Anúncio

Tivemos a oportunidade de entrevistar a banda japonesa de rock e Visual Kei, XANVALA! A banda começou suas atividades no começo de 2020 e seu som combina vários elementos e influências, fazendo assim um trabalho diverso e fluido. O nome da banda, XANVALA (lê-se “zambara”), se refere a um “cabelo solto e bagunçado”.

Apesar da pandemia, eles deram seu jeito de permanecer em contato com seus ouvintes fazendo transmissões de shows sem público pelo canal no YouTube do selo PARAGUAS INC., do qual fazem parte e, recentemente, tem conseguido seguir suas atividades normalmente com eventos presenciais.

Quando essa entrevista está sendo publicada, XANVALA está prestes a lançar Seisen, o terceiro single da banda que contará com 4 faixas inéditas e com uma versão incluindo DVD da apresentação Curtain CallTOUR FINAL -shuumaku- que rolou no Takadanobaba AREA em agosto de 2021. Veja o MusicVideo da faixa-título, Seisen:


Como é nossa primeira entrevista, podem se apresentar?

Tatsumi: Sou Tatsumi nos vocais. Sou um entusiasta do Brasil.

Yuhma: Sou Yuhma, fico com a guitarra e a dança.

Anúncio

Souma: “Olá!”, sou o guitarrista, Souma. Obrigado por sempre estar apoiando.

70: está escrito “Setenta”, mas meu nome é Nao. Sou o baixista.

Tomoya: Sou o baterista, Tomoya. Amo vocês.

Para os nossos leitores que ainda não conhecem a banda, por onde vocês recomendam que eles comecem a ouvir XANVALA?

Tatsumi: “Janome”.

Yuhma: “Hidari mimi no akuma”.

Souma: “XANADU”.

70: “Seisen”.

Tomoya: “Dare ga tame no kofukuron”

Nem todas as faixas recomendadas já estão disponíveis no Spotify da banda, mas vocês podem dar uma olhada na nossa playlist.

XANVALA é sobre o quê? Que tipo de mensagem vocês querem transmitir com a banda?

Tatsumi: Tudo é sobre seguir em frente. Mesmo que você esteja fraco, coberto de feridas e cicatrizes ou se sentindo desencorajado, você tem que seguir em frente.

Souma: Nosso conceito é trazer coragem para sempre dar um passo adiante, não importa o quanto a situação seja hostil.

70: Provar que há beleza na desordem. Temos muitas músicas que se encaixam nisso.

Para conhecer vocês ainda melhor, que tipo de influências pessoais levaram vocês a formar a XANVALA?

70: Nada em particular, acredito que o destino nos juntou depois que nossas bandas anteriores acabaram.

Tomoya: Nossos backgrounds são bem diferentes, mas acho que isso é uma vantagem para nós.

Vocês começaram XANVALA pouco antes da pandemia de COVID-19 restringir as atividades de todos, mas vocês se adaptaram bem fazendo chats e streaming de shows. Como tem sido começar uma banda em meio a esse caos?

Souma: Ficamos perplexos e não sabíamos o que fazer no início, mas tínhamos consciência de que nossos fãs estavam esperando por nós então recorremos a várias maneiras de nos mostrarmos através de atividades online.

Tomoya: Não queríamos parar de forma alguma e, mesmo que estivéssemos tropeçando e hesitando, conseguimos trabalhar e permanecer proativos.

Vimos que vocês transmitiram alguns shows sem público no canal PARAGUAS no YouTube, como é se apresentar sem público? Os streams ajudaram vocês a se aproximarem do público nesse momento difícil?

Tatsumi: Eu sinto que conseguimos alcançar não apenas nossos fãs no Japão, mas também pessoas em outros países. Estou feliz por termos feito esses shows.

Souma: Colocamos atenção especial em fazer as apresentações como se todos estivessem assistindo de um assento especial na primeira fila. Recebemos muitas mensagens dizendo o quanto eles gostaram. Foi ótimo.

Tomoya: Muitas pessoas conheceram o XANVALA graças aos concertos sem público. Foi um ótimo resultado.

Como uma nova banda, que tipo de coisas vocês têm tido em mente enquanto compõe suas músicas até agora?

Souma: “Seria ótimo ter uma música como essa”. Tenho trabalhado com essa ideia todas as vezes.

Tomoya: Minha prioridade número 1 é a performance real ao vivo. Eu imagino toda a emoção e energia que a música pode trazer.

O MV de Seisen é realmente chocante, que tipo de tema você quer explorar neste lançamento?

Tatsumi: O tema é “Viver é uma luta”. Recentemente, tive plena consciência de como a vida é difícil. Essa é a razão por trás desse tema.

70: Essa música incorpora o atual espírito de luta de um novo XANVALA.

Muito obrigado por esta entrevista, por favor, deixe uma mensagem para nossos leitores e fãs brasileiros.

Tatsumi: Espero que um dia possamos nos apresentar na frente de vocês e possamos ouvir as vozes uns dos outros. Vamos ficar vivos até esse dia.

Yuhma: Eu amo a cultura brasileira, do samba e bossa nova ao futebol, churrasco, etc. Eu irei ao Brasil algum dia! “Até logo!

Souma: Com certeza iremos lá para te conhecer. Por favor, tome cuidado até lá. “Eu te amo!

70: Obrigado! Espero que possamos viajar para o lado oposto do Japão.

Tomoya: Nos encontraremos um dia durante uma turnê mundial. Por favor, mande o seu apoio para nós aí do outro lado do mundo!

XANVALA
Imagem Divulgação

LINKS

SPOTIFY

TWITTER

YOUTUBE

INSTAGRAM

Anúncio