Em Outubro de 2014, o DADAROMA fazia um anúncio simples: Temos algumas músicas e vamos dar início as nossas atividades oficialmente em um oneman live dia 11 de Janeiro de 2015.

Na época, os membros que formam a banda DADAROMA já tinham alguma experiência. O vocalista Yoshiatsu cresceu em uma família musical e já tinha aparecido em 2009 como guitarrista do Since1889 (também vale a pena conferir), o baixista Tomo também já tinha dado as caras como membro suporte de bandas como ReViel, Medi@lize, e como membro oficial do LucaRia e SUPERBOYS entre 2008 e 2014. Os outros membros Takashi (guitarra) e Yusuke (bateria) eram de uma banda chamada NAINE (na época se apresentavam como SHIKI e JOL, respectivamente) entre 2013 e 2014.

Posteriormente o baterista Yusuke saiu da banda (em 2018) e quem assumiu o seu lugar foi Ryohei, que fazia parte do THE BLACK SWAN desde 2014.

Esse anúncio, apesar de simples, foi um tanto quanto estrondoso na época. Muitas pessoas que já acompanhavam o Yoshiatsu no Crazy★shampoo, sua banda anterior, ficaram animadas com o anúncio que veio acompanhado do clipe mais popular da banda: 溺れる魚(oboreru sakana)!

Oboreru Sakana passa de 1 milhão de visitas no canal da banda no YouTube!

O hype que cercava o MV de 溺れる魚(oboreru sakana) não era em vão, não dá pra não dizer que a letra é impactante e a melodia faz qualquer um que curta rock querer dar uma balançadinha na cabeça!

Essa música veio em um single como faixa-título acompanhada de mais 2 músicas (que foram disponibilizadas gratuitamente no canal deles no YouYube) e depois como faixa principal do Dadaism#1 que foi lançado oficialmente em Fevereiro de 2015.

Os bons e os maus remédios

Com quase 5 anos de banda, o DDRM já teve alguns altos e baixos. Em nível de popularidade, a banda começou muito bem com o Dadaism#1 e se manteve forte com o ame no WALTZ (雨のWALTZ) em 2015, e, por mais estranhamento que tenha causado por conta de seus elementos psicodélicos, até mesmo o lançamento de yume TARAREBA (夢タラレバ) em 2016 ainda era bem cotado entre os fãs. Nesse período também aconteceu o lançamento de zouka to KALASHNIKOV (造花とカラシニコフ) que é de longe o CD predileto dessa que vos fala.

O fato é que, com o aumento da popularidade também houve o aumento das críticas, notáveis em 2017 com os lançamentos do Dadaism#3 e Pornograph. Houve quem se incomodou com os elementos mais simples e “pop” que foram incluídos nas músicas a partir dessa época, as letras ficaram mais simples e muita gente não gostou.

Zouka to KALASHNIKOV (Comportamento, relações humanas, e a guerra)

DADAROMA canta majoritariamente sobre as relações entre as pessoas, criticam os poderosos, os hipócritas, os apaixonados possessivos, os mentirosos (que mentem para os outros, e pra si mesmos). Um pouco fora da curva temos Zouka to KALASHNIKOV, uma “narrativa” ambientada na guerra, revezando a perspectiva entre uma vida comum, de uma pessoa despreocupada, brincando com outro alguém em um campo de girassóis, e a vida durante a guerra, as explosões, as mortes e o sofrimento. Citando um verso da própria música: é a história de homens que devoram homens.

Breve hiato

O hiato que muitos pensaram ser o fim do DADAROMA durou apenas alguns meses. Em Agosto de 2018 foi anunciado que o baterista Yusuke sairia da banda por motivos de saúde que o impediam de continuar com as atividades na música, a banda então, declarou pausa nas atividades.

Somente 3 meses depois, em Outubro, anunciaram que voltariam as atividades com um novo baterista, o Ryohei, que era do THE BLACK SWAN (na época se apresentava como Len) e o quarto CD da série DADAISM#.

A banda no Visual Kei

DADAROMA é uma banda de rock que costuma fazer um som mais próximo do metalcore, adepta ao visual kei. No geral, os visuais vem como expressão individual de cada membro, não necessariamente como grupo, Yoshiatsu já disse algumas vezes que gosta de fazer visuais usando da estética dos palhaços porque se sente exatamente como um: alguém cujo trabalho é satisfazer os outros com sua arte. Tomo já mencionou que seus visuais são formas de exteriorizar personagens e ideias que o atraem pessoalmente.

Até 2019 a banda já lançou 6 álbuns e 10 singles, tem muita música e vários estilos pra explorar!