes de esporte em seu lançamento, como já se envolveu em polêmica. Porém algumas pessoas desistiram dele por causa disso, outras conseguiram relevar e seguem assistindo, isso pra provar que mesmo com defeitos, permanece impecável!

Trama x Time

Ahiru no Sora constrói a trama do mesmo jeito que Sora e seus amigos mantém a solidez de um time, não é fácil, muitas vezes irá falhar e o caminho para o sucesso se mostra longo e demorado, fazendo com que aqueles que não gostam de tramas mais arrastadas acabem desistindo do anime, contudo essa desistência é uma questão de gosto pessoal, pois essa trama consegue te prender por causa dos personagens e do conceito do que é um time de basquete, e eu acredito que Takeshi joga toda essa pressão de construção em uma pequena personagem pouco comentada.

A treinadora Nao Nanao é a personagem que eu mais me identifiquei no anime, pois sou tão apaixonado por basquete como ela, e mesmo ela traçando uma tática e uma escalação que em sua cabeça é perfeita, mesmo assim se mostra falha e nem sempre se conquista a vitória, é a pura realidade batendo na cara dela, e na minha também quando chama os amigos para jogar, e existe um motivo. A química dos jogadores não é boa, isso é o início do anime praticamente, e quando parece que está dando tudo certo, algo sai do controle e prejudica o time, algo que é bem mostrado no NBA 2K20, de graça na PlayStation Store, ao final da partida se mostra a porcentagem de entrosamento do time.

A Decepção de Takeshi

O autor Takeshi Hinata ficou muito decepcionado com a animação do anime, usando até um exemplo de uma cena onde saem feixes de luz dos olhos de um personagem, remetendo ao que é Kuroko no Basket, isso para Takeshi foi ofensivo o suficiente para ir ao Twitter e criticar a direção do anime, e por mais que ele tenha se desculpado com os fãs, ainda sim ele têm razão.

Ahiru no Sora transmite outra essência, enquanto Kuroko no Basket temos personagens mais “fortes” e diferenciando várias habilidades diferentes, uma trama mais shounen explosivo que lembre Haikyuu ou Ace of Diamond, em Ahiru no Sora vemos um time em construção com vários jogadores amadores, alguns com habilidades, outros iniciando no basquete, uma trama mais amarrada em detalhes e arrastada por conta de todo arco dramático e construção de personagens e time que é feito ao decorrer do mangá, chega a lembrar muito o antigo Slam Dunk, e por causa desses elementos, os traços e a animação têm que casar com o que está sendo contado para o público, a movimentação de alguns personagens em Ahiru no Sora muitas vezes são takes parados com pouca movimentação, e quando acontece o drible, o final da jogada fica confuso, algumas jogadas aéreas demoradas até demais para um anime de esporte, e um tando acrobáticas demais para o que é o basquete, e esse detalhe de feixe de luz só confirma não só a irritação do Takeshi como de alguns fãs.

Julgamento injusto

Por mais que algumas pessoas começaram a tuitar que ele nunca mais vai ter um mangá adaptado de novo, não acho que um escritor têm que ficar calado quando seu mangá está sendo mal adaptado em um anime, lógico que têm dinheiro envolvido, mas dinheiro não cala o artista que dedica seu tempo em fazer uma obra bem escrita e emocionante como Takeshi fez com Ahiru no Sora, e sobre a opinião de alguns dele ter se queimado, só lembrar que não existe só um estúdio que adapta mangás para anime.

Ahiru no Sora está com 40 episódios e o prometido são 50 até o final desse ano, a direção está nas mãos de Keizo Kurazawa pelo estúdio Diomedéa, o mangá foi lançado em dezembro de 2013  e é publicado até hoje pela Kodansha. Diomedéa é responsável por uma lista vasta de adaptações, a maioria isekai como Campione e Domestic na Kanojo e, eles serão responsáveis pela adaptação do mangá Futsal Boys.

ASSISTA AGORA NA CRUNCHYROLL