Anúncio

Este post é para aqueles que já viram algo sobre crowdfunding mas não acompanha e, consequentemente, não sabe o que está rolando de bacana por lá – e só depois que a campanha encerrou, descobre que tinha algum projeto que gostaria de apoiar.

Para quem não sabe o que é crowdfunding, trata-se de um financiamento coletivo em que as pessoas pagam um valor e recebem uma “recompensa” por isso – cada autor define o que entra no pacote. Ajudar o autor do projeto que não tem grana pra investir na obra e para o cliente é como uma pré-compra. Caso o valor total arrecadado não seja suficiente ao término do prazo, o valor que você pagou fica à disposição para apoiar outro projeto à sua escolha – ou seja, nada de prejuízo! Tem várias modalidades, incluindo teatro, ciência e tecnologia, gastronomia, arquitetura e urbanismo… Mas o foco aqui serão quadrinhos e literatura. 😉

Desde que eu apoiei o livro Daniel e Bianca (daquela página super fofa no Facebook), acompanho algumas campanhas do tipo e acabo encontrando coisas muito interessantes – por exemplo, A Samurai, uma graphic novel sensacional que já teve um post aqui no SUCO. Mas como nem todo mundo conhece, vão algumas indicações de projetos em aberto no Catarse, por ordem de prazo de encerramento (existem outros sites de crowdfunding, como o Kickante, mas este é o que mais acompanho).

Eu espero sinceramente que estas campanhas consigam o valor necessário para se tornarem realidade, e, assim que saírem, volto a comentar sobre elas. o/

Madre Muerte

Encerramento: 11/03
LINK

Anúncio

É uma webcomic publicada pela Imperial HQs, e o financiamento é para lançar o primeiro volume em versão impressa. É bem curtinha (12 páginas), mas os preços também são: a partir de R$ 10 já ganha um exemplar.

Sinopse: Madre Muerte conta a história de Linda, uma mulher que possui os poderes da deusa Mictecacihuatl, a senhora do mundo dos mortos, popularmente conhecida como La Catrina. Linda se vê presa em um misterioso conflito quando estranhas mortes começam a acontecer na cidade de La Santidad, mortes estas que ela acredita que possuem fortes relações com acontecimentos do seu passado, mas desvendar esse mistério não será uma tarefa fácil.

Apoiei esta HQ basicamente por causa da arte, confesso. Achei a capa bonita e fui convencida.

Nas terras Ipuarana

Encerramento: 23/03
LINK

A ideia aqui é difundir e valorizar as histórias paraibanas, que são contadas oralmente de geração para geração. O livro foi escrito pelo historiador José Eudes Ferreira da Silva (UEPB) e desenhado pelo ilustrador João Paulo Ferreira da Silva (UFCG), filhos de agricultores do brejo paraibano, e o que conseguirem arrecadar a mais vai ser destinado à impressão de exemplares para doação às escolas da região.

Sinopse: Crenças e imaginário nas Terras IPUARANA”, se divide em quatro atos: O imaginário das botijas; A estória do padre sem cabeça; o imaginário que envolve o cemitério público; e Relatos de encruzilhadas. E cada ato, há vários relatos que te transportam para uma região rica em histórias e cultura, que traz de volta boas lembranças e resgata os antigos e bons contadores de história de nosso município.

Serão 48 páginas, e o projeto me interessou justamente pela cultura que querem divulgar – além das ótimas ilustrações, claro.

Cerulean

Encerramento: 18/04
LINK

Fruto de uma ideia para o Inktober (aquele desafio de fazer uma ilustração por dia durante todo o mês de outubro), Cerulean foi a minha mais recente “aquisição”. Recebi como indicação do próprio Catarse e só pela primeira visão da capa, eu já sabia que teria que comprar. E assim foi.

Sinopse: Cerulean conta a história de uma curiosa sereia de cabelos azuis cerúleo e seu pequeno amigo cor de rosa, Ollie. Eles vivem tranquilamente no fundo do mar, até que um dia Cerulean encontra um objeto misterioso e brilhante em uma caverna: um celular! Cada vez mais encantada com a tecnologia humana, Cerulean precisa aprender a lidar com dois mundos completamente diferentes.

As recompensas incluem aquarelas super fofas, tive que me controlar para não pegar tudo o que é possível. *-*

Os Poucos e Amaldiçoados – Parte 2 de 6

Encerramento: 07/05
LINK

Esta minissérie de Felipe Cagno, ilustrada por Fabiano Neves e colorida por Dinei Ribeiro, está em sua segunda parte, sendo que a primeira pode ser adquirida nesta campanha mesmo ou pela loja virtual da Timberwolf Entertainment com lançamento previsto para segunda quinzena de março. Esta edição conta com duas capas alternativas por Fábio Valle e Victor Cafaggi, dependendo do valor do apoio. A hq conta a história de Ruiva, uma caçadora de maldições.

Sinopse: Em um mundo pós-apocalíptico onde 90% da água do mundo simplesmente desapareceu da noite para o dia, a humanidade teve que aprender a sobreviver às piores condições possíveis. 70 anos já se passaram e os poucos que chegaram até aqui mal se lembram do que é ter água em abundância. A Ruiva vaga de cidade em cidade caçando maldições e tesouros, sussurros quietos na calada da noite, nada é impossível no mundo de hoje. Desde que a água desapareceu, a humanidade perdeu sua bússola moral, nada é mais crucial que a própria sobrevivência.

A segunda edição tem 26 páginas e a partir de R$ 16 já vale um exemplar impresso. A arte é indiscutivelmente muito bem feita, e confesso que deu vontade de comprar uma edição com cada capa.

Archin

Encerramento: em aberto
LINK

As ideias para esta história surgiram nos sonhos do autor, Daniel Abrahão, virou RPG e quase vinte anos depois, tomou forma dentro do estúdio Desire. O projeto envolve literatura, música, animação e boardgame. A redação do livro Archin ficou a cargo de Roberto Causo, escritor e editor de ficção científica, horror e fantasia (por enquanto só li um conto dele, Um toque do real: óleo sobre tela, e já me deixou bastante interessada pelos outros escritos).

Sinopse: Nessa primeira publicação, você vai conhecer a história de ARCHIN, uma entidade superior que percorre o universo em busca de ASHRA, seu irmão. Com o decorrer desta trama, ARCHIN precisa proteger sua essência vital. Para isto, ele fragmenta a própria alma em três partes e envia a um pequeno planeta chamado URIA (para nós, Terra). Os fragmentos são deixados aos cuidados de três nativos humanos: um guerreiro indígena, um padre bretão e um samurai japonês. A partir daí a história evolui ao redor desses seres com um deus em seus interiores, em um tom de descobertas, mistério, ação e ensinamentos.

Conheci este projeto através do meu professor de shamisen, Yuzo Akahori, que coordena a composição da trilha sonora – Archin no Uria é a primeira canção divulgada e será executada junto com a orquestra VGMus. Fiquei impressionada logo de cara com a ideia, pela dimensão e variedade envolvidas, e ao que tenho acompanhado das entrevistas do autor, realmente será algo que vale a pena ver.

 

Anúncio