Anúncio

Dorei-ku The Animation é uma adaptação animada do mangá Doreiku: Boku to Nijuusannin no Dorei (Eu e Meus 23 Escravos) que foi publicado de 2012 a 2016, que estreou nesta Temporada de Primavera 2018. Confira nosso PRIMEIRO GOLE!

Ele foi criado por Shinichi Okada, um mangaka novo no ramo. Este foi o seu primeiro trabalho concluído, seguido de Inou Maze (2016-2018) e Weapon Geek, que ainda esta sendo serializado. O anime tem uma proposta interessante ao trabalhar a imaginação de um jeito bem peculiar.

dorei ku the animation
Dorei-ku The Animation (Pôster Divulgação)

Fantasiando o Real

Uma das coisas mais interessantes que não só os animes, mas que a ficção em geral pode nos oferecer é o exercício da imaginação sobre n coisas. Umas são mais óbvias: você pode criar mundos e universos do zero, poderes, magias, outros seres vivos, tudo que engloba o fantástico. Outras são mais sutis.

Em certos animes, como foi Kakegurui, você pode usar sua imaginação para criar uma situação hipotética sobre o mundo real e que no fim das contas você para e pensar “Okay, isso até que é plausível”. Esse é o caso de “Dorei-ku The Animation”

O que acontece é o seguinte: no Japão dos dias atuais, circula um dispositivo chamado SCM (Método de Controle de Escravos). O SCM se parece muito com um daqueles aparelhos de dente. Quando duas pessoas o usam e se enfrentam num desafio, o perdedor se torna o escravo de seu vencedor.

A sensação de responsabilidade é ampliada num nível tamanho que a pessoa se torna incapaz de recusar qualquer ordem de seu novo mestre, ou em outras palavras, aquele que perde, perde não só uma aposta, como seu próprio livre-arbítrio.

O anime tem girado em torno desses desafios até o momento, sendo tudo ainda um pouco inexato quem são os personagens centrais para a história. Ele ainda está se desenvolvendo.

dorei ku the animation
Dorei-ku The Animation (Pôster Divulgação)

O Mérito de Dorei-ku

Onde está o plausível nisso tudo? É o que vem depois do desafio. O mérito de Okada está em imaginar como age o desejo humano sobre o outro, uma vez que este está incapaz de decidir por si próprio. E isso chega a ir um pouco além da escravidão, pois mesmo que tudo o que gera a escravidão torne o cativo incapaz de se libertar, ele ainda tem a possibilidade de se rebelar. Alguém derrotado usando um SCM não pode fazer nem ao menos isso. Seu mestre pode ordenar que seu escravo se golpeie com toda a força e ele ainda assim o fará, com toda a força. Seu corpo não deseja aquilo, mas a mente afetada pelo SCM o fará querendo ou não.

Okada, portanto, faz um exercício imaginativo muito interessante de como funcionaria os desejos de pessoas normais como eu e você quando ganhassem poder completo sobre o outro. Ele traz para a superfície aquilo que está no fundo do fundo do humano.

O trailer (veja abaixo) de Dorei-ku conseguiu transmitir essa mensagem em poucos segundos, o que me causou um enorme interesse em assistir o anime. E por isso mesmo o recomendo fortemente.

Alguns já têm demonstrado preocupação em esse ser um novo Ousama Game, um anime transmitido na última temporada e que causou certa decepção por ser muito “edgy” e ter um final mal feito.

Eu digo que até o momento o anime não tem sido ruim, com uma direção, de Ryouichi Kuraya de boa qualidade, uma trilha sonora que combina com a tensão ocasional do anime e o enredo tem sido mais bem elaborado do que o de Ousama Game.

Se ele terá ou não um bom final, vejamos ao longo das semanas. Dorei-ku tem causado contínua curiosidade a cada semana e merece ser acompanhado.