Anúncio

Fala galera! À convite da editora e desenvolvedora miHoYo (Genshin Impact), participamos do último Closed Beta de Tears of Themis, um Otome Game que une Raciocínio Amoroso e Tribunal!

Com enfoque em relacionamento e resolução de casos, o jogo se passa na cidade fictícia de Stellis e por ali temos a presença de quatro personagens masculinos principais: Luke Pearce, Marius von Hagen, Vyn Richter e Arten Wing. Ainda sem data de lançamento, o game chegará para dispositivos móveis, tanto iOS como Android. Sem delongas, vamos conhecer um pouco do game!

Lei de Themis

Com uma longa apresentação em sua introdução, beirando os 10 minutos onde são explicados os principais conceitos do jogo, adentramos no mundo da advocacia, mais especificamente em Themis Law, o escritório de advocacia e cerne de nossa história.

Por meio de interrogatórios e exame de peças/locais, ganhamos experiência e nos dá mais liberdade para conduzir os casos da cidade, fazendo que nos sintamos como uma grande justiceira local. Por sinal, o nome da minha personagem é Juliette.

Em meio a tudo isso, temos uma mescla de gênero, característica da miHoYo. Enquanto em Genshin Impact o Gacha invade o Mundo Aberto, por aqui temos algo como Ace Attorney vivendo um Otome Game, dividindo o “harem” em quatro estereótipos em forma de personagens.

Apesar dos clichês narrativos e muito bem explorados nas animações japonesas, temos uma profundidade em diálogos, bem como nas histórias individuais que combinados com a personalidade, faça com que o jogador tenha um apreço em criar um vínculo romântico.

Anúncio
Imagem Divulgação

Construindo Histórias e Conexões

Para este beta fechado tínhamos acesso a três idiomas, sendo eles Chinês, Japonês e Coreano. O que fiquei pensando é de que por se tratar de um produto relativamente mais simples que um Genshin Impact para a dublagem, poderia ser interessante a editora trazer uma dublagem Português-Brasileiro – quem sabe?

Ainda com relação as atuações, a miHoYo sabe muito bem trabalhar com as vozes, e no meu caso, escolhi a japonesa (pra variar um pouco kkk), e bem, não perde em nada para as Visual Novels mais parrudas que existem no mercado.

Na parte do “play”, a experiência é promissora e já temos um game bem polido, mesmo ainda sem uma data de lançamento revelada. Não está claro em como a história se desenrolará e se ficará apenas com os 4 meninões – esperamos que não – mas é certo que o game vem com força total para o nicho em que está focando. Um potencial sucesso, novamente.

E quanto ao sistema de debate? No jogo temos três tipos de cartas (wisdom, empathy e logic), onde com ela podemos trocar figurinhas com o juiz, nos ajudando na prosa e na resolução de um caso. Não entendi muito bem como funciona colecioná-las, mas ao fazer missões diárias e outros achievements, temos a possibilidade de conseguir cards variados para nos auxiliar durante a jogatina.

Imagem Divulgação

Conceito artístico deslumbrante

Seguindo a clássica linha dos otome game, temos o estilo artístico “Anime”, o mesmo de Honkai e Genshin, e que mais uma vez surpreende por sua qualidade gráfica e efeitos especiais, mesmo que em imagens estáticas. O destaque fica por conta do design dos quatro figurões, Artem, Luke, Marius e Vyn, com inúmeras figuras e animações que deixam o jogo rico; isso vale para o visual dos cenários e do background, que se assimilam e muito ao universo dos animes.

Para finalizar com mais um elogio, Tears of Themis também traz uma ótima trilha sonora, agora pautada em um clima de mistério e investigação, mudando o tom mais orquestral épico de Genshin Impact, o que não tira seu brilho, de fato.

Contras? Sinceramente, não achei nenhum. A minha consideração é de que caso você não esteja no nicho dos otome games, é bem provável que Tears of Themis não deva te agradar, mesmo que goste de jogos de tribunais. De resto, é um game com ótimo visual e roteiro intrigante, ponto forte da miHoYo em prender o jogador em sua história/universo. Sucesso na certa!

SITE OFICIAL

Anúncio