Anúncio

Olá Sucolinos e Sucolinas! Pensaram que não teríamos as primeiras impressões de Appare-Ranman!, pois bem, felizmente teremos e é bem provável que vocês estejam cientes, mas por conta do COVID-19 ele foi um de muitos que sofreu com os adiamentos. O que nos resta é torcermos pelo bem estar das pessoas envolvidas em todos os projetos afetados.

Enfim, é com prazer que trago as primeiras impressões de uma das animações mais aguardadas da Temporada de Primavera 2020 e como eu havia comentando no termômetro da temporada rapidamente quais eram as minhas expectativas, não pude deixar – e com certo atraso – de expor.

Appare-Ranman: Muito além do comentário clichê da comparação com a Corrida Maluca

O que? Você acredita que o desenho animado da Corrida Maluca não possui certa comparação com o animê Appare-Ranman!? Sim e Não. Se formos comparar os carros e os personagens excêntricos, há certa semelhança no conceito. Pilotos excêntricos, carros extravagantes e um prêmio. Okay. Porém, o animê apresenta outro lado em que provavelmente vai te fazer abandonar a comparação clichê e esquecer-se do Dick Vigarista e seus amigos de corrida: O motivo dos personagens.

Sigam a linha. Appare-Ranman! – produção original da P.A.Works – com direção de Masakazu Hashimoto (Soul Eater Not! e Tari Tari) apresenta a grande aventura do engenhoso Sorano Appare e do espadachim Kosame e os motivos que os levam a se encontrar e descobrir a cultura que converge com a de seu país de origem.

Enquanto Appare sonha com a busca por novas descobertas e a crença na imensa conexão do mundo e do que há nele, Kosame busca apenas o comodismo e é aqui que temos um vislumbre do que diferencia a comparação clichê entre Corrida Maluca e Appare-Ranman!

Por mais que o propósito dos personagens de a Corrida Maluca seja a vitória, embora o próprio Dick Vigarista viva se auto-sabotando – há momentos em que ele está em primeiro lugar e quase vencendo a corrida, mas mesmo assim vira-se seu foco para criar armadilhas para os outros corredores – não há aqui motivos subjetivos na busca pela vitória, o que importa é correr.

Appare tem um motivo. Kosame terá um motivo. E os outros personagens terão um motivo. Lembrem-se: Motivo.

Literatura! Ah! A Literatura…

Eu não sei muitos dos leitores sabem, ou talvez eu já possa ter citado isso em alguma matéria, mas a minha maior paixão é a literatura, e ao ver que no primeiro episodio de Appare-Ranman o jovem Sorano tem como leitura a obra From the Earth To The Moon (Da Terra à Lua) do escritor francês Jules Verne também conhecido por obras como Journey to the Center of the Earth (Viagem ao Centro da Terra) e Twenty Thousand Leagues Under the Sea (Vinte Mil Léguas Submarinas) encheu meu coração de amor por essa animação. Não só a importância da menção do livro aqui é importante, mas o poder que ele teve sobre o personagem e isso em certa cena da animação fica evidente.

A corrida, redator! Não se esqueça de falar da corrida!

Desculpa gente, mas quando o assunto é Literatura eu sinceramente me torno falador e esqueço-me de outras coisas, mas vamos lá, a corrida.

Num primeiro momento e pode ser dizer nos dois minutos e cinquenta segundos de episódio, a pequena palhinha da corrida Trans-America Wild Race me chamou a atenção e eu senti certa emoção nessa cena que se tivesse ido além dos dez minutos ainda estaria sentindo, ademais, há uma boa fluidez na corrida.

O mundo além do Japão

Conforme temos progresso no episódio não se podem deixar de lado os motivos de Sorano, porém há aqui um ponto sobre a relação Japão em seu período antigo com outros países e a animação trabalha muito bem essa divergência de culturas, ou até mesmo a questão dos processos industriais que outros lugares adotaram. O Japão só adotou a industrialização e a modernização a partir de 1868 com o fim do Xogunato.

Então a surpresa dos personagens com uma cultura nova e em pleno processo de industrialização como a americana que ocorreu em 1840 é bem plausível e consequentemente aplica aquele toque de realidade ao que ocorre na animação.

Outro fator importante em Appare-Ranman é a bela trilha sonora que mescla elementos do blues, country, jazz e rock and roll. Percebe-se pelo trabalho dos envolvidos que ela foi bem arranjada e a animação não precisa nem comentar, porque o estúdio responsável é o tão conhecido P.A.Works e gente, impecável como sempre. Quem aí se lembra do IRODUKU: The World in Colors? Então, P.A.Works.

Enfim, Appare-Ranman! promete tudo o que entrega em seus PVs: carros extravagantes, pilotos excêntricos, contexto histórico, literatura, música, animação, enredo de qualidade, além claro, de uma espetacular abertura na voz da Mia Regina (I Got It) e encerramento por Showtaro Moribuko (I´m Nobody).