Após o atentado terrorista ocorrido na data de 11 de Setembro de 2001, as forças especiais dos EUA começam uma missão em território inimigo para atingir a Al-Qaeda.

Com isso as forças especiais se unem com Dostum (Navid Negahban), general da Aliança do Norte para cumprir essa missão, mas antes disso eles precisam vencer uma outra batalha, a desconfiança.

Os 12 Heróis retrata um acontecimento real que foi marcado como o golpe mais letal que a Al-Qaeda levou, perfeitamente dramatizada no que pode se chamar de mais um clichê de guerra nos cinemas.

12 Heróis
Michael Peña em 12 Heróis (Imagem Divulgação)

Trama e Drama

A história flui facilmente, sem nada complexo para se prestar atenção e nem prender também, literalmente usando aquele perfil de trama de guerra que já deve ter sido visto em inúmeros filmes de guerra.

Apesar de ser um marco importante da história, não tira a velha monotonia desses filmes, alguns ainda conseguem ter algo a mais e conseguem te prender na trama, o que não acontece com 12 Heróis.

Um roteiro que retrata a história poderia ser facilmente escrito para prender o público, e esse filme é tão raso que não chega a ser atrativo, as situações de perigo não conseguem te impressionar – é tão suavizado que deixa muito claro o “felizes para sempre” dos problemas vividos.

Se é para pegar um marco histórico dos EUA e dramatizar, que pelo menos façam algo que marque pelo que será visto em tela e não só por causa da história, pois as pessoas do mundo sentiram a dor do 11 de Setembro, mas não gostam do fato de que guerra se combate com guerra, bem descartável, talvez o livro do filme deva ser mais interessante que o filme. O que não seria um absurdo.

12 Heróis
Chris Hemsworth em 12 Heróis (Imagem Divulgação)

O Grande Destaque

O grande destaque do filme é a desconfiança entre soldados dos EUA e os afegãos que faziam parte da resistência contra a Al-Qaeda, o general feito por Navid Negahban rouba a cena como o líder dos afegãos que aparenta ser um revolucionário em prol a luta contra o terrorismo, mas que na verdade têm seus motivos pessoais.

Outro personagem interessante é o comandante das forças armadas, vivido por Chris Hemsworth que mostra toda essa incerteza, pois ele sabe dos motivos pessoais e só começa a confiar quando a coisa aperta.

Aliás esse é o maior marco desse filme. O elenco foi fantástico, por ser uma trama muito rasa a ponto de parecer chata, o elenco faz o filme andar tranquilamente, não só os principais, mas os antagonistas Michael Peña, Trevante Rhodes e Michael Shannon são uma mistura de alívio cômico e situações de drama e heroísmo perfeitas, pode-se dizer que esses atores salvaram o filme.

12 Heróis
12 Heróis (Imagem Divulgação)

A Cavalaria Chegou! 

Esses militares lutaram contra as forças da Al-Qaeda montada em cavalos, e um soldado montado em um cavalo foi colocada no local do atentado como forma de homenagem aos militares que atingiram uma das principais forças da Al-Qaeda.

A homenagem é bonita, o filme não é uma grande obra, mas cumpre o papel de mostrar a história e assustar com o poder de fogo que têm a força terrorista.

Talvez 12 Heróis funcionaria como documentário, pois um marco desse ficará na história e será lembrada para sempre pelos norte americanos, e pelo mundo.

REVIEW
12 Heróis
Artigo anteriorLittle Witch Academia: Chamber of Time chega em 15 de maio nas Américas
Próximo artigoCom Amor, Simon | Review
Baraldi
Editor, escritor, gamer e cinéfilo, aquele que troca sombra e água fresca por Netflix e x-burger. De boísta total sobre filmes e quadrinhos, pois nerd que é nerd, não recusa filme ruim. Vida longa e próspera e que a força esteja com vocês.