Do estúdio White Fox, mesmo estúdio do primeiro S;G lá de 2011, Steins;Gate 0 chegou ao fim, com o total de 23 episódios.

A adaptação da visual novel de mesmo nome foi dirigida pelo Kawamura Kenichi, que trabalhou em animes como Black Lagoon, mas não é o mesmo diretor da primeira adaptação de Steins;Gate. Começou a ser exibido no começo da Temporada de Primavera 2018, em abril, e terminou no final de setembro.

Steins;Gate 0 possui uma série de mangás, pela Young Ace, mas se origina de uma visual novel, lançada em 2015, pela mesma empresa da primeira visual novel, a 5pb.

Steins;Gate 0
Steins;Gate 0 (Imagem Divulgação)

Para quem não conhece Steins;Gate

Para situar quem não conhece Steins;Gate, o anime conta a história de grupo de amigos, Okabe Rintarou, Shiina Mayuri e Hashida Itaru, que sempre se encontram no “quarto” que Okabe aluga, o qual ele apelidou de “Laboratório de Dispositivos Futuristas”, que fica em Akihabara.

Okabe e Daru (apelido de Hashida), constroem uma máquina com seu micro-ondas, chamada “Micro-ondas Telefone” e descobrem que conseguem enviar mensagem para o passado com seus celulares, quando o micro-ondas estiver ligado. Essas mensagens são apelidadas de “D-Mail”.

A partir desse ponto, eles começam a fazer experimentos com os D-Mails, alterando o passado e ao mesmo tempo o futuro. Nisso eles conhecem uma cientista jovem chamada Makise Kurisu, que ajuda eles a entender tudo isso de viagem no tempo. Eles acabam se envolvendo com uma organização, e tudo começa a dar errado.

Não é uma continuação direta

E para começar, Steins;Gate 0 não é uma continuação direta de Steins;Gate. O que acontece é que o “Zero” é uma rota diferente do episódio final do anime de 2011. Em Steins, o Okabe falha em salvar a Kurisu, mas ele não desiste até conseguir. No “Zero”, ele falha em salvá-la, mas desiste. E assim segue a história, em uma rota onde a Kurisu está morta.

O anime começa mostrando os personagens mais velhos e como está a vida de cada um. Nenhum dos membros do laboratório se lembram do tempo que passaram com a Kurisu, já que houve viagem no tempo, e só o Okabe se lembra de todas as linhas do tempo.

“Novas Versões” dos personagens

Falando nele, Okabe Rintarou está diferente do que era antes. Para alegrar a sua melhor amiga, Mayuri, ele incorporava um alter ego chamado Hououin Kyouma, um cientista maluco. Todas suas ações e seu jeito de falar eram exageradas, tudo para ela. Mas após não conseguir salvar a Kurisu, Okabe se fecha, e deixa de lado seu jeito maluco. Aposenta seu jaleco e para de visitar o laboratório onde encontrava seus amigos.

Agora focado na faculdade, Okabe vai em uma palestra de ciências, e os membros são da mesma faculdade que a Kurisu estudou. Lá, ele descobre que essas pessoas, professor Leskinen e a estudante Hiyajou Maho, desenvolveram um programa chamado “Amadeus”, que continha muitas pesquisas que a própria Kurisu fez na época em que estava viva.

Amadeus é uma Inteligência Artificial, um aplicativo que consegue armazenar memórias, pensamentos, tudo de uma pessoa. Na versão de teste, Leskinen e Hiyajou utilizam a Kurisu, ou seja, há uma versão dela dentro do aplicativo. Ela consegue interagir com as pessoas, possui memórias da verdadeira, só que só até o momento em que ela esteve nos Estados Unidos. Ela não se lembra do Okabe porque viajou para o Japão depois, e seus colegas não tinham acesso as memórias dela na época em que esteve lá, pouco antes de falecer.

Surpreso com isso, Okabe tenta saber mais, e nisso conhece tanto o professor como a aluna, e o chamam para ser um usuário teste, já que ele conhecia a Kurisu. Após ter o aplicativo no celular, Okabe tem que lidar com o fato de ter sua falecida amada em uma versão 2D no celular. A primeira parte do anime é focada nessa interação dele com a Amadeus, e ele conhecendo mais os colegas da Kurisu e mais sobre ela também.

Amadeus é tão fiel à Kurisu verdadeira, que interagir com ela é algo muito doloroso. Tanto para Okabe, quanto para quem está assistindo ao anime, e se apegou à personagem. Nessa temporada vemos uma nova versão de dois personagens importantes no anime.

Primeiro o Okabe, que no Steins;Gate era bem mais alegre e com esperanças. No Zero ele se mostra não ser esse cara, estando sempre triste e sério, até estranhando no começo. Seu humor se reflete muito em suas vestimentas, que antes era aquele jaleco branco, e agora são roupas sociais pretas, o que demonstra seu luto.

E a segunda é a Mayuri, amiga de Okabe. Ela é sempre animada, fofa, e se preocupa com todos. Mas no “Zero” dá para ver como ela está triste de ver seu amigo deprimido o tempo todo. Mesmo sem dizer, conseguimos perceber a angústia dela, e agora fica mais claro que ela sente um amor bem amor que amizade, algo que não ficou tão claro no S;G.

steins gate 0
Steins;Gate Zero (Imagem Divulgação)

Novos personagens

O “Zero” também aprofunda a história do Daru, amigo de Okabe, conhecendo sua futura esposa, já citada antes no S;G, e desenvolvendo seu relacionamento com ela, e com sua filha também, Suzuha, que veio do futuro.

Os novos personagens são interessantes e bem trabalhados. A Hiyajou tem mais foco que o professor, já que participa de várias reuniões entre os membros do laboratório. No anime todo há uma tentativa de forçar uma relação mais próxima entre ela e o Okabe, mas sou suspeita para falar, já que a Kurisu é minha waifu.

Eu nunca joguei as novels, mas me incomodei com umas duas cenas de fanservice, que não sei se elas se originam dos jogos ou não. Mas, independentemente da situação, acredito que tenha ficado forçado e sem graça.

Por mais que tenha mudado o diretor, eu senti muito do primeiro S;G nesse. Foi bem fiel, como se o Kawamura tivesse estudado o primeiro anime de ponta a ponta, já que conseguiu reproduzir muito bem a atmosfera e a personalidade dos personagens. É um medo de muitos fãs, quando seu anime favorito retorna depois de anos. Mas com isso os fãs de Steins não precisam se preocupar.

Mesma estrutura de trama

Steins;Gate 0 segue a mesma estrutura do outro: uma primeira parte mais lenta de introdução, e a segunda parte mais agitada, quando acontece toda a ação, e as reviravoltas. E sim, podem esperar as reviravoltas malucas de S;G que no “Zero” isso também acontece, um de seus pontos fortes.

Vamos conversar sobre a parte técnica agora. A animação está ótima como sempre. Como não é um anime de muita ação com lutas, a animação continua estável durante todos os episódios. E o design dos personagens está muito bom também, dando para ver claramente o amadurecimento de cada um.

A Itou Kanako retornou no Steins;Gate 0 cantando a abertura do anime todo e o encerramento, chamado “Amadeus”, no primeiro episódio. A música da vez foi a “Fátima”, e tem a assinatura registrada da cantora. As músicas dela deixam muito claro que são dela realmente, sem dúvidas.

O encerramento até o episódio 13 é cantado pela Zwei e se chama “Last Game”. É uma música bem melancólica, combinando bem com a temática da primeira parte do anime. E do episódio 14 até o 23, o encerramento ficou por conta da Imai Asami, com a música “World Line”, que é uma música mais agitada, que vai de encontro com a segunda metade do anime.

Para quem nunca assistiu Steins;Gate!

Como informei no primeiro gole desse anime, é interessante, para quem nunca assistiu a Steins;Gate e esteja interessado no “Zero”, assistir ao primeiro anime e a um episódio especial chamado “Kyoukaimenjou no Missing Link – Divide By Zero” que dá início aos acontecimentos do “Zero”.

Porque vai entender bem mais coisas nesse novo anime, e pegar mais referências, além de não ficar perdido na história. Mesmo que não seja uma sequência do final, é um outro tipo de sequência. E o final do anime vai fazer muito mais sentido, e será muito mais emocionante caso já conheça o Steins;Gate anterior.

Mesmo sete anos depois, Steins;Gate 0 não decepciona. Quem é fã do anime, pode assistir sem medo, já que tudo o que tem no primeiro, tem no segundo, além de ter cenas emocionantes que se relacionam muito com a história original.

Agora, para quem não gostou do primeiro anime, pode acabar não gostando desse também, pois segue a mesma linha, mas ainda acredito que valha a pena dar uma chance ao “Zero”.

REVIEW
Steins;Gate 0
Artigo anteriorKARD faz show grandioso em São Paulo
Próximo artigoDr. Stone disponível pela Panini este mês!
Nanossauro
Sou aquela pessoa que gosta de ouvir uma música clássica seguida de uma abertura de anime. Que adora finais tristes, e histórias bizarras que ninguém entende. Que joga videogame desde sempre e nunca fica boa. A pessoa que tem dificuldade para falar de si mesma, e demorou quase quatro meses para escrever só 55 palavras.