Anúncio

Durante o Anime Friends 2018, a Editora JBC lançou o aguardado volume de Little Witch Academia, com arte de Keisuke Sato e que vai complementar a coleção e o universo de quem acompanha as bruxinhas do Studio Trigger.

O mangá foi ganhando forma nas páginas da Shonen Ace (Editora Kadokawa) em 2017, e conta atualmente com dois volumes tanko publicados (três prometidos no total), sendo que o último saiu em 26 de junho no Japão.

 

Basta estender a mão, que vai começar a minha história…

Seguindo os mesmos moldes dos filmes e anime (disponível na Netflix), o mangá de Little Witch Academia acompanha Atsuko Kagari, ou simplesmente Akko, que se matriculou na Escola de Magia Luna Nova, conceituada instituição formadora de bruxas.

Porém, como uma boa Jornada do Heroi Infanto-Juvenil, ela não têm uma certa aptidão com magias logo de cara, mas sua força de vontade é que faz seguir seu caminho e conquistar seus objetivos.

Com grandes expectativas nesta nova vida e com desejo de se tornar uma bruxa como Shiny Chariot, a quem admira muito, ela passa por dificuldades que qualquer estudante já passou: decorar textos, ler livros, afazeres e deveres, esportes, etc. O que muda é com relação ao tema, todo dentro do contexto da bruxaria e das artes mágicas – atenção fãs de Harry Potter ^^ 

Animação vs Mangá

Não diria que o mangá seja uma adaptação do anime da Netflix, pois, assim como o próprio ilustrador diz, é uma obra complementar a das bruxinhas de Luna Nova, com capítulos e situações inéditas e que para quem já assistiu, vai se identificar com diversas passagens enquanto ler, e vai se lembrar de muita coisa que rolou na animação.

Para os estudantes de bruxaria de primeira viagem, Little Witch Academia é uma leitura leve, descontraída e se for seguir os mesmos caminhos de Akko, Lotte e Sucy da animação, será uma ótima pedida para quem busca este tipo de obra.

Little Witch Academia
Capa do primeiro volume da JBC de Little Witch Academia