Na edição de setembro da revista Elle, na qual Angelina Jolie está na capa para a promoção do filme Malévola 2: Dona do Mal, a atriz fala o quanto as mulheres são universalmente subjugadas e perseguidas sempre que elas buscam igualdade de gênero.

Na revista, Jolie fala como as mulheres são tratadas ao longo da história: “Mulheres poderiam ser acusadas de bruxaria por terem uma vida sexual independente, por falarem o que pensam sobre politica ou religião, ou por se vestirem de forma diferente. Talvez se tivesse vivido a algum tempo atrás, eu poderia ter sido queimada na fogueira simplesmente por ser eu mesma.” 

Ao falar sobre a sua personagem, Malévola, que foi incompreendida e tratada como vilã quando foi violada por um homem em quem confiava, Jolie falou que “‘Mulheres malvadas’ são apenas mulheres que estão cansadas de injustiça e abuso. Mulheres que se recusam a seguir regras e condutas por acreditarem não ser o melhor para si ou para suas famílias. Mulheres que não irão desistir de suas vozes e seus direitos, mesmo que o risco seja a morte, o aprisionamento ou rejeição por familiares ou por suas comunidades.”

No decorrer da matéria, Angelina Jolie fala sobre figuras históricas como Joana d’Arc, direitos humanos e punições em mulheres justificadas por um suposto “comportamento maléfico”. Por fim, Jolie espera que mais mulheres ao redor do mundo possam mudar e melhorar seus ideais, apesar do rótulo de malvadas, começando por suas filhas.

Confira a matéria na integra

Angelina Jolie está no elenco de Eternos, filme da Marvel que irá estrear no dia 6 de novembro de 2020.