Para os novos nessa onda de super heróis, os velhos leitores de quadrinhos sempre discutem possibilidades de novas adaptações, crossover entre editoras e se inspirar para criar novos heróis, uma dessas inspirações é o clássico Superman e sua discussão de quadrinho: Com todo esse poder, deve-se vê-lo como um herói ou uma ameaça?

Pois bem, a Sony Pictures fez exatamente isso, dentro do gênero terror e heróis, Brightburn será uma experiência diferente para os fãs de terror e uma maravilha de primeiro mundo para os leitores de quadrinhos.

A Queda do Herói

Sem surpresas, o filme desenvolve no terror do garoto que cai do espaço, mas só acontece quando ele cresce, ali se vê uma mensagem indireta para pais que não sabem cuidar de seus filhos, uma criança sem limites se torna difícil de criar e educar, cada vez mais ele se acha o reizinho da casa e não vê mais seus pais como autoridade, a falta de educação de uma criança não é culpa das escolas e sim dos pais, tanto que os mesmos percebem que precisam colocar limites para essa criança mal educada, mas o estrago já foi feito.

Em questão de personagens, esse filme é impecável, o protagonista é a ameaça do filme, Brandon Breyer não só migra de uma criança ingênua para um super vilão, como molda os próprios pais, o desespero da mãe se divide em dois sentimentos, seu amor de mãe pelo seu filho é algo lindo e cheio de fofura, até ela ligar os pontos e esse amor sumir e se transformar em medo, surtando com o que seu filho se tornou, o mesmo vale para o pai, que conseguiu um sentimento paterno, pois não esperava exercer essa função, e o mesmo passa pela transformação e começa a temer o garoto, mas com um jeito mais agressivo, querendo agir o quanto antes para matar a criança.

brightburn filho das trevas (2)
Brandon Breyer (Jackson A. Dunn) em Brightburn

Referências

Ainda têm a discussão nerd, tudo que esse filme representa, te remete aos quadrinhos lidos, a origem é basicamente uma cópia do próprio Superman, mas que resultou ao contrário, dessa vez não se têm o herói escoteiro que salva a humanidade, seu objetivo é tomar o mundo para si, após seu crescimento, ele se rebela e se torna a maior ameaça do planeta Terra, é algo incrível e tenebroso ao mesmo tempo, qualquer nerd leitor irá assistir esse filme como uma obra incrível de repaginação de quadrinho e, porque não, uma mudança nos padrões do terror.

Porém esse filme não é direcionado exclusivamente para nerds, Brightburn não têm dó de você e trabalha seus medos e agonias quanto a cenas forte de desmembramento, carnificina e qualquer lesão corporal explicitamente gore que farão alguns desviarem os olhares da tela ou imaginar a dor da vítima, o sangue foi uma grande jogada nesse filme, pois esconde os sustos clichês que acompanham a altíssimos sons no momento do mesmo, pois todos eles são da velha guarda de filmes de terror, se viu um, viu todos, e se não fosse pelo tema herói e cenas fortes, esse filme seria outra porcaria do terror moderno.

brightburn filho das trevas (2)

“Superman do quinto dos infernos”

Dizer que esse filme será um sucesso é uma aposta às cegas, pois ninguém dos novos fãs de heróis são envolvidos o bastante para conversar sobre esse assunto, discutir crossovers e outras coisas, pois usar filmes como critério para discutir mundo dos quadrinhos é completamente superficial, ou seja, esse filme pode conquistar pelo terror, colocar dentro do gênero de heróis é apenas para aproveitar essa moda de cultura nerd nos cinemas, claramente uma jogada de marketing que pode ser o grande truque de Brightburn ser uma bilheteria de sucesso, não se sabe se a massa popular ficou impactada com os trailers e se realmente irão aos cinemas, mas os nerds assistiram um trailer de Superman do quinto dos infernos, e isso é mais do que argumento para ver esse que pode ser a “redenção” do terror moderno nos cinemas.

REVIEW
Brightburn - Filho das Trevas
Artigo anteriorShows do BTS no Brasil geram mais de 2,8 milhões de Tweets
Próximo artigoAnime 7Seeds da Netflix ganha novo trailer
Baraldi
Editor, escritor, gamer e cinéfilo, aquele que troca sombra e água fresca por Netflix e x-burger. De boísta total sobre filmes e quadrinhos, pois nerd que é nerd, não recusa filme ruim. Vida longa e próspera e que a força esteja com vocês.