Anúncio

Gloria Grahame foi uma atriz norte americana que conquistou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante com o filme No Silêncio da Noite, mas que foi marcada não só pelos seus quatro casamentos, mas por ter se envolvido sexualmente com o filho de seu último ex marido Nicholas Ray, Anthony, com 13 anos na época.

Após todo esse escândalo ocorrido, sua vida é contada no novo filme Estrelas de Cinema Nunca Morrem, que traz um pouco de seus últimos dias e da pessoa que foi Gloria Grahame pós-carreira.

Estrelas de Cinema Nunca Morrem
Estrelas de Cinema Nunca Morrem (Pôster Divulgação)

Gloria Grahame

Toda a trama foca unicamente nela e seu romance com Peter Turner, papel de Jamie Bell. Todos os outros acontecimentos são deixados de lado para mostrar o conflito mental de Peter, debate entre a razão e a emoção quando se trata da sua relação com ela.

Jamie está bem na trama mas Annette Bening que vive Gloria Grahame no filme, é insuperável. Ela traz todo amor e arrogância que possivelmente a falecida atriz tinha, do glamour ao mediano social, ela passa perfeitamente essa aura de se achar a mulher mais desejável do mundo, com um toque de uma garota fofa e uma velha ignorante, a maravilha de tudo é que cativa a todos, mesmo parecendo ser a errada de tudo.

O desenvolvimento é crescente, aparenta ser monótono e sonolento em grande parte, contudo a atenção não é perdida pois a história te pega em uma reviravolta que explode sua cabeça e te coloca mais fundo do que parecia em tela, e faz com que o filme atinja seu objetivo e emociona no ponto certo.

Estrelas de Cinema Nunca Morrem
Estrelas de Cinema Nunca Morrem (Imagem Divulgação)

Ritmo

Mesmo que essa crescente da trama seja o ponto forte, ela também é o ponto fraco, a lentidão para chegar no ponto certo pode atrapalhar e muito a experiência – até fazer você bocejar.

Mesmo com a genialidade do elenco presente, não é possível prender o público cem por cento na trama e o desinteresse irá bater para aqueles que não forem pacientes, não a ponto de se levantar e ir embora, mas de chatear o desenvolvimento do romance que já estava nítido em tela.

O marco mais forte desse filme foi a fotografia, a produção feita foi algo fantástico, foi importante para a fraqueza inicial do roteiro, o jogo de luzes e cores é difícil de encontrar palavras para elogiar, foi responsável pela genialidade do filme e se fosse indicado ao Oscar, não seria nenhum absurdo.

Estrelas de Cinema Nunca Morrem
Estrelas de Cinema Nunca Morrem (Imagem Divulgação)

As Diferenças de Idade

O conjunto faz toda trama ser uma espécie de drama romântico que traz muitas questões no debate de diferenças de idade, a história de uma grande atriz pouco falada pelo seu talento e muito discutida pelas polêmicas criou uma nova Gloria Grahame, que está muito bem apresentada.

Pode-se questionar toda a trama desenvolvida lentamente, mas sua conclusão e produção é impecável e faz ser um filme ótimo para assistir mais de uma vez e se emocionar com um romance que vai além das aparências.