Anúncio

O senador australiano Stirling Griff entrou recentemente com um pedido de revisão de todos os animes e mangás atualmente disponíveis na Austrália.

Durante um discurso no parlamento o político criticou animes como Eromanga Sensei, Goblin Slayer, Sword Art Online e No Game No Life, citando supostas situações em que as obras exibem exploração infantil.

“Crianças de olhos arregalados, geralmente em uniformes escolares, envolvidas em atividades e poses sexuais explícitas, e muitas vezes sendo abusadas sexualmente”, declarou Griff durante o discurso. Além de em dado momento descrever Eromanga-sensei como um programa que ”apresenta fortemente temas de incesto e muitas cenas são tão perturbadoras que eu simplesmente não vou descrevê-las”.

Ele criticou o Conselho Australiano de Classificação por classificar a mídia isoladamente do direito penal. Na Austrália, é ilegal produzir, possuir ou distribuir pornografia ou abuso de material que represente uma pessoa menor de 18 anos.

Em 2008, um juiz da Suprema Corte de Nova Gales do Sul determinou que um desenho animado pornográfico representando personagens de Os Simpsons era sim pornografia infantil. Em contrapartida, no Japão, representações fictícias como animes e mangás não são classificados como pornografia infantil, o que gera um grande debate em todo mundo.

O Senador Griff, que faz parte de uma Aliança de Centro,  irá mover uma ação pedindo urgentemente o banimento de animes e mangás que retratem abuso infantil.