O Lamen com Suco é uma degustação das obras que estão no portal de webmangás nacionais, o Lamen. A primeira que apresentamos para vocês é SUPER, de Douglas MCT (Roteiro) e Fabiano Ferreira (Arte). Um aviso é de que spoilers podem aparecer. Outro aviso é de que, quando sair sobre um novo capítulo, é interessante ter o “pré-requisito” de ter lido os anteriores. Lembrando que você poder ler SUPER gratuitamente por aqui.

Sinopse: O garoto Edrik Everton sempre sonhou em se tornar um super-herói. Depois de passar por uma grande reviravolta na vida, ele faz de tudo para ingressar na Excelsior, uma escola onde ele poderá estudar e treinar para se tornar um SUPER, fazendo muitos amigos e inimigos pelo caminho.

lamen-logo

#1 – Quero Ser Herói

No protagonismo de SUPER, temos Edrik e suas aventuras no morro da Cidade Maravilhosa (seria o Rio de Janeiro da “Terra 2”). O garoto de 13 anos tem um senso de justiça latente e sempre que pode, tenta proteger quem está em apuros. Edrik também tem uma paixão por super-heróis e bem, ele é um garoto nerd. Gosta de gibis, figures e junto com seu ideal de sempre fazer o bem, ele sonha em ser um SUPER.

Na história também temos o mentor da trama, Benito. Ele é dono de uma padaria, a mesma em que Edrik trabalha entregando pão na comunidade. Enquanto Edrik – por ser uma criança/adolescente – pouco sabe dos perigos da humanidade, Benito é aquele cara que dá o Ás da verdade e conselhos para o jovem garoto.

SUPER
Primeira versão da capa de SUPER.

Do outro lado, temos o chefão do tráfico Colar de Tripa e seu irmãozinho Neco. Enquanto o primeiro revela ser o vilão da série (ou pelo menos o primeiro), o segundo – e que aparenta ser da mesma idade de Edrik – tem potencial em ser um anti-herói e rival do protagonista de SUPER.

De modo geral, a trama de SUPER começa super bem neste primeiro capítulo. Creio que você que goste de Dragon Ball , Hunter x Hunter e o mais recente One Punch Man, tem de tudo para se identificar por aqui. Na verdade, a cereja do bolo é quanto a localização, bem como a já citada Cidade Maravilhosa, mas também com diversos fatos que ocorrem ou que ficamos sabendo no cotidiano do brasileiro. Podemos SIM dizer que, SUPER é uma obra genuinamente brasileira, em todos os aspectos.

Na questão técnica, SUPER é direto e com janelas fechadinhas; Destaque para o diálogo entre Edrik e Benito com relação a responsabilidade de um super-herói. Na arte, Fabiano Ferreira dá um “quê exótico” em seu traço, sinceramente, até posso dizer único. Ainda estou curioso para ver como ficam as personagens femininas em seu traço (mesmo já tendo uma palhinha neste primeiro capítulo).

O Tempero

Como já citado acima, a localização que Douglas MCT e Fabiano Ferreira dão na obra é a cereja do bolo em SUPER. O que posso citar é quanto a questão social de quem vive no morro (ou favela) em pagar uma espécie de tributos ao chefão do tráfico, no caso aqui o Colar de Tripa. A questão da opressão policial em cima de menores também é também retratada, quando Edrik consegue recuperar a bolsa de uma velhinha roubada e ao devolver, é acusado de ladrão pelo policial.

Ah, outra coisa: Ao terminar de ler o primeiro capítulo, você será terá uma vontade intensa de ler o segundo. Sério! 😛 

SUPER capa

 

LINKS

Leia LAMEN
Facebook do SUPER