Anúncio

Josh Brolin está com tudo esse ano, dessa vez temos ele em Sicario: Dia do Soldado como um militar estilo brucutu e sangue frio que divide opiniões quanto ao seu método de trabalho.

Veja também: Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands | Review

Ainda que essa mistura de tráfico de imigrantes ilegais e exército dos Estados Unidos traz uma certa atenção, além das opiniões políticas se referindo ao caso, mas de tantos elemento já envolvidos na trama, apenas uma cena específica pode colocar em cheque um filme que está muito bom.

Sicario: Dia do Soldado
Sicario: Dia do Soldado (Imagem Divulgação)

As Forças do Cartel

A trama se baseia em forças especiais colocando dois chefes de cartel do México se gladiando, enquanto os militares apenas esperam a chance de fazer seu trabalho, seja ele sujo ou limpo.

Quanto a isso a história estava maravilhosa e sensacional, todo aquele jogo de lábia para que os mexicanos não descobrissem o disfarce realmente te deixa preso na história, mas com umas barrigas de roteiro que te faz bocejar, além de uma cena um tanto confusa de “morte” que serviu como plot, a verdade é que só trouxe dúvidas que no fim só deixou o filme confuso, se tornando um sessão da tarde bem razoável, todo o terceiro ato do filme chega a ser descartável de tão forçado que pareceu ser.

Sicario: Dia do Soldado
Benicio Del Toro e Josh Brolin em Sicario: Dia do Sicario (Imagem Divulgação)

Brucutu Clássico?

Talvez a maneira certa de fazer esse filme, seria estilo guerrilha ao nível brucutu clássico, sem essa trama de soldado aventureiro, ficou bem bagunçado, pois o papel de Benicio del Toro ficou muito marcante, ofuscando todos os antagonistas presentes em cena, e fazer dele um soldado que cuida de refém ficou bem fora do que é o personagem, até mostrar a parte humanizada dele que foi o que fez o personagem ser colocado como traidor, colocando em cheque toda a operação.

Anúncio

A parceria dele com Josh Brolin levou o filme com o pé nas costas, trazendo um pouco do estilo de operações que o BOPE ou a SWAT faria em um morro da favela ou prédio abandonado, mas foi muito pouco mostrado disso, nos deixando sedentos por mais cenas de militares e bandidos trocando tiros e escorrendo sangue, o que funcionaria perfeitamente sem erro, poderia não ser o filme mais lucrativo do mundo, mas seria um filme que muitos gostariam de ver.

Sicario: Dia do Soldado (Imagem Divullgação)

Bagunçado, mas não decepciona!

Um belo filme, mas bem bagunçado e de certa forma mediano, não decepciona mas também entrega pouco, ao invés de ficar em um padrão já conhecido com filmes de guerra, resolveram inventar e bagunçar o que seria uma história de estilo clássico para novas gerações.

Apesar de divertir e trazer um sentimento realizado de uma boa violência em filmes desse gênero, ele peca muito em muitas barrigas e poucas cenas de ação que podem atrapalhar a experiência.

Anúncio