Kingdom Come: Deliverance e seu momento histórico é algo único e bem estudado pelos seus produtores.

Você é Henry, o filho de um renomado ferreiro num pequeno feudo em 1403, na região da Republica Tcheca.

De Fugitivo a Herói?

Kingdom Come: Deliverance envolve você no contexto geopolítico causado pela morte do Imperador Charles IV no reino da Boêmia. Após sua sucessão, o pulso firme que mantinha a ordem se destabiliza.

Dessa forma o reino Húngaro inicia ataques a região e o pobre vilarejo de Henry é atacado, o mesmo foge e consegue alertar o feudo vizinho. Com a sobrevivência em suas mãos, Henry vai em busca dos últimos desejos de seus pais, mortos durante o ataque.

Os primeiros momento de Kingdom Come: Deliverance traz o básico tutorial de como funciona o jogo. Assim como alguns jogos de RPG como Neverwinter Nights, Henry tem atributos e habilidades que evoluem durante o jogo.

Dessa forma com alguns minutos de estudo você tem uma ideia de como conduzir Henry. Você pode transformar ele num soldado, num ladino ou até mesmo um diplomata.

Deus ajuda quem cedo madruga!

Kingdom Come: Deliverance enraíza a realidade, Henry sente fome, cansaço e até mesmo ressaca. Mas pode ser inibido com algumas habilidades que você pode aprender ao logo do jogo.

Dessa forma cada habilidade e atributo compõe uma experiência unica relativa. Se você começar a pegar cogumelos na floresta, sua pericia de herbolário vai ganhando experiencia permitindo coletar outras plantas.

Dentro do herbolário, você tem talentos, como um que aumenta a carisma do personagens se você carregar várias flores. Assim como o atributo de Carisma libera talentos para interação social.

Esse sistema pode tomar horas e horas de jogo para você desenvolver seu personagem. Mas há momentos que Kingdom Come: Deliverance faz um favor e evolui seu personagem.

Vingança, Nobres e Trabalhos

Como de todo bom RPG, você deve completar missões para prosseguir a história. Kingdom Come: Deliverance traz missões principais secundárias e favores a outros NPC’s. Por exemplo, você vai aprender a arte da caça com um nobre, ou a arte de destrancar coisas com fazendeiro.

Além disso o tempo é importante nesse jogo, como você precisa dormir e se alimentar, as missões também o utiliza. Algumas missões só podem ser realizadas durante certo período enquanto outra se você atrasar, você corre o risco de falhar.

Boa parte delas segue um roteiro linear, mas você pode traçar e explorar diálogos para resolver de outra forma. Algumas interações podem ser adicionadas ao personagem com o seu conhecimento. Mas existe alguns problemas como interações com objetos em missões ou uma localização inibida pelo próprio mapa.

Sobre o mapa, é um trabalho muito bem feito pela produção do jogo. com uma grande interação de pontos principais e localidades você pode usar a viagem rápida ara se deslocar. Mas cuidados os mercenários podem estar esperando e te atacar, ou então a viagem te desgastar bastante e perder energia fundamental para um combate.

Na ponta da espada, lama na bota!

E chegamos a parte que se destaca mas para mim é um dos grandes pontos negativos do jogo: o combate. Kingdom Come: Deliverance traz um sistema de combate que para mim é sensacional pois é semelhante ao do For Honor.

Como a câmera do personagem é em primeira pessoa e assim você tem ângulos de ataque. Os mesmos funcionam para a esquiva, a defesa tem um botão de reação que permite você contra atacar.

Porém desde o primeiro momento você tem uma IA dos inimigos alta para um inicio de jogo e mesmo com um tutorial, gasta um tempo desnecessário. Pois como as suas ações dependem da sua barra de energia e sua vida tem relação direta a ela, você pode se dar muito mal.

Conforme você perde vida ou sangra você fica vulnerável a mais e mais ataques, e sua morte é game over! O problema é você retornar a um salvamento automático de muito tempo atrás por ter sido surpreendido por uma emboscada aleatória.

Mas isso é a graça do RPG não? É sim, porém o combate demora para se desenvolver quando se há uma forma honesta de um contra um. Correr da luta é uma possibilidade, a menos que seja obrigatório. Por isso eu estava gastando tempo com habilidades de furtividade.

A mais bela canção da Boêmia

Kingdom Come: Deliverance traz uma única retratação de toda a geografia e botânica da região. Com anos de pesquisa, toda a paisagem é baseada na realidade atual: florestas, montanhas e riachos.

A trilha sonora acompanha os grandes momentos da aventura, nos diversos momentos que Henry pode desfrutar. Em ambientes ou em cenas da história ela traz a profundidade de uma aventura.

Mas como todo mundo aberto há alguns problemas clássicos, como a personificação de personagens secundários e vendedores que muda apenas a roupa. Alguns bugs como personagens atravessando você e paredes ou até mesmo, tentando te bater durante uma conversa de quest principal.

O crime não compensa – bem, até que tava – mas um looping fez que eu fosse interrogados pelo mesmo guarda até eu deixar eu ser preso. Andar de cavalo é uma grande experiencia mas para aqueles que não gostam de primeira pessoa, o galope pode dar umas vertigens.

De uma forma geral, Kingdom Come: Deliverance traz uma aventura ambientada em fatos reais, como um vasto arsenal de opções para você desenvolver o protagonista Henry em sua vingança.

Com o sucesso de jogos em mundo aberto, Kingdom Come: Deliverance deve entrar na sua lista de jogos. Você está preparado para enfrentar os perigos da nobreza e dos mercenários invasores? Disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC (Steam).

SCREENSHOTS

Saiba mais sobre Kingdom Come: Deliverance