Como o Atlético Mineiro ganhou a Copa do Brasil

Atletico Mineiro
Imagem Divulgação
Anúncio

2021 foi um ano fantástico para o Atlético Mineiro. Depois de uma dura espera de 50 anos para recuperar o troféu Campeonato Brasileiro Série A, o Galo finalmente conquistou o título de campeão brasileiro – terminando com 13 pontos de vantagem sobre o atual campeão Flamengo no caminho para apenas seu segundo triunfo da Série A em sua rica história.

No entanto, as comemorações não pararam por aí para a apaixonada torcida de Belo Horizonte! O retorno do experiente Cuca, que teve um feitiço de sucesso no Mineirão no início da década de 2010 ao guiar o Galo até a prestigiosa Copa Libertadores, provou ser mais uma vez inspirador.

Pela primeira vez, Mineiro ganhou a dobradinha doméstica – adicionando a Copa do Brasil ao seu armário de troféus logo após garantir a coroa da Série A. Sem surpresas, as comemorações se prolongaram pela noite dentro, mas o mandato de Cuca mais uma vez provou ser de curta duração, pois ele deixou o Mineirão no final do mês passado por motivos pessoais.

Partindo como o gerente mais condecorado da história do Mineiro, vamos dar uma olhada em como ele conduziu o Galo à glória da Copa do Brasil. Continue lendo para saber mais!

Terceira rodada

Entrando na terceira rodada, os Galo foram sorteados para enfrentar os lutadores da Série B, Remo – que acabaram sendo relegados à terceira divisão do futebol brasileiro no final da temporada. Os pesados favoritos para ganhar o empate nos mercados para o jogos de amanhã, gols de Hyoran e Ignacio Fernández no primeiro tempo garantiram uma vitória por 2×0 no Baenão antes que Réver e Hulk cancelassem o ataque de Romércio no Mineirão – terminando com uma confortável vitória por 4×1 no agregado.

Rodada de 16

As oitavas de final proporcionaram a Mineiro uma oposição um pouco mais difícil, já que eles assumiram a Série A da Bahia – que mais tarde sofreu o rebaixamento da primeira divisão. Jogando o primeiro jogo em casa, os gols de Matías Zaracho e Hulk deram ao Galo uma vantagem de dois gols rumo ao segundo jogo no Estádio Joia da Princesa. Rossi e Juninho Capixaba empataram com a Bahia no segundo jogo, marcando no primeiro tempo, mas Eduardo Vargas balançou as redes aos 62 minutos do segundo tempo para mandar o Mineiro passar com uma vitória apertada por 3×2 no placar agregado.

Anúncio

Quartas de final

Contra seus oponentes mais duros ainda nas últimas oito, havia pouco para separar o Fluminense e o Mineiro nas probabilidades da Betfair. Viajando para o Estádio Olímpico Nilton Santos no Rio para o primeiro jogo, Fernández abriu o placar para o Galo no início do primeiro tempo, mas seu gol foi cancelado por um pênalti de Fred poucos minutos antes do intervalo. No entanto, Hulk disparou de volta para Mineiro na frente antes do intervalo, encontrando o fundo do placar três minutos antes do intervalo. Um pênalti de Hulk foi tudo o que separou os dois lados em Belo Horizonte, já que o Galo venceu por 3-1 no placar agregado.

Semifinal

Contra Fortaleza, que terminou em quarto lugar na Série A, nas semifinais, Mineiro fez uma de suas atuações mais dominantes até hoje – goleando o Rei Leão do Brasil por 4-0 no Mineirão graças aos gols de Guilherme Arana, Réver, Hulk e Zaracho. Os gols de Diego Costa e Hulk ampliaram sua vantagem para seis na partida fora de casa com Romarinho ensacando nada mais do que um consolo no último minuto.

Final

Em circunstâncias similares à vitória nas quatro finais, o Galo bateu os companheiros finalistas Athletico Paranaense por 4-0 na primeira etapa em casa – Hulk, Keno e um duplo de Vargas infligindo os danos. Mais uma vez fazendo 2 a 0 na Arena da Baixada em Curitiba, graças a mais gols de Hulk e Keno, o Mineiro já tinha as mãos no troféu apesar de um gol tardio de Jáderson – o que pouco afetou o placar.

Anúncio