HaruChika / Haruta to Chika wa Seishun Suru / Haruchika: Haruta & Chika
P.A. Works
Slice of Life – Escolar
Janeiro – Março, 2016
12 Episódios

Haruchika – Haruta to Chika wa Seishun Suru, traduzido como algo como “Haruta e Chika sendo jovens” e chamado comumente apenas de Haruchika, é uma série de anime em 12 episódios do estúdio P.A. Works (Red Data Girl) que tem como temática principal a história de Haruta e Chika, dois jovens do ensino médio que são amigos de infância. Sendo um slice-of-life, essa “história” não é nada muito complexo: eles estão no mesmo clube na escola, que é um clube de instrumentos de sopro, e como Haruta é um pequeno garoto genial, volta e meia surgem problemas e mistérios para ele resolver. Ele resolve porque é genial assim, e aí surgem histórias complicadas e brigas que sua amiga Chika ajuda a resolver. No meio de tudo isso surgem jovens estudantes, que um a um vão se juntando a eles no clube, tornando se amigos e se fortalecendo juntos como grupo e como pessoas.

Sim, é tão fofinho quanto soa.

Nossos protagonistas ou personagens-título, os amigos de infância Haruta e Chika, não tem absolutamente nada a ver um com o outro. Haruta é sério e inteligente, e Chika é energética e desajeitada. Apesar dessas diferenças, eles compartilham o que consideram uma “maldição”: os dois são apaixonados pela mesma pessoa, o professor Kusakabe, conselheiro do clube de música. O mais desavisado pode estar se perguntando agora se Haruchika é um yaoi. Não, não é um yaoi, é apenas um anime com um garoto que tem um crush no seu professor, o que vai muito de encontro com a questão da representatividade que muito – bem trouxe o Diego do blog É Só Um Desenho. Pois Haruchika é um anime que tem representatividade. Haruta é um garoto incrível, inteligente; não sabemos se ele é ou não homossexual (ou bi-, pan-,…) mas sabemos que ele tem um crush no seu professor, e um dos seus dilemas durante a série é se ele deve se declarar para ele ou não.

Haruchika é meio que o tempo todo um anime assim: de pequenos momentos. Meio semelhantemente ao que eu disse anteriormente sobre Tamako Market, aliás, Haruchika não é bem um anime que tem uma história, mas sim alguns eixos, morais e temas. Amigos de infância e romance são apenas alguns dos temas. E Haruchika tem, sim, vários temas interessantes. Tem representatividade, família, até mesmo temas pesados como suicídio, mas tudo é tocado de forma muito delicada para que o anime não perca a leveza da sua forma. É definitivamente um anime leve na sua apresentação, é episódico, mas isso não o impede de ter temas pesados, especialmente para os jovens. Nesse sentido, considero Haruchika um anime bem “jovem” – para o público adolescente, mesmo, e bem contemporâneo.

haruchika poster 1
HaruChika (Imagem Divulgação)

Tem, também, várias histórias de vida.

Para quem já assistiu séries como Bartender e Shigofumi (e desculpa se minhas referências forem velhas demais… que tal Death Parade?), não deve achar muito estranho o rumo da prosa: em cada episódio descobrimos a história de um determinado personagem novo, os protagonistas Haruta e Chika o ajudam a superar um dilema ou – mais comumente – resolver um mistério, com a ajuda dos super poderes de dedução de Haruta, e depois disso o personagem se une a eles. O anime segue assim até o final, e cada um dos personagens vai se juntando à banda do clube. Novamente, tudo é muito jovem e de fácil identificação, acredito, para os adolescentes de hoje. Todos são personagens sensíveis, empáticos e humanos, com personalidades bem delimitadas. O rapaz cuja família queria se refugiar da sociedade, mas não tanto, por exemplo, tem algumas falas profundas e o Haruta nota que “ele pensa em coisas complicadas”. O ponto é que todos são especiais e carismáticos, e ao mesmo tempo identificáveis.

É assim, de pequenos momentos de paz e inspiração, que consiste Haruchika. É super especial? Original, inventivo…? Não. Mas tem temas interessantes, e é gostoso de ver, se não extremamente pacífico, até meio entediante. Não é a toa que a serie foi chamado de “Hyouka + Hibike Euphonium da P A. Works”, porque é bem isso mesmo. Você tem o clube de instrumentos de sopro, mistérios e muita paz. Sim, Haruchika é uma daquelas séries que são ótimas para trazerem uma paz de espírito ao espectador, porque ela tem mensagens muito positivas e até mesmo reflexivas nas suas histórias. Por exemplo, me vem à mente a frase do “quando você se cansar, procure mudar a forma pela qual você olha para o sol”, que foi uma recomendação dada a uma garota depressiva, e que volta e meia tem vindo à minha mente. É uma frase tão simples, mas tão inspiradora.

Simples, delicada e inspiradora. 

Bem como a série toda. Simples, delicada, inspiradora. Não tenho mesmo muitas coisas a falar, apenas dizer que eu curti demais a experiência de assistir esse anime, é bem meu estilo e eu recomendo para quem gostou de outras séries que recomendei aqui, como Tamako Market, Hyouka, Hibike Euphonium, e outros slice-of-life fofos assim (que super fazem meu tipo, aparentemente! ^_^;). A comédia da série se dá basicamente por conta das loucas peripécias da Chika. Na minha opinião, a abertura e o encerramento, muito felizinhos, também são grudentos. Ou pelo menos eu fiquei com eles na cabeça por muito tempo.

É aquela coisa: não dá para dizer que Haruchika é “especial”, porque não tem toda essa pretensão, nunca. Mas os temas tratados são especiais, tudo é muito fofo e delicado, e para quem gosta, é um prato cheio. Em conclusão, eu adorei assistir Haruchika, e para quem gosta de anime levinho de slice-of-life: recomendo fortemente!

haruchika poster 2
HaruChika (Imagem Divulgação)