Anúncio

Imagine que você está em uma área residencial no Japão, quando dá 5h da tarde e uma música estranha e alta começa a tocar. O que seria isso? Um tipo de sinal de alguma escola? Sinal de alguma fábrica? Alguém em um carro com som alto? Esse último certamente não. Mas se você já foi para o Japão alguma vez e já se perguntou o que é essa música, eu vou explicar. Ela pode soar bonitinha, ou até meio estranha e macabra, mas ela toca todos os dias por um bom motivo. Veja o vídeo abaixo:

Essa música é conhecida como a Goji no Chaimu (Canção das 17h), ou, de forma oficial, Shichouson Bousai Gyousei Musen (Rede da Rádio Municipal de Comunicação sobre Desastres). Só pelo nome você já deve sabe para que isso serve, é um sistema de alto-falantes espalhados pelos bairros, uma rede de alerta. Bom, se você ouvir essa música estranha ao entardecer, você tem sorte porque isso quer dizer que não tem nenhum desastre acontecendo.

Essa rede de comunicação serve para alertar seus residentes no caso de alguma emergência. O alerta é emitido especialmente em caso de tsunamis e para dar informações sobre terremotos. Alguns sistemas também estão programados para informar sobre clima severo, incêndios, atuação de pessoas suspeitas no local, presença de animais perigosos na região ou, simplesmente, anúncios sobre eventos ou atividades da comunidade. Geralmente, a música toca pela manhã ou no final da noite.

Mas, apesar de todas as suas utilizações importantes, o que você ouve diariamente é a tal da música das 17h. É uma versão instrumental de Yuyaku Koyake, uma canção japonesa infantil de 1919. Essa música é usada para verificações de segurança diárias para ter certeza que o equipamento está funcionando corretamente. Além disso, serve para lembrar as crianças que a hora de brincar acabou e que elas devem voltar para casa antes que fique escuro.

O horário varia de acordo com a estação do ano e o local, mas a canção geralmente toca entre as 16h e 18h. Além disso, alguns lugares podem ter músicas diferentes.

Leia também: Curiosidades sobre o Coronavírus no Japão