Em 2003 era lançado uma paródia de 007 que fez muitos chorarem de rir, o sucesso foi tanto que uma sequência foi lançada em 2011, e seguiu divertindo mais uma vez.

Agora em 2018, mais precisamente em 1° de novembro, chega nos cinemas Johnny English 3.0, filme que não se arrisca em roteiro ou arco do história diferenciado, tenta algumas piadas na era moderna, porém se mantém no mesmo padrão dos antigos filmes da franquia, e mesmo assim cumpri o papel de arrancar boas risadas de qualquer um, principalmente por causa do incontestável talento de Rowan Atkinson.

Johnny está de volta!

Um filme com uma ideia bem interessante e ao mesmo tempo preguiçosa, a história traz de volta Johnny English à ativa para mais uma missão, dessa vez com apetrechos mais modernos, os quais ele recusa, um espião da velha guarda que rejeita smartphones e carros híbridos, traz de volta os velhos truques antes enterrados na década de oitenta, um clichê já utilizado por alguns filmes, onde o nascido antes de 1990 têm que se adaptar a velocidade, tecnologia e costumes modernos.

Independente de um padrão já conhecido, essa temática funciona acima da média para um roteiro nada inovador, mas dentro do alívio cômico, seu desenvolvimento nem foi percebido, pois a base é o humor e ele consegue atingir o nível de diversão sem precisar ser extrapolado ou sátiro, a escalada da piada é realizada em poucos segundos, e já parte para outra, sem ser algo forçado, porém não significa que todas são engraçadas, mas passam despercebidas sem desgastar quem está assistindo.

Porém o alívio cômico não é o único detalhe que salva o filme, o tão amado Atkinson é unanimidade quando se fala de humor, o velho Johnny English carrega o filme no bolso, um dos últimos humoristas da velha guarda que sabe se adaptar ao mundo moderno, sem piadas de humor negro ou ofensivas a minorias, Rowan Atkinson traz de volta um de seus personagens mais engraçados, depois de Mr, Bean, e o coloca em tela em pleno 2018 para mais uma vez arrancar risadas do público.

Johnny English 3.0
Johnny English 3.0 (Imagem Divulgação)

Sequências 

A estratégia dos estúdios é nítida e inteligente, como dito, o filme não têm grandes surpresas ou algo inovador, com o terceiro filme da franquia em cartaz em 2018, a ideia é esticar os lançamentos para que não pareça uma franquia Velozes e Furiosos ou Transformers, entregar o mesmo tipo de filme em inúmeras sequências chega a prejudicar a bilheteria e até o que um dia foi um bom filme que se tornou franquia, Johnny English difere bastante, pois a distância de cada filme está entre sete a oito anos de diferença, e por ser uma franquia que ainda não decepcionou, Johnny English 3.0 tem tudo para ser um sucesso.

Também deve se destacar que essa franquia não é uma grande procura da massa, mas pela lembrança do que já foi visto de Johnny English, e de Atkinson ser lembrado como Mr. Bean, certamente o público irá abraçar a ideia desse terceiro filme, com certeza com o primeiro pensamento: “Olha! É o Mr. Bean, esse filme deve ser engraçado”, a fama do ator o precede, e quase que certeza que o sucesso virá por seu talento humorístico.

 

O Maior Espião de Todos os Tempos

Rowan Atkinson não desce de seu pedestal de humorista mais amado do cinema, traz de volta um personagem engraçado e quase que tão habilidoso quanto James Bond, Johnny English é o velho mais novo vilão dos cinemas o qual todos devem assistir e rir mais uma vez em uma missão que sai tudo errado e ela é cumprida, pelo maior pior espião de todos os tempos.