Anúncio

Em dezembro deste ano, a startup Loading fará sua estreia na TV aberta, TV por assinatura, streaming e em plataformas digitais em um espaço dedicado a universos como cultura pop, séries, games, esports e animes.

No comando desta operação está o CEO Thiago Garcia, ex-líder de consumer insights da Rede Globo, que bateu um papo com a gente e conta desde o processo conceitual do canal até as futuras estratégias de interatividade e imersão com o público jovem. Confira!


Em outras entrevistas e menções ao Loading, é sempre enfatizado que o Loading é uma startup de entretenimento multiplataforma, nesse sentido o que podemos esperar dos aplicativos disponíveis e a abrangência de plataformas? (Apps para Smartv? Mobile? Consoles?)

É um prazer falar com vocês do Suco de Mangá, temos várias ideias bem legais que terão entregas diferentes, primeiro um site com simulcast funcional, depois um aplicativo para celular ( E quem sabe para TV e consoles) e na sequência o Loading Club, uma plataforma freemium com gamificação, onde o usuário vai ganhar por horas de TV assistidas, QR codes escaneados, curtidas, compartilhamentos, indicações aos amigos e muito mais. A nossa ideia é cuidar da jornada do usuário da hora que ele liga a TV, até o momento no ônibus, trem, metrô e quando ele volta para casa, a jornada e a experiência são muito importante para nós.

O conteúdo oferecido parece ser bem abrangente e vai de séries de tv a animes, Tokusatsus e até dramas asiáticos, além de uma programação própria voltada para games. Sobre o conteúdo não brasileiro, ele será exibido dublado ou apenas legendado? Como isso se alinha com a estratégia desenvolvida para atingir o público que depende da tv aberta para ter acesso ao conteúdo?

95% do conteúdo será dublado, mas teremos uma faixa na programação com um tipo de conteúdo mais adulto que testaremos legendados. Sabemos da importância do conteúdo acessível para o público, tiveram várias pesquisas mostrando o aumento do público nos cinemas a medida que a quantidade de filmes dublados aumentaram, não podemos negligenciar esses números. E a nossa programação própria também será bem variada, teremos o Multiverso programa de cultura pop mais ocidental, Metagaming programa de e-Sports, e o Mais Geek voltado para cultura pop oriental, e ainda temos mais conteúdo para anunciar.

Existe algo de exclusivo? Algum anime ou série que não está ou esteve em exibição em tv aberta, fechada ou serviços de streaming antes? É possível que exista algum conteúdo exclusivo só para o streaming do loading que não chegará no canal ou o contrário?

Sim, sim e sim =)

O fim do ano se mostra cheio de novidades dentro do streaming, desde o Disney+, Funimation e PlutoTV, sem falar os outros que já existem por aí. Qual o grande diferencial da Loading para conseguir a sua fatia nesse mercado e numa época que os olhos do público tem tanto lugar diferente pra olhar?

Paixão e mais conteúdo. Todas essas novidades são incríveis, plataformas de renome, com um vasto conteúdo, com certeza vamos assistir todas, mas o nosso diferencial é a paixão pelo conteúdo, e a paixão para que as pessoas assistam esse conteúdo com a gente. A Loading não nascerá como a casa dos Fandoms só no nome. Queremos que todos venham assistir com a gente e vibrar com cada momento do seu anime, série, game, time ou tokusatsu favorito. E para isso, teremos dentro da nossa programação, mais conteúdos relacionados ao que será exibido na grade da Loading. Ou seja, a experiência não termina assistindo um episódio. Ela continua ao longo da programação e dentro de nossas plataformas com conteúdo extra.

Como vocês se veem nos próximos anos? Existem planos futuros que estão sendo trabalhados desde agora para chegar até ele?

Nossas metas estão exclusivamente ligadas a oferecer o melhor conteúdo possível para nossos fandoms. Esse é o nosso propósito: horas os fandoms e oferecer para todas as pessoas o melhor conteúdo e a melhor experiência de consumo de mídia possível.

Um dos maiores calos das TVs abertas e fechadas aqui no Brasil é a classificação indicativa. Foi por causa dela (e outros fatores somados) que os animes acabaram se tornando raros na TV aberta e também conteúdos de animação para jovens e adultos (como Adult Swim no Cartoon Network, no passado). É possível contornar isso hoje em dia na TV aberta?

É possível. Tiveram algumas mudanças nas regras da classificação indicativa, e também temos algumas estratégias próprias sempre respaldadas pela lei. A Loading vai criar algo diferente, e será muito legal ter todos vocês curtindo e interagindo com a gente.

Vimos que recentemente foi mostrado uma prévia da identidade visual do canal e ela lembra bastante o antigo canal Locomotion. Ele foi uma inspiração para vocês, de alguma maneira? Que outras inspirações tiveram para colocar a ideia do canal, não só visualmente falando, pra frente?

A marca Loading foi criada sem utilizar, ou buscar, referências em outros logos. Foram meses de estudos e pesquisas junto ao público. A criação da persona da marca e construção dos atributos psicológicos e visuais vieram de um extenso processo de design thinking, onde participaram todos os envolvidos na operação, até representantes das comunidades de fandoms. Foi literalmente uma marca criada por fãs para os fãs.

Sobre a inspiração da criação da Loading, vem da convergência de 3 frentes:

A primeira delas é que o grupo Kalunga tinha a concessão do antigo canal da MTV, adquirido em 2014 em leilão público. Logo, existia a infraestrutura para o projeto e principalmente o sinal.

A segunda frente é resultado da expertise do CEO da Loading, Thiago Garcia, ex-líder de consumer insights da Rede Globo e que estudou e estuda o mercado de produção e distribuição de conteúdo há muitos anos. Com o conhecimento técnico do Thiago identificamos uma grande oportunidade no mercado devido o público jovem de espírito estar mal representado nos meios atuais. Ninguém fala com esse jovem com relevância.

E a terceira frente é o amor que todos os profissionais que estão na operação tem por conteúdos relacionados com cultura pop oriental, ocidental, esports e games. A Loading tem como objetivo ser a casa desses conteúdos no Brasil e não existe como você falar com essas comunidades hoje, sem o cuidado com a curadoria e o tratamento de excelência que esses conteúdos merecem.

Essas três frentes: infraestrutura, conhecimento do comportamento do público e o amor que a gente tem pelo conteúdo inspiraram a criação da Loading.

Poderia nos falar um ou dois títulos que estarão na grade de vocês no mês de estreia? 

Um deles já podemos falar: Saint Seiya Lost Canvas. Os 26 episódios. O restante ainda não, pois faz parte da nossa estratégia de lançamento. Mas podemos afirmar que esses conteúdos – cultura pop oriental, ocidental, esports/games – terão um tratamento de excelência e de respeito aos fandoms como nunca tiveram na TV brasileira antes.


A Loading estreia em dezembro, com a proposta de ser a casa das principais comunidades do entretenimento jovem, programação 24/7 multiplataforma, streaming ao vivo, conteúdo on demand sem necessidade de assinatura e transmissão nas redes sociais, TV a cabo e aberta – com a quinta maior cobertura, no canal 32 UHF.