Inteligente e com humor astuto, Fleabag conta a história de uma jovem adulta britânica precisando lidar com seus traumas e um luto recente. Escrito, dirigido e interpretado pela aclamada Phoebe Waller-Bridge, esta série transpassa o comum e transforma sua protagonista melhor amiga do público.

Durante a 71º edição do Emmy, esta série levou 6 dos principais prêmios para casa, chamando a atenção até mesmo daqueles que ainda não deram uma chance para a produção. Com uma média de 92 pontos de aprovação no Rotten Tomatoes, é difícil encontrar alguém que não tinha gostado de nenhum aspecto de Fleabag.

1Quebra da quarta parede e ligação com o telespectador

Fleabag Imagem 1
Imagem Divulgação

A quebra da quarta parede pode não ser um conceito novo, uma vez que já vivemos isso em outras séries de comédia como The Office, Modern Family e Parks and Rec. Porém, o que a produção consegue realizar em Fleabag é, de fato, inovador.

Com uma personagem principal que recusa a buscar ajuda e que se vê sozinha o tempo todo após a perda de sua melhor amiga, nós, do outro lado da tela, nos tornamos confidentes e em certo ponto não encontramos mais diferenciação entre realidade e ficção, nos sentindo totalmente absorvidos na realidade de Fleabag.

2Phoebe Waller-Bridge

Fleabag imagem 2
Imagem Divulgação

Atriz, escritora e dramaturga britânica, Phoebe é um tesouro da atualidade. Com grandes direções em andamento como Killing Eve (protagonizada pela Sandra Oh), a artista foi responsável pelo roteiro, produção executiva e também deu vida a personagem principal Fleabag.

Sua versatilidade nas frentes da câmera é algo que cativou o publico. Trazendo um respiro para o gênero de comédia, Waller-bridge consegue montar, em roteiros curtos, historias densas e profundas.

3Relações reais

Fleabag imagem 3
Imagem Divulgação

Diferente de muitos relacionamentos roteirizados para TV, Fleabag mostra e constrói os relacionamentos de seus personagens de forma humana, retratando cada núcleo com muita verdade.  Relações conturbadas entre pai e filha, madrastas que não são – nem de longe – um ponto afetivo, o conturbado e verdadeiro cuidado entre relacionamentos entre irmãs, e principalmente ao mostrar a dinâmica da amizade de Fleabag com sua melhor amiga são pontos que transformam as difíceis relações em algo relacionável ao público ao final da 2 temporada e transforma o luto da personagem principal ainda mais real.

O ponto alto da ultima temporada se faz entre o relacionamento de Fleabag e o Hot Priest, interpretado brilhantemente por Andrew Scott, a química entre os dois personagens e a forma em que a direção muda a dinâmica da série a partir da introdução do padre, faz com que a série se torne ainda mais digna da nossa atenção.

4Personagens secundários

Por mais que Phobe Waller-Bridge seja extremamente talentosa, os atores secundários não perdem o brilho. Com personagens icônicos e traços extremamente bem escritos, personagens como a Madrasta (Olivia Colman) e o Gerente do Banco (Hugh Dennis) recebem destaque na trama.  Clair, (Sian Clifford) irmã de Fleabag, possui um dos arcos mais interessantes da série, mostrando outras faces da realidade da mulher moderna, tendo um casamento tóxico, um emprego melhor do que seu marido e o dilema do divórcio e de um novo amor.

5Rápida e Hilária

Fleabag Imagem 4
Imagem Divulgação

Com apenas duas temporadas e episódios com menos de 30 minutos, Fleabag é sucinta e possui uma dinâmica rápida sem deixar de lado o humor ácido britânico, transformando as situações do dia a dia e as interações com o publico em algo extremamente cômico.

ASSISTA AGORA NA AMAZON PRIME