Anúncio

Ao no Flag, ou Blue Flag no inglês, é um mangá escrito e ilustrado por Kaito. Foi lançado em 2017 e terminou em 2020, com 8 volumes. 

No Japão, a série saiu pela Shounen Jump+, e no Brasil, a Panini começou a lançar este ano, em 2021. O lançamento é mensal e tem previsão de término em março de 2022. 

As complicadas paixões na adolescência 

Ichinose Taichi está no último ano do colegial. É mais retraído e não tem muitos amigos. No dia de conferir as salas, Taichi descobre que vai estudar junto novamente com um amigo de infância, Mita Touma. 

Touma é totalmente o oposto de Taichi. Pratica esportes, é comunicativo, expansivo e chama muita atenção. Taichi não sabe bem como lidar com essa reaproximação de Touma, enquanto este está bem feliz de poder estudar junto com o amigo.

O que Taichi não esperava era de se envolver com Kuze Futaba, uma garota tímida, desastrada e com problemas de socialização. 

Ele descobre que Futaba tem sentimentos pelo Touma e acaba pedindo ajuda para o Taichi, que decide ajudá-la depois de relutar um pouco. 

Anúncio

A partir deste momento, Taichi vai tentar ajudar Futaba, enquanto volta a se aproximar de Touma. Mas nada vai ser tão fácil quanto parece…

Um romance escolar um pouco diferente

Já é esperado que esse seja um romance escolar, mas no primeiro volume já há indícios que ele será um pouco diferente do que estamos acostumados. 

Não vamos nos aprofundar para não dar spoiler, mas é um refresco no meio de tantas histórias parecidas. Além disso, tem um ponto positivo por retratar a adolescência de uma forma mais realista — ao menos no primeiro volume.

Dá para ter uma ideia do que pode acontecer a partir do final deste volume, mas o que torna ele tão interessante é exatamente por não deixar totalmente claro. 

Parece ser aquela história que sempre vai te deixar ansioso para mais, pelo menos o primeiro volume foi assim. Se continuar nessa pegada, tenderá a ser uma série bastante atrativa. 

Personagens interessantes que fogem do esperado

Só considerando as aparências e o “papel” dos personagens na história, podemos ter uma pequena ideia de como eles serão. Depois de ler alguns romances colegiais, algumas coisas são esperadas.

Mas em Ao no Flag isso não acontece. Olhando só pelo design dos personagens, da capa, a impressão é uma, mas ao conhecermos eles melhor, a coisa muda de figura. 

Por exemplo, Taichi parece ser um personagem esquisitão — e isso ele é —, que não liga para nada. Mas o que muda é que ele parece se importar muito com a opinião alheia, e pode mudar todas as suas ações conforme o que lhe dizem. Além disso, é muito mais esquentadinho do que aparenta, ficando irritado com facilidade. 

Já Futaba dava a impressão de ser uma garota bastante tímida e frágil. Ela pode ser tímida, mas é uma personagem feminina forte. Com Touma ela acaba sendo mais retraída de início, por conta de seus sentimentos, mas com Taichi ela se impõe sempre que necessário. Mesmo vendo algo que parece impossível, ela não se rebaixa e vai para cima mesmo. 

Touma parecia aquele cara grandão, desengonçado, mas é atleta, popular e não parece ligar para a opinião dos outros. Ao longo do volume, ele vai impressionando com suas ações, sendo totalmente o oposto ao esperado. 

Cada personagem é diferente, mas cada um está lutando de alguma forma para sobreviver ao ensino médio. É impossível não se apegar a eles de cara, com todas as suas peculiaridades. Este início só nos deixa com mais vontade de conhecer melhor esses personagens. 

Vale a pena ler Ao no Flag?

O começo do volume é um pouco rápido demais e se torna confuso. Ainda não conhecemos muitos personagens e ficam soltando nomes, como se soubéssemos quem são essas pessoas. Mas isso é literalmente nas primeiras páginas.

Depois que começa a se acostumar e conhece todo mundo, a história se desenrola e começa a ficar mais interessante a cada página virada. 

Tem bons momentos de comédia, algumas doses de drama e tensão — no bom sentido da palavra — e uma ótima apresentação de trama. 

Os personagens são carismáticos e são bem trabalhados logo de cara. Muitas coisas não são ditas, mas sim mostradas, o que já ganha pontos. Se o restante da história seguir nesse ritmo, com certeza vai crescer positivamente.

Se você busca um romance colegial que não segue a fórmula tradicional, Ao no Flag pode te encantar. Não dá para saber como será até o fim da série, mas só pelo primeiro volume vale a pena dar uma conferida. 

Anúncio