Anúncio

Recentemente a Bandai Namco lançou One Punch Man: A Hero Nobody Knows, um jogo de ação e luta baseado na franquia One Punch Man, de ONE. O título está com legendas em PT-BR e demos uma golada nas primeiras horas do game. Vamos lá!

Vale lembrar que este é o primeiro jogo para consoles da franquia, e logo de cara já temos algo que foge um pouco dos jogos de luta tradicional. A Spike Chunsoft, desenvolvedora da série Danganronpa, inseriu alguns elementos de RPG em seu modo de história, com customização de personagens e incontáveis missões. Na primeira jogatina, a experiência é muito gratificante!

Faça sua inscrição na Academia de Heróis

Próximo ao que já vimos na webcomic, mangá e na série em anime, começamos o game customizando um personagem que entrará na Academia de Heróis. Ao contrário do que alguns pensaram, não temos o controle de Saitama no modo história; apensar dele estar presente em diversas missões de forma jogável.

No início, a customização é um pouco limitada, já que grande parte dos itens e acessórios temos que conseguir durante a jogatina. Basicamente, um AllStar, uma bermuda ou calça, e uns três modelos de camiseta, já são o suficiente para começar a salvar o mundo – ou pelo menos o bairro onde você mora.

Como na série, começamos no rank mais baixo dos heróis e conforme completamos missões, pontos de experiência e renome são ganhos, o que acaba permitindo a melhoria de stats, compra de novos golpes e a ascensão de sua influência e nível dentro da Academia de Heróis.

Apesar de termos um acompanhamento dos eventos da série, eles são imutáveis, ou seja, o jogo segue a linha cânon. De fato, o que você consegue fazer são as missões exclusivas do próprio jogo. Outro fator interessante é de que mesmo não sendo protagonista de certa ação contra um monstro, podemos ajudar os diversos heróis – mais poderosos, por sinal – na luta. Justificável!

É claro, conforme sua progressão no jogo e maior nível dentro da Academia, o teor das missões acaba aumentando, onde você passará de um simples herói da vizinhança para um renomado salvador da pátria.

One Punch Man A Hero Nobody Knows thumb

 

A Rivalidade no Modo Multiplayer

Confesso que ainda não me aventurei muito nos demais modos, já que tentei focar mais no desenvolvimento da trama para um melhor entendimento do conceito do jogo. Entretanto, acabei participando de algumas batalhas, seja no modo local ou multiplayer.

Para os mais aficionados de jogos de luta, One Punch Man: A Hero Nobody Knows traz um enfoque maior na diversão que na estratégia de combate, o que leva a jogabilidade propiciar alguns momentos frustrantes com o desbalanceio de personagens e resposta de comandos.

Com um sistema básico, é até fácil dominar o game em poucos minutos e com isso, partir para a porradaria (de até 3 x 3) contra outros usuários. Porém, pecando na fluidez, muitas vezes você se sente refém da falta de alternativas, trazendo um pouco do fator “sorte” à tona.

One Punch Man A Hero Nobody Knows
Trocando ideia com o Cavaleiro Sem Licença (Screenshot de Divulgação)

Diversão em primeiro lugar

Para quem busca um jogo de luta, One Punch Man: A Hero Nobody Knows acaba trazendo suas falhas, pelo menos nesta primeira impressão. Em decorrência disso, é um jogo mais indicado para os fãs da franquia, para quem busca ter o controle de seus personagens favoritos e ingressar na Academia de Heróis.

Com relação ao Modo História, ele se mostra divertido – pelo menos nas primeira horas – com missões simples de “eliminar o monstro” ou “entregar alguma coisa no outro bairro”. Vale a ressalva se esta receita se sustentará de forma bacana até o fim do jogo. Enquanto isso, continuo a jogar rumo a CLASSE S!