Anúncio

Existem duas certezas na vida: uma é a morte, a outra é, se uma história faz sucesso, rapidamente ela se torna uma franquia infinita até começar a fracassar e o lucro cair.

Isso vale para, filmes, séries, livros e animes, maior prova disso é Dragon Ball, para a nova geração, Dragon Ball Super é um sucesso, para alguns da velha guarda, não é a mesma coisa.

Pode-se dizer então que o anime precisa encontrar um denominador comum para juntar ambas as gerações e fazê-las concordarem que Dragon Ball não têm falhas, e parece que eles encontraram um ponto, só não acertaram em cheio, mas cumpre seu papel.

Sem grandes surpresas

Dragon Ball Super: Broly não possui grandes surpresas, algo que foi visto no trailer foi com certeza o grande ponto para esse filme ser um sucesso, a mesclagem de velhos pontos do anime com as novas adaptações do Dragon Ball Super.

A essência do anime sempre foi uma só, porradaria épica e sem limites para superação de força, golpes além do poder de luta e vilões que impactam por sua crueldade ou força, nesse caso fomos agraciados com uma enorme referência que leva o nome do filme, o lendário super saiyajin Broly volta da mesma maneira que a velha geração o conheceu, sem escrúpulo nenhum, Broly cai na porrada com Vegeta e Goku, uma batalha completamente extrapolada e de explodir a cabeça de tão épico que é, não poderia ser diferente quando se trata de Dragon Ball, mudar seu DNA que consagrou seu sucesso seria um tiro no pé.

A origem de Broly é algo que é construído de forma apressada mas muito bem absorvida, mantendo quase que tudo do que já foi mostrado do personagem, entender que ele é um homem das cavernas que possui a habilidade de falar te faz entender mais ainda o descontrole de Broly em todo o universo Dragon Ball, esse filme não só respeitou o personagem como colocou mais uma vez Broly como o sayajin mais forte de todo o universo, até mais que o próprio Goku, fanáticos podem odiar essa exclamação, mas as provas foram mostradas no filme.

Nostalgia vem à tona

Chamar essa produção de perfeita é plausível pela nostalgia e por toda a maravilha do universo Dragon Ball, mas que mais uma vez fez um filme fraco em história, desenvolvimento jogado barranco abaixo para fazer tudo para a batalha final acontecer o quanto antes, um atropelo que faz o filme de Bardock ser esquecido, e isso é muito triste, pois seja ele grandioso ou não, o filme do pai do Goku é o melhor desenvolvimento de um personagem fora do arco principal, um spin off que respeita a origem de um nome pouco falado em Dragon Ball mas que muitos defende.

Dragon Ball Super: Broly deve ser assistido como um filme fora do arco, senão ele cospe na cara de todos os outros filmes já feitos que podem ter algum anexo a história que corre a trama desse filme. A

ntes fosse esse o maior problema do filme, todos os filmes do universo Dragon Ball possui um defeito que incomoda muito aqueles que gostam de um boa história, um final sem pé nem cabeça, completamente enfiado à força para dizer que o filme acabou, mas dessa vez eles provaram que o pior pode sempre acontecer, não só forçaram uma situação completamente absurda como ficou aberto para que Broly possa aparecer em mais um filme ou até nos novos episódios de Dragon Ball Super, mas fazer o que, franquia é isso, não importa ter uma boa história, só importa as cifras crescendo ainda mais.

Lutas épicas! 

Para os fãs de Dragon Ball, nostalgia e lutas épicas não irão faltar, um prato cheio para os novos e velhos fãs do anime, sem roteiro, sem anexo, desrespeitando uma boa parte do que já foi apresentado nesse universo e com um final totalmente aleatório, mas que remete exatamente o que é o Dragon Ball.

Com traços antigos só para trazer fãs velhos, Dragon Ball Super: Broly é mais um filme de Dragon Ball que não impressiona, mas impacta igual o anime, além de respeitar um dos personagem mais fortes de todo o universo de animes.