Sony | A importância da música nos jogos

Anúncio

A Sony Interactive Entertainment (SIE), divulgou informações em seu Blog oficial a respeito de um dos elementos mais importantes, capaz de envolver os jogadores e formar vínculos que excedem uma relação apenas entre jogador e jogo: a música. Preocupada em oferecer uma experiência única e conectá-los cada vez mais em suas obras, a Sony apresentou alguns exemplos de como a criação é feita, através da participação dos próprios membros da equipe, demonstrando o interesse da marca em investir e incentivar esse setor. 

 “A música é uma ferramenta poderosa para aprimorar a experiência de um jogo e atrair os jogadores emocionalmente, para conectar o jogador com os personagens e a história, além de  ajudar a mergulhar o jogador naquele mundo.”

Encontrando a combinação perfeita

O processo começa com a supervisão dos líderes musicais da SIE, como o  gerente de música dos serviços criativos, Duncan Smith, e o gerente sênior de música criativa, Alex Hackford. Ambos trabalham juntos na PlayStation Studio para encontrar a música que melhor se encaixa no título, através dos experimentos e o estudo de narrativa, como o método usado recentemente  em  Ghost of Tsushima e Homem-Aranha: Miles Morales:

Em Ghost of Tsushima, os criadores tiveram como ponto de referência a música medieval japonesa. Porém, como não havia nada gravado, eles tiveram o desafio de encontrar a sinergia entre técnicas antigas e a composição moderna, para criar algo único e emocional que só uma boa trilha sonora oferece. 

Para Homem-Aranha: Miles Morales, o objetivo era pegar temas do jogo Homem-Aranha anterior e construir sobre eles, para tornar a história de Miles única. “Pegamos as músicas épicas e heróicas de John Paesano (Compositor do jogo anterior) e adicionamos vários elementos do hip-hop que fizeram Miles se sentir distinto, mas ainda parte do mesmo universo do jogo anterior”, diz Hackford.

“É um trabalho que você está aprendendo constantemente”, comenta Smith. Cada jogo requer uma atenção única aos elementos que constroem sua história, algo que costuma ser extremamente distinto, resultando em uma marcante trilha sonora exclusiva ao jogo em questão. “Atualmente, estou pulando de uma partitura dark em Returnal, para peças orquestrais que estão sendo preparadas para Horizon Forbidden West, além do trabalho em produções alegres para Sackboy. Então, dentro desses jogos, existem diferentes cenas e diferentes níveis que requerem diferentes tipos de música. É brilhantemente diversificado. ”

Anúncio

Fazer parte da equipe

Pela experiência em seus trabalhos, Hackford e Smith encorajam a Sony em priorizar a participação de colaboradores globais, já que não ficar restrito apenas aos estúdios da PlayStation é uma ótima maneira de encontrar os melhores talentos possíveis, para desenvolver música para seus títulos, como aconteceu nas canções originais em Death Stranding.“A promessa da Sony e a promessa do PlayStation sempre foi de que qualquer desenvolvedor em qualquer território deveria ser capaz de se valer de nossa experiência, porque é por isso que queremos aqui”.

Por fim, os dois desenvolvedores garantem que esperam continuar a expandir os limites da música para videogame por muito tempo, e dão conselhos para aqueles que desejam entrar no mundo da música para jogos:

“Existem muitos desenvolvedores menores que estão fazendo produtos interessantes que só precisam do suporte. Mostre para as pessoas do que você é capaz, não apenas o talento que você tem, mas a automotivação, a vontade e a disciplina, e que você aprendeu o software e os programas necessários. Saia e conheça pessoas, é assim que você terá a melhor chance de se conectar e encontrar seu caminho para esta indústria incrível”.

Confira mais detalhes no SIE.Blog

Anúncio