Trazendo o que pode ser chamado de uma das melhores versões do cabeça de teia nos quadrinhos, um novo Homem-Aranha é apresentado, e para muitos, pode substituir o velho Peter Parker que está em nossos corações eternamente.

Nas telas de cinema de forma impecável em traços e simplista em roteiro, Homem Aranha: No Aranhaverso é uma mistura de referências aos HQs, divertido igual a um desenho animado e mostra uma maravilhosidade colorida e alegre de uma história sem profundidade e surpresas.

Peni (Kimiko Glen), Spider-Gwen (Hailee Steinfeld), Spider-Ham (John Mulaney), Miles Morales (Shameik Moore), Peter Parker (Jake Johnson), Spider-Man Noir (Nicolas Cage) em Homem-Aranha: No Aranhaverso

Miles Morales: seja bem vindo! 

Seja bem vindo Miles Morales, o novo homem aranha, originado do bairro do Brooklyn, retorna aquele apego ao personagem por suas questões mais humildes e de classe média-baixa, algo que se perdeu a muito tempo, pois Peter Parker estava casado, famoso e todos já sabiam que ele era o homem aranha – respeitável mas descaracterizou demais o herói. Com Miles Morales, a máscara do cabeça de teia está em excelentes mãos.

O filme retrata exatamente essa passagem do manto, mas de forma indireta, pois o arco do universo de Miles Morales o direcionou para ser o novo homem aranha, enquanto no outro universo ainda temos Parker, porém em um arco desastroso, como no quadrinho, o mesmo se divorciou de Mary Jane, e com outros acontecimentos, temos um homem aranha de personalidade quebrada e depressiva, se juntando a outras versões icônicas, como o homem aranha Noir, a linda Spider-Gwen, Peni Parker com o traje de SP//dr e Pork-Ham, o porco aranha.

Juntos precisam enfrentar o Rei do Crime e voltar para seus respectivos universos, uma história simplista demais, literalmente um desenho animado que é muito divertido e quase infantilizado, ele é maravilhoso, mas rotular o filme de bobo não é um exagero, ainda sim não tira o brilho do filme.

Miles Morales em Homem-Aranha: No Aranhaverso

Muitas Cores! 

Se alguém acha que os filmes do MCU são bem coloridos, terá uma visão diferente ao assistir Homem Aranha: No Aranhaverso, rico em cores e maravilhoso em trilhas sonoras, conquista ao público com o carisma de cada personagem, isso inclui todas as versões do cabeça de teia apresentados em tela.

Para bom fã do universo de heróis, estará satisfeito com tudo, mas para bom leitor de quadrinho, é com certeza um prato cheio de uma suculenta adaptação das HQs, com uma porção de referências maravilhosas e uma pitada de genialidade gráfica que te faz amar cada ponto desse filme, consegue aceitar o roteiro de desenho animado e se já não era bom o suficiente, a cena pós crédito faz uma referência genial e hilária conhecida de forma unânime pelo mundo.

Apesar de Peter Parker ser amado, algo deve ser destacado: houve um tempo em que a DC Comics matou seu universo e do zero o recomeçou, conhecido como os Novos 52. Nas últimas semanas, a Marvel pretende fazer o mesmo caminho, e isso deve ser o início de uma nova era, os personagens mais conhecidos estão eternizados, e uma nova história é sempre bem vinda, se ela for bem apresentada claro, como o retorno de Cassandra Cain, a batgirl na DC Comics, vestindo o manto do cavaleiro das trevas e assumindo seu lugar, isso vale para a X-23 no lugar do Wolverine, deixando de lado aquela coisa horrorosa do seu filho.

Miles Morales está no mesmo caminho, não só no quadrinho, mas nesse filme, o garoto do Brooklyn honra o manto do cabeça de teia dentro do seu perfil, e é com certeza uma das melhores mudanças dos quadrinhos envolvendo DC Comics e Marvel.

homem-aranha-no-aranhaverso

Simplicidade pode incomodar

A simplicidade de Homem Aranha no Aranhaverso pode incomodar aqueles que queriam algo mais profundo ou no caso melhor desenvolvido, porém também serve para atrair mais público, mesmo assim, tudo assistido é tão lindo e maravilhoso que não é um roteiro raso que estragará o filme.

REVIEW
Homem-Aranha: No Aranhaverso
Artigo anteriorSailor Moon voltará às telinhas brasileiras
Próximo artigo19º Ribeirão Preto Anime Fest | Especial Cosplay
Baraldi
Editor, escritor, gamer e cinéfilo, aquele que troca sombra e água fresca por Netflix e x-burger. De boísta total sobre filmes e quadrinhos, pois nerd que é nerd, não recusa filme ruim. Vida longa e próspera e que a força esteja com vocês.