Artista resgata técnica centenária da Confeitaria Japonesa: Amezaiku

Anúncio

A Amezaiku, uma técnica de fazer doces que consiste na escultura de caramelo quente, quase já foi extinta. Agora essa arte está renascendo graças à dedicação de um artesão Tóquio, Shinri Tezuka.

Queimar os dedos é o preço como parte dessa arte da confeitaria de criar belos doces em forma de esculturas de açúcar. O caramelo derretido é aquecido a 90°C e moldado com as próprias mãos, sem qualquer tipo de luva de proteção. O artesão não tem nem mesmo tempo de se lamentar ao sentir o doce quente entrar em contato com sua pele, já que ele tem apenas alguns minutos para pegar um pedaço, colocar no espeto e moldar com o auxílio apenas de seus dedos queimados e pequenas tesouras para fazer pequenos cortes enquanto o caramelo se solidifica.

 

Diz-se que o doce tem origem por volta do século VIII e, durante a Era Edo os artesãos mostravam suas habilidades nas ruas para vender os doces, tornando-se assim uma forma de entretenimento das pessoas mais simples.

A técnica do amezaiku tem sido passada através das gerações, mas, como um elemento tradicional da subcultura, não há relatos literários com descrições detalhadas dos processos e as habilidades envolvidas.

Anúncio

O caramelo, conhecido como mizuame (“doce de água”), é tradicionalmente feito com arroz glutinoso misturado com açúcar. Quando pronta, a massa ganha um pouco de corante para colorir e para fazer pequenos detalhes. Dependendo do artista, o resultado pode ser algo cartunesco com detalhes em marzipã ou um doce realístico que parece uma escultura de vidro. No final, o doce é espremido com uma faca para se ter certeza de que está no ponto correto.

Shinri Tezuka tem duas lojas em Tóquio, vendendo uma grande seleção de amezaikus, assim como alguns de edição limitada. Além disso, você pode observar a técnica sendo apresentada em uma loja, enquanto na outra o artesão oferece oficinas para perpetuar a técnica.

Crocante e doce, o amezaiku é uma verdadeira obra de arte da confeitaria tradicional japonesa e merece toda a admiração e o valor que é pago.

Essa década tem havido uma tentativa de resgate de técnicas artesanais antigas japonesas por parte dos mais jovens. Eles buscam utilizar as técnicas antigas e criar coisas sob uma nova visão, atraindo assim mais jovens para esse mundo tão magnífico do artesanato japonês.

Anúncio