Na última sexta-feira (28), na cidade de São Paulo, o SUCO esteve em peso para a apresentação do Nightwish com a turnê Decades, onde executaram músicas que englobam os 20 anos de banda!

O espetáculo daquela noite também contou com os holandeses do Delain, formado pelo tecladista Martijn Westerholt, que iniciou sua trajetória musical no Within Temptation (que também gosto muito) e gravando o clássico Mother Earth.

We Are The Others

Com um show mais enxuto e prometendo voltar no ano que vem, o Delain apresentou de forma impecável músicas de seu último álbum de estúdio, Moonbathers, de 2016, seguindo mais ou menos a ordem do DVD e álbum ao vivo “A Decade of Delain – Live at Paradiso”. Sim, foi uma noite de décadas! haha

Além dos mais recentes sucessos, o grupo executou músicas dos álbuns anteriores, porém, NENHUMA do meu álbum preferido, o debut da banda, “Lucidity”, lançado em 2006. Ok, encaro como um convite para o show completo do ano que vem, datado para Maio e com a participação da banda Vuur, da querida e ícone holandês, Anneke Van Giesbergen.

A banda mostrou-se entrosada, mesmo com a recente entrada do jovem baterista Joey de Boer (do Purest of Pain) e o destaque instrumental ficara por conta da dupla de guitarristas Timo Somers com suas OITO CORDAS e a cativante Merel Bechtold (que também toca no Purest of Pain e no Mayan), que “pulava” de lá pra cá no palco.

Charlotte Wessels, ahhhh Charlotte. É incrível sua evolução de 10 anos pra cá, melhorando sua impostação e interpretação vocal a cada ano que passa. Com destaque a “Hurricane” e “We Are The Others”, esta última que sempre me emociono ao ouvir, já que fora baseada no caso de Sophie Lancaster, jovem assassinada por simplesmente se vestir de “gótica” – saiba sobre o caso AQUI.

Com exatamente uma hora de palco, o Delain mostrou seu trabalho para os que ainda não o conheciam, o que não eram poucos naquele Tom Brasil lotadão. Voltem sempre! <3 

The Greatest Show of the Night

Foi às 22h em ponto que os finlandeses entraram em palco, tomados de uma energia nostálgica e como o próprio Troy Donockley enfatizou: embarcamos numa máquina do tempo!

E assim o show inicia com uma bela introdução e instrumental de “Swanheart”, do clássico – e meu preferido – álbum Oceanborn, de 1998. A partir daí, seguiram-se 19 “tiros” no coração de todos os fãs ali presentes. Passando por sucessos radiofônicos como “Wish I Had An Angel”, “Nemo”, “Amaranth” e o mais recente single da banda, “Elan”, o Nightwish intercalou seu repertório mais pesado com o sentimental.

O setlist de duas horas veio recheado de músicas que há muito tempo não tocavam, como “Devil & The Deep Dark Ocean” ou “10th Man Down”; além das antiguíssimas “Elvenpath” e  “The Carpenter”, ambas do primeiro álbum da banda, “Angels Fall First”.

Com uma cozinha eloquente formada pelo experiência e técnico Kai Hahto (ex-Wintersun, ex-Swallow The Sun) na bateria e o queridão papai-noel Marco Hietala, dão aquele corpo necessário para o guitarrista Emmpu Vuorinen groovar sem nenhuma preocupação e claro, para a imaginativa sinfonia do Mago, Tuomas Holopainen, líder e principal compositor da banda mostrar o porquê o Nightwish é um dos grandes nomes do Metal Mundial.

Após a banda passar por dois momentos conturbados com a saída de Tarja e Anette Olzon, Floor Jansen (ex-After Forever), definitivamente, veio para ficar – #oremos. Sem nenhuma dúvida, é uma das maiores vozes do rock/metal da atualidade, com uma gama incrível de timbres e agora, no auge de sua carreira, conseguindo manter uma afinação de alto nível por toda a extensão do show. De fato, que mulherão!

Destaco três momentos: a perfeita execução de “Dead Boy’s Poem”, levando o público a uma choradeira sem precedentes; “The Greatest Show On Earth” pela primeira vez sendo executada em solo nacional, já que não havia rolado no Rock In Rio em 2015 – e nos dar o prazer de cantar em coro o trecho da música “We Are Here”; e por fim, como esperado, a mais épica epopeia musical da banda, “Ghost Love Score”, fechando o set com grande magia e primor.

Estaremos também, nos seguintes eventos:

Fotos por Japoneiz
Edição por BELLAN

DELAIN

Delain – setlist:
“Hands of Gold”
“Suckerpunch”
“The Glory and the Scum”
“The Hurricane”
“Sing to Me (com Marco Hietala)”
“Fire with Fire”
“Mother Machine”
“Don’t Let Go”
“We Are the Others”

NIGHTWISH

Nightwish – setlist:
“Swanheart (Intro)”
“End of All Hope”
“Wish I Had an Angel”
“10th Man Down”
“Come Cover Me”
“Gethsemane”
“Élan”
“Sacrament of Wilderness”
“Deep Silent Complete”
“Dead Boy’s Poem”
“Elvenjig”
“Elvenpath”
“I Want My Tears Back”
“Amaranth”
“The Carpenter”
“The Kinslayer”
“Devil & the Deep Dark Ocean”
“Nemo”
“Slaying the Dreamer”
“The Greatest Show on Earth”
“Ghost Love Score”