A pureza de alguns filmes chega a ser tão acolhedora que faz qualquer um assistir com um sorriso bobo na cara, aparentando estar apaixonado.

Pode parecer besteira, mas é o tipo de filme que beira o cult, porém ele transparece ser muito mais que isso, um filme como Ella e John bate esse sentimento bom e feliz de assistir e te fazer sorrir e chorar a ponto de trazer possíveis reflexões, mesmo não sendo uma certeza já que objetivo do filme é te emocionar apenas.

Ella e John poster
Ella e John (Pôster Divulgação)

Trama bem amarrada

Um roteiro simples o qual não é necessário se afundar na trama, esta que é bem amarrada e apresentada, onde absorve o lado bom e lado ruim da história é bem fácil; uma inocência presente em cena mesmo com os protagonistas sendo bem experientes.

Enquanto Ella quer viver os últimos momentos de vida com seu marido John, ele no entanto também vive grandes momentos, mas que são esquecidos devido há doenças que são causadas quando se envelhece.

No caso do filme, a perda de memória chega a ser um tanto triste e cansativo para Ella, mas que muitas vezes se tornam um momento de afeto ou alívio cômico, é com certeza o marco forte da trama.

Ella e John também chega a cobrir atuações de outros personagens e até algumas cenas que não estão com a presença dessa falta de memória de John, mas que não estraga a experiência, pois você já está apegado ao casal a ponto de apenas se importar com eles, funcionam mais como um alívio de trama para não parecer maçante a história estar apenas em Ella e John.

Ella e John
Ella e John (Imagem Divulgação)

Prendendo o público

Um destaque curioso são essas repetições da doença de John estar bem presente em tela, porque são os mesmos problemas com acontecimentos diferenciados, prendendo o público a todo momento, até o final do filme – que de certa forma poderia ser colocado como triste – mas diante ao roteiro bem amarrado e o foco ser as aventuras vividas desse casal faz com que você absorva positivamente.

Um destaque é a trilha de fundo, alegre, ou seja, não importa a situação de doenças na velhice, e sim que não importa sua idade, apenas viva ela até o último segundo.

A atriz Hellen Mirren e o ator Donald Sutherland, onde fazem Ella e John, respectivamente, são perfeitos juntos e separados a todo instante, uma atuação incontestável, mostram seu carisma e talento que pode ser arriscado dizer, mas se tivesse sido lançado alguns meses antes, poderia gerar uma indicação ao Oscar ou Globo de Ouro para Melhor Atriz, Melhor Ator e até Melhor Filme.

Ella e John (Imagem Divulgação)

Pureza nos sentimentos

O filme Projeto Flórida mostrou uma pureza da vida de uma criança que vive tão perto e ao mesmo tempo tão longe do Magic Kingdom, e Ella e John mostra a mesma pureza, porém com um casal da terceira idade que viaja pelas estradas dos EUA, vivendo uma aventura de cada vez, permanecendo aquele casal apaixonado que os mais amorosos sonham em ter, um amor para toda a vida.

É aquela simplicidade que abraça você fazendo qualquer um abrir e coração e deixar entrar esse sentimento referente as coisas boas da vida, uma lição de moral para muitos que implicam com coisas simples, quando o simples deveria ser a solução.