No meio de tantos lançamentos bombásticos do mês, não é surpresa que você não tenha ouvido falar sobre Histórias Assustadoras para Contar No Escuro, um filme de terror que adaptou a antologia de contos de horror infantil de mesmo nome do autor Alvin Schwartz.

Com pouco espaço nas salas nacionais, o filme ganhou mais notoriedade nos últimos meses com o lançamento do trailer e o nome de um dos seus produtores, Guillermo del Toro, diretor famoso que ganhou o Oscar com o incrível A Forma da Água.

Histórias Assustadoras para Contar no Escuro

O filme, diferente do livro, não se trata de uma antologia, mas sim uma trama central que costura diferentes historietas de terror, suspense e ficção onde os personagens principais tentam sobreviver à uma entidade fantasmagórica.

Muitos dos críticos do filme saíram das salas decepcionados, esperando encontrar um filme de horror e fantasia mais maduro, coisa que a produção não é. Muito alinhado com o público original da série de livros, Histórias Assustadoras para Contar no Escuro remete bastante a um terror infantil-adolescente, similar ao que víamos na série televisa Goosebumps nos anos 90 e 2000. O filme é leve, sem se preocupar com enredos elaborados, o que é uma vantagem, já que ele conquista na nostalgia dos clássicos de terror das telinhas que assistíamos quando crianças.

Histórias Assustadoras para Contar no Escuro

Apesar disso tudo, o filme consegue assustar sim, os “monstros” são criativos, envolventes e fogem do lugar comum, nos deixando aflitos em várias situações. Além disso os protagonistas são bem interpretados por um elenco jovem e talentoso, apesar de não ter grandes destaques, eles convencem e entregam o esperado.

Com um fim que remete a uma continuação, a depender do sucesso do longa, a produção é agradável, divertida e envolvente para os fãs de terror. Mesmo assim, vale a pena comentar que ela não é uma obra prima que merece seu dinheiro ou tempo nas telonas, cabendo bem esperar chegar as plataformas de streaming.