De autoria de Tetsuro Kasahara (com assistência na história por Makoto Tezuka e Masami Yuki), Atom: The Beginning, o suposto antecessor da lendária obra Astro Boy, tem como premissa os eventos que se sucederam antes do nascimento do robô de Osamu Tezuka.

1.000 cavalos e serviços de meio período

Preparando-se para realizar um teste de força física de um braço mecânico condensado com 1.000 cavalos de potência, dois homens executam o pequeno experimento que acaba por resultar numa enorme explosão, ademais, somos levados a outra narrativa acerca da situação do universo de Atom que explica como e porque surgiram os robôs:

Sinopse: Após uma grande catástrofe e reconstrução que conseqüentemente trouxe a inovação em tecnologia, os seres humanos criaram os robôs. Os robôs eram incumbidos de fazer-lhes o que foram ordenados, e logo os robôs tornaram-se indispensáveis para a humanidade, contudo os robôs não possuem coração, os robôs não são humanos.

Depois dessa breve narração, os dois homens que outrora se preparavam para o experimento são apresentados como Umataro Tenma e Hiroshi Ochanomizu, bolsistas no laboratório 7 da universidade Nerima e que por motivos financeiros trabalham em serviços de meio período para bancar os experimentos que executam.

O estúdio responsável pela animação é OLM, Inc. , Production I.G e Signal.MD.

A106 e a teoria Bewusstsein

É num desses serviços de meio período que Umataro veste o robozinho com uma das fantasias que se apresentaria na parada (uma espécie de marcha para promover os robôs, que ao que tudo indica são para fins de lutas), nesse ínterim, um dos robôs começa a pegar fogo e é quando o cabeça de lata avalia a situação e parte para solucioná-la afim de evitar um acidente.

Umataro e Ochanomizu então percebem que além do pequeno tomar decisões a partir do seu próprio julgamento, a teoria Bewusstsein (teoria de robótica e I.A) que ambos criaram estava certa: a de que Six (codinome A106) seria o primeiro robô com senso de si mesmo.

Moço? É bom?

Bom pessoal, de inicio a animação não causa tanto impacto para quem espera um primeiro episódio recheado de lutas, pelo contrario, não há lutas. O que realmente causa impacto é o visual que olha, pode-se dizer que é um dos mais belos dessa temporada, a trilha sonora também não fica atrás não, além disso, a produção tem nomes de peso como Katsuyuki Motohiro (Psycho-Pass, filme live-action de Ajin) como realizador chefe, Masami Yuuki (franquia Patlabor, Birdy the Mighty) com o trabalho conceptual e Yoshino Nanjou que vai dar voz a Maria na série e interpretar o tema de encerramento “Hikari no Hajimari” (The Beginning of Light), por outro lado, a abertura é feita pelo duo musical, After the Rain interpretando o tema “Kaidoku Funō” (Indecipherable).

Enfim, Atom: The Beginning consegue manter os padrões que propôs: roteiro leve e bem delineado, animação delicada e trilha sonora audível, portanto, é um bom anime para que deseja nessa linha e que seja um grande admirador das obras (ou das que se influenciam pelo estilo e história) do mestre Osamu Tezuka.