Anúncio

Confira agora o REVIEW da primeira temporada de High School DxD, animação baseada na light novel de Ichiei Ishibumi e Miyama-Zero.

Aprendendo a ser demônio!

Os primeiros momentos do anime mostram como Issei acaba se resolvendo com o Clube de Ocultismo, onde a ruiva Rias é a responsável por liderar toda a galera com ajuda de Akeno, Koneko e Kiba.

Lá, Issei aprende a desenvolver alguns poderes, menos o de teletransporte. Sem isso, quando algum humano acaba pedindo por seus serviços, ele acaba indo de bicicleta, este, um dos momentos mais engraçados da série.

Outro núcleo da série, é quanto a relação de Issei e seus pais com a chegada de Rias, que acaba indo morar com ele. Algumas cenas lembram Onegai Teacher!

Como dito na sinopse, nada foi por acaso Issei voltar a vida como demônio, isto pois ele possui um poder interno poderoso, o Sacred Gear, que quando ativado, libera o poder de um dragão capaz de destruir até mesmo um deus, mas como o garoto é desastrado e mal-treinado, ele acaba muitas vezes sendo salvo pelas meninas do clã que ajudando-as.

Anjos x Demônios x Anjos Caídos

No momento em que Issei-san começa a aprender a manipular seu Sacred Gear e agir como um membro do Clã Gremory, é que a série começa a engrenar em sua trama.

A trama é até que padrão, onde o equilíbrio do mundo está no poder da igreja, dos demônios e dos que estão em cima do muro, os anjos caídos.

Nesta primeira temporada – a segunda é de 2013 – temos uma leve abordagem inicial da briga entre demônios e igreja, onde a tímida e inocente Asia Argento nos é apresentada, porém, a trama principal de High School DxD é com a briga de famílias e egos entre demônios.

Interessante notar que o clã liderado por Rias são os bonzinhos da história, mas né, são demônios! ehehe

Não esquecendo de citar os Anjos Caídos – pouco explorados nesta primeira temporada – são os anjos que deixaram ‘cair em tentação’ por desejos e começaram a ter ambições próprias.

O Clã / O Clube / O Xadrez

A cereja do bolo da série é a analogia do grupo de Rias com as peças de xadrez. Quando uma família de demônios entra em conflito com outra, elas não “brigam” e sim, “jogam”!

Para melhor exemplificar, veja só:

Hyoudou Issei
O protagonista de High School DxD é o Peão do tabuleiro que possui um grande poder não desperto dentro de si. Com o Sacred Gear ativado, ele consegue um poder descomunal por cerca de 10 segundos; O que faz com que ele possa se tornar o REI por alguns momentos!

Rias Gremory
A líder do clã e presidente clube de ocultismo é um dos demônios mais poderosos existentes e seria a peça Rei do tabuleiro. Ruiva e com grandes seios – o que fez Issei se “aproximar” ainda mais dela – faz o par quase romântico com o protagonista.

Akeno Himejima
A Rainha do tabuleiro e a segunda em comando do Clã Gremory, assim como Rias, é uma das garotas mais bonitas e populares da escola – talvez a que mais desperte desejo entre os amigos de Issei – e utiliza de modo sádico seus ataques com energia elétrica.

Koneko Tojo
É a garota “Ayanami” da turma e simboliza a Torre dentro do clã. Apesar de esnobar Issei, é uma garota super-protetora e com uma força descomunal, apesar de sua aparência pequena e frágil.

Yuto Kiba
O único homem – junto com Issei – dentro do clã, faz o papel do Cavalo/Cavaleiro dentro do tabuleiro. Especialista em espadas, é capaz de criar, moldar do jeito que precisar para vencer seu inimigo

Asia Argento
A mais tímida e inocente dentre as garotas, era da igreja e morava em um convento. Após conhecer Issei, viu que a vida não era apenas de reza e solidão e resolveu se envolver mais com o clube de Rias, se convertendo para uma demônio. É a Bispo e especialista em curas.

Entre lutas e peitos…

Não que a série se resuma a isso, mas o plot apresentado poderia ser muito mais bem trabalhado para um roteiro ainda melhor. Os fatos e arcos são rápidos e dinâmicos, mas há momentos onde a superficialidade comanda.

A série começa com uma dose mais humorística, passa pelo harém e termina muito bem com lutas e cena de ação. A saga e jogo do clã Gremory x Phenex é bem bacana, com estratagemas das garotas, com seus poderes indo além dos limites e claro, com roupas rasgando pra lá e pra cá.

Então, o que quero dizer é mais ou menos isso: Se a trama não é tão elaborada assim, poderiam investir mais em combates e cenas de ação, e claro, pra não descaracterizar os tons ecchi, colocar as cenas picantes dentro de um contexto mais “aceitável”.

Outro ponto interessante é com o principal Hyoudou Issei. Diferente de muitos personagens de harém – e já citado em um dos nossos Top Suco Tarados – ele não tem alergia a garotas, seu nariz sangra depois de tocar e não somente ver e almeja ser o ‘Harem King’. É interessante essa atitude do personagem e de uma certa quebra de paradigmas de muitos animes que se vê por aí.

As garotas possuem os traços característicos de Harem – a explosiva, a tarada, a inocente, a tímida – mas Rias Gremory e todo seu cabelo vermelho dá um tchã a mais com sua personalidade. Uma das coisas que a série ficou devendo, foi a relação de Issei e Rias que poderia ser mais explorada.

Quem deve assistir?

Está familiarizado com animes Ecchi? Então assista que é diversão na certa – sendo melhor que a grande maioria deles. Se você não é tão fã assim – e se leu o texto do SUCO até aqui – já deve ter uma noção do que esperar não é?

A trama é boa mas não tão bem aplicada assim. As batalhas são bacanas, principalmente quando Issei desperta seu Sacred Gear. Algumas referências com o ocultismo, anjos caídos e como funciona a invocação de um demônio, o pacto de sangue também são alguns fatores que deixam a série mais rica.

Se você está na dúvida e for assistir, já assista “querendo mais” pois, já tem a segunda temporada também! Então depois de ver estes demônios, anjos, anjos caídos, dragões e deuses sendo tratados um pouco “superficialmente”, é possível que algum desses núcleos possa ser mais bem explorados.

Se você gosta de Ecchi, ação, ocultismo, demônios, peitos e XADREZ, a série é perfeita e foi feita para você!

Da questão técnica e principalmente da trilha sonora!

A série foi produzida pela TNK, com direção de Tetsuya Yanagisawa e roteiro de Takao Yoshioka e, além destes 12 episódios, possui mais 2 OVA’s que intercalam entre a primeira e segunda temporada. Além disso, saiu 6 episódios especiais que, assim como a segunda temporada, vai estar presente nas review aqui do site!

A primeira temporada foi uma adaptação dos 2 primeiros volumes do Light Novel escrito por Ichiei Ishibumi, e que já possui 15 lançados até o momento e 4 volumes de mangá também em andamento.

Quanto a questão de efeitos e character design, não tem muito o que dizer e segue um padrão que lembra até alguns shonens da vida – repare em Hyoudou por exemplo. Os cenários não fogem do comum e o que mais sobressai são os selos de poder que as garotas utilizam quando lutam.

O que mais chama a atenção na série é a música e sua trilha sonora. A abertura fica a cargo da música ‘Trip -Innocent of D-‘  do gupo de J-Pop Larval Stage Planning e o encerramento é ‘StudyXStudy’ por StylipS. Pra quem gosta de temas neo-classicos ou de trabalhos que a Konami faz com a série ‘Castlevania‘, High School DxD é um prato cheio da música renascentista/góticaestarei listando algumas no final do review.

Outro fator muito interessante e relacionado com o som é o cast de seiyuu/dublagem. A voz por trás de Rias Gremory é nada mais nada menos que Yoko Hikasa, uma das vozes mais importantes da atualidade e dona de interpretações fantásticas com Mio de K-On, Erica Blandelli de Campione! e Kirigi de Danganronpa.

Julgando

High School DxD é um ótimo anime ecchi e como de ação, um anime mediano. Dinâmico, rápido e sem frescuras, a trama corre bem quando foge do ‘fanservice’ da vida ou do cotidiano escolar. O final da primeira temporada deixa um gancho para uma segunda – e que rolou em 2013 – e que se continuar neste ritmo, pode se estender para quatro temporadas ou mais!

*ps: Seria uma ótima e digna série de HBO! 😉