Já pensou se você, um nerd rejeitado por te acharem “estranho”, tivesse a oportunidade de mudar de lugar, se tornar o garoto mais descolado da escola, ou no caso uma garota, sempre o centro das atenções, ser o desejo amoroso dos menininhos, causar inveja nas menininhas e vice versa.

Uma questão que já foi pensada por muitos, roteirizada milhões de vezes, principalmente pelo Brasil, agora retorna em um filme teen que assusta com a previsibilidade do roteiro, o padrão humorístico escrachado, a fórmula teen de sempre, mas quebra o clichê de filme teen com clichê de filme cult, conquistando o público em uma história emocionante e acertando no ponto certo de divertimento. Este é Socorro, Virei Uma Garota!

Um Filme Teen?

O problema de filme teen é que você já têm uma ideia do que será a trama, piadas velhas que são acompanhadas de trilhas de desenho animado, agregados a uma história parecida com inúmeros filmes nacionais, fazendo dele algo ignorado por uma boa parte da população, mesmo dentro dos padrões teen, assistir a um filme desse gênero chega a ser exaustivo por assistir a obviedade, piadas e excesso de referências (memes) comprova que a fórmula do sucesso nacional está desgastada.

O típico blockbuster brasileiro tenta se diferenciar de uma produção a outra com poucos elementos, mas não só em trabalho de edição como de roteiro, coloca todos eles no memorial das comédias nacionais, um limbo cultural que todos os países possuem quando o assunto é cinema.

Socorro, Virei uma Garota é mais um filme teen, mas que pode ser abraçado por seu público alvo por trazer alguns elementos já conhecidos no dia a dia, a superficialidade desse filme esconde o pouco de profundeza que o roteiro mostra em tela, o adolescente alvo de bullying por ser nerd, otaku e/ou mais inteligente que os descolados, o desprezo do pai paralelo a ausência da mãe, se junta ao foco principal do filme e mistura com a mudança de realidade, dando lugar a garota descolada que é mal falada pela escola inteira por ser “rodada”, além de ser esnobe e arrogante, sendo que por trás de toda essa máscara social, existe uma garota insegura, superficial e talvez depressiva.

Isso é ofuscado pelo humor escrachado, contudo é perceptível alguns desses pontos por causa do padrão teen do filme, você começa a procurar algo a mais naquele roteiro, no fim você encontra pontos positivos que agregam a experiência de assisti-lo, entretanto não salva o filme da mesmice saturada.

Plot Surpreendente

Um filme teen ser rotulado de desastre é um pré conceito adotado pela ignorância daqueles já cansados por filmes nacionais e sua fórmula básica de humor da TV aberta, muitos desses filmes ainda conseguem conquistar a poucos, e uma minoria dessas produções ainda surpreendem com seus plots, Socorro, Virei uma Garota está nessa lista, aqueles pontos que se destacam além da história coloca uma carga emocional maior nas escolhas da protagonista e faz com que ela se divida entre as duas realidades, voltar a sua vida comum de garoto, ou viver como uma garota e estar além do “normal”.

Mas isso não é referente a ser popular, mas sim sair daquela vida triste de ser exilado pelos colegas de escola e uma família problemática, estar em um tempo paralelo melhor que o seu, de certa forma mais feliz e positivo em todos os aspectos, inclusive a garota que você gosta ser sua amiga, acontecer uma troca de interesse sexual da personagem, fazendo dela lésbica pelo fato de, no fundo, ele ser um garoto, colocando o público em dúvida, pois o final clichê já não é mais certeza, e percebe-se que a escolha da protagonista se coloca em debate na sua cabeça, pois não importava qual tempo paralelo ela ficaria, faria sentido para a trama, sair da caixinha de filme teen seria ousado, porém compreendido pelo público alvo, se manter no final clichê só justifica o padrão do gênero, mas todos os acontecimentos vividos e mudados pela protagonista agregam na maturidade da mesma quando retorna para o corpo do garoto.

Nisso, ela coloca uma, ou talvez duas lições de vida, primeiro ser grato ao que você têm, e a outra é fazer a diferença em um ambiente que você sabe que é problemático, no caso a falta de empatia, isso se mostra uma surpresa dentro do clichê assistido em tela, como dito antes, não salva o clichê, mas acerta em um belo blockbuster, se colocando acima de muitas produções antigas do cinema nacional, provando que pode-se trabalhar novos conceitos em histórias repetidas.

Uma ótima recomendação da Comédia Nacional

Por mais surpreendente e positivo que tenha sido Socorro, Virei uma Garota, provável que baterá no problema de ignorância das pessoas por filmes nacionais, contudo é quase que certeza que esse blockbuster passará na TV aberta e será aclamado pelo público, como aconteceu recentemente com Os Farofeiros.

Ou seja, que se dane assistir no cinema, assistir em streaming pirata e TV aberta sai mais barato, aí balanceia com o preço exacerbado dos ingressos de cinema e de produções milionárias hollywoodianas, aí é mal do Brasil, mas ainda sim é um filme que vale o ingresso e é diversão para toda a família com um filme simples e tocante do cinema nacional.

REVIEW
Socorro, Virei Uma Garota!
Artigo anteriorMakoto Tezuka (Macoto Tezka) | Suco Entrevista
Próximo artigoOur Boys | Primeiro Gole
Baraldi
Editor, escritor, gamer e cinéfilo, aquele que troca sombra e água fresca por Netflix e x-burger. De boísta total sobre filmes e quadrinhos, pois nerd que é nerd, não recusa filme ruim. Vida longa e próspera e que a força esteja com vocês.