Anúncio

Raito Yagami é um jovem estudante prodígio que leva uma vida considerada… Epa! Anime errado. Desculpe aí pessoal! Vamos ver… Ah! É essa aqui.

Usando referências de um anime como Death Note e baseado no mangá homônimo de Megane Mihoshi, Renai Boukun, também conhecido como The Very Lovely Tyrant of Love tem como premissa o envolvimento do colegial Aino Seiji e a cúpido Guri, além claro, das situações engraçadas que ambos são expostos em relação as trapalhadas da personagem Guri.

Kiss Note, mais conveniente que o Death Note

O que você faria se uma garota vestida de Shinigami aparecesse em sua porta lhe dizendo que caso você não beije, você morrerá? É praticamente com essa frase que o nosso protagonista se vê diante de uma piada e é daqui que partimos para a história.

Disposto a ouvir o que a garota Shinigami tem a dizer, Seiji acaba cometendo vários equívocos, além de descobrir que boa parte do que está acontecendo é culpa da garota, se não fosse por ela ter errado um ideograma e saído seu nome quando tentava unir dois “rapazes” num relacionamento BL (Boy Love), contudo, para piorar ainda mais a situação o Kiss Note apresenta regras bastante excêntricas do tipo: O humano cujo nome for escrito nesse caderno morrer… Errei de novo. Corrigindo… “A pessoa cujo nome estiver escrito neste caderno deve beijar alguém em 24 horas, caso contrário, a pessoa ficará virgem para sempre, alias, se um nome ficar sem par por 24 horas o mesmo ocorrerá como diz a primeira regra”. A par dessa ocorrência, Seiji se vê em apuros já que sua castidade poderá ser mantida para sempre e junto da causadora do problema parte em busca de um par o que torna as coisas ainda mais engraçadas.

Shinigami que não é Shinigami, mas sim cosplay e ainda tem espaço para anjo

A vida de Seiji só tende a piorar quando a sua parceira trapalhona escreve o nome de Hiyama Akane, uma yandere ao estilo Gasai Yuno que é amarradona pelo garoto e como se não bastassem os problemas, a guria ainda traça seu nome no caderno, o que resulta num cômico triângulo amoroso, ademais a mesma revela que ela não é um Shinigami, mas sim um anjo/cupido que tem como hobby o cosplay.

Um não é bom, dois piorou e três é pra acabar

Quando todos os problemas parecessem ser pequenos, eis que surge mais um, isto é, o satírico Kiss Note é roubado por ninguém menos que Kichougasaki Yuzu, irmã mais nova de Hiyama Akane e por quem a menina nutre um amor, adicionando assim um toque yuri a trama, porém nossa cúpido jamais se permitiria ver uma donzela apaixonada sem ser correspondida, então ela rabisca o nome de Yuzu no caderno o que traz ainda mais comidicidade.

Mas e aí é bom?

Bom seria pouco para definir esse primeiro episódio. É ótimo porque além de conseguir manter o que é proposto, ser uma comédia, Renai Boukun trabalha muito bem com as referências seja de forma direta com o Death Note, ou indireta com outros pontos como a transformação da Guri em anjo que lembra mais uma versão de Puella Magi Madoka Magica, Sailor Moon, Card Captor Sakura ou Pretty Cure, além disso, há as questões de termos usados entre os japoneses: yandere, yuri, boy love e o que mais vier a calhar, contudo o ponto mais alto do primeiro episódio é o esquema de usar contradições e equívocos para gerar as cenas engraçadas.

Contando com um elenco de renome que vai desde Kensho Ono (Kuroko No Basket) até Manami Numakura (a voz de Climber´s High! em Fuuka) e dirigido pelo estúdio EMT Squared, o mesmo de Kuma Miko e Nyanko Days, Renai Boukun é uma ótima pedida para quem deseja rir um pouco.

A abertura ficou a cargo do grupo de idols Wake Up, Girls! com a canção Koi? de Ai? De Boukun desu! E o encerramento “Suki” wo Oshiete é do duo smileY Inc.

ASSISTA NA CRUNCHYROLL