O Japão está desenvolvendo um programa de inteligência artificial (IA) que consegue escrever haiku (poesia japonesa) com base em imagens. Os pesquisadores visam melhorar como a tecnologia entende as emoções humanas.

Um grupo de pesquisadores e programadores liderados por Hidenori Kawamura, um professor de 44 anos da Universidade de Hokkaido, pretende criar uma IA que possa analisar várias poesias para gerar haiku sobre um tema ou cenário.

A Inteligência Artificial está aprendendo sobre obras escritas por poetas japoneses renomados, como Kobayashi Issa (1763-1827) e Masaoka Shiki (1867-1902). Além disso, ela tem analisado fotos tiradas por voluntários que tem ligação com tais poemas.

De acordo com o grupo, a IA verifica se as obras estão usando regras de estrutura e utilizando referências sazonais. O haiku é marcado pela utilização de sílabas e, tradicionalmente, usa palavras que descrevem a estação do ano em que é escrita.

A IA já conseguiu derrotar os melhores jogadores de go e shogi, definindo seus movimentos de acordo com cálculos matemáticos e probabilidade. Porém, isso não existe na poesia, não existe o certo ou o errado. Apenas 5% dos poemas fazem algum sentido, portanto, é difícil para o sistema julgar a qualidade do seu trabalho.

Kawamura disse que alguns haiku escritos pela IA tem recebido boas notas de especialistas, dando a ele a esperança de que algum dia o programa conseguirá se auto avaliar.