Anúncio

Uma franquia que passou por maus bocados no último reboot vê novos horizontes, e como diz o nome do filme, porque não ir mais além? Ghostbusters: Mais Além não só respeita o clássico como engrandece o universo dos Caça Fantasmas. Nos faz sonhar com uma sequência, é lindo e emocionante que escala para risos e choros, elevando o patamar do que era para ser um filme simples, se tornou um dos melhores filmes do ano. Se você é fã dos filmes clássicos, a emoção é multiplicada – chamar de obra prima é chover no molhado.

A Sony Pictures está de parabéns aqui. Usou Paul Rudd como um grande artifício de marketing, não pode aparecer na mídia que fatalmente o vincularão com o Homem Formiga, e assim foi feito, aparentando ser o protagonista, consegue ser um bom personagem. Contudo, está longe de protagonizar alguma coisa, quase a nível esquecível se não fosse a tentativa de montar um romance com Callie (Carrie Coon), a qual funcionou, mas para quem esperava Rudd protagonista, foi enganado por mais um trailer!

E já que falamos sobre Rudd, vamos falar do elenco que é algo precioso aqui. Nada foi melhor no filme do que Podcast (Logan Kim) e Phoebe (Mckenna Grace), diria a dublagem brasileira “uma dupla do barulho”, enquanto todos os mistérios e acontecimentos fantasmagóricos estavam sendo desvendados por eles, o cômico tomava conta para aliviar cada momento tenso a qual não trazia um grande impacto, mas as piadas constroem muito mais em cena e tornam ela mais marcante ao filme.

ghostbusters mais além
Imagem Divulgação

O melhor é que Podcast não funciona só como alívio cômico, ele é peça fundamental para muitas coisas no filme, porém não consegue roubar a cena por causa de Phoebe que é a cabeça de tudo. Mesmo sendo os melhores personagens em tela, não tiraram espaço de outros como Trevor (Finn Wolfhard), fazendo o típico adolescente tentando ser popular, mas é um tremendo esquisito; por sinal, esse garoto vai longe, uma das maiores revelações nos últimos tempos do cinema.

Para bom fã velho de Ghostbusters, os easter eggs e fanservices estão na dosagem certa, seja momentos de trama mais arrastada ou até um possível furo de roteiro, foi entregue aqui referências maravilhosas que tocam nossos corações. Nada ficou gratuito, talvez a cena pos-crédito possa ser entendida assim, mas se não dessem um cliffhanger para uma possível sequência, depois do que foi assistido, eu estaria sendo maluco em falar que não gostaria de uma sequência.

ghostbusters mais além
Imagem Divulgação

Para o público que não conhece Ghostbusters, podem ficar tranquilos, aqui não temos um filme só para velhos, a trama é nível sessão da tarde, a história têm seu peso emocional e cômico bem balanceado, plot twists bem feitos e vilões grandiosos o suficiente para se mostrar ameaçadores, mesmo que a trama ainda passe por alguns momentos de obviedade. O conjunto da obra te prende e te cativa com um ótimo filme e tudo porque colocaram na mão daqueles que respeitam a franquia Ghostbusters. Pai e filho Reitman fez jus ao peso de suas carreiras, mesmo sendo muito subestimados pelo público e inclusive pela mídia, Jason Reitman tem sua história na carreira de roteirista com Juno e até The Office, Ghostbusters é o primeiro filme na sua carreira em que ele foi diretor, e provou ser gigante ao lado do pai, Ivan Reitman, o diretor dos clássicos filmes dos Caça Fantasmas.

Anúncio

Ghostbusters: Mais Além não só respeita a clássica franquia, como mostra o quão grandiosa já foi um dia. Flertando com uma sequência a qual estamos hypados, pegando a todos os públicos e principalmente emocionando os fãs da franquia, certeza que teremos um grande sucesso de bilheteria, e quem sabe construir mais fãs dos maiores caçadores de fantasmas da cidade.

Anúncio