Anúncio

Lápis Re: LiGHTs (2020) – animação do projeto multimídia entre Kadokawa, KLab Games e Yokohama Animation Lab – combina fantasia, música e ídolos femininos e que estreou nesta Temporada de Verão 2020.

É com a combinação desses três elementos que conhecemos o dia-a-dia da aprendiza de bruxa, Tiara e seu ingresso na Academia Feminina Flora. Ao lado de Rosetta, Lynette, Lavie e Ashley, as cinco formam uma das unidades (unity como em grupos de ídolos) da turma Lápis – ranking mais baixo da academia tendo como superiores Noir e Rouge.

A fantasia em Lápis Re: LiGHTs assume o papel crucial no enredo, por exemplo, a cena de Tiara assoviando para uma flor murcha e dando-lhe vitalidade, a pequena excursão escolar acompanhada de Rossetta e a trilha sonora típica de animações do gênero, contudo, é na cena em que Tiara tem um vislumbre da cidade com vista do topo que os elementos fantasia e música se combinam com harmonia.

Dos dois elementos citados – fantasia e música –, Lápis Re: LiGHTs sustenta a combinação, mesmo apresentando com sutileza o terceiro item que talvez ganhe mais força com os próximos episódios, quanto a parte técnica, o designer dos personagens nas mãos de Taro Ikegami (Gamers!) e a composição musical de Satoshi Hono (Aggretsuko) reforçam o todo da animação.

Lápis Re: LiGHTs traz primeiro episódio onde nota-se o empenho da staff em criar o equilíbrio entre os três elementos apresentados, tendo como resultado cenas encantadoras que valem os quase 24 minutos de animação. Apesar de se tratar de um projeto multimídia que reúne três empresas e que evidentemente visa à animação como parte do marketing, é difícil não querer acompanhar, embora o enredo não agrade a todos.

Em resumo, vale a pena conferir o desenrolar dessa história que apresenta fantasia, música e ídolos femininos.