Hey~ Dears!

Tudo bem? Nada bem? Indo de mal a pior?

Pois seus problemas acabaram!

…ou só começaram na verdade.

Mas, calma. Deixando de lado essa introdução maluca (juro que tentei!) e falando um pouquinho sério. Vou me apresentar e a ideia do quadro para ver o que vocês acham, ok? Guentem aí que não vai ser muito longo.

Well, podem me chamar de Tia Megu ou só Megu mesmo. Acrescentei o “tia” ali porque – acho que vocês irão reparar – tenho uma alma meio de velha. Digo no sentido de “antepassada”, “ultrapassada”, como preferirem – até porque tem um monte de velhinha (o) com um pique bem mais novo e jovial que eu. E esse é um nick que já uso há um tempinho, então achei mais fácil manter para criarmos uma intimidade, coisa que vamos precisar daqui pra frente.

“Eu, hein. O que essa louca tá querendo? ”, você se pergunta.

Calma, pequeno gafanhoto. Tudo a seu tempo.

Vim aqui com um humilde propósito: ajudar vocês. Ou tentar, pelo menos rs

Mais interação! 

De verdade, pedi pro Boss B (vulgo #BELLAN) se poderia criar um quadro pra interagir mais com os leitores do site. E eis que ele me deu um “ok, vamos tentar” com um olhar suspeito. Logo, a continuidade daqui irá depender quase que unicamente de vocês – e só as vezes do meu humorzinho, que parece uma entidade que não me pertence.

Ah, sim. Ignorem que nem sou melodramática e sarcástica, ok?

Continuando, o projeto “Bem me quer, mal não quer” não é um quadro de amores não-correspondidos (se bem que também pode ser, cof). A ideia é ir partilhando minha sabedoria divina (-sqn) e fazer matérias com base em temas que vocês sugiram. Dúvidas, questões, desabafos, problemas, amores-não correspondidos, senpais rs. O enfoque é a vida de vocês e de todos os seus nakamas nessa jornada chamada ‘vida’.

E quem sou eu pra dar pitaco nas questões alheia? Eis os motivos que acho que me dão crédito um pouquinho:

  • sou otaku/nerd que nem vocês (ou a maioria);
  • sou meio old school então creio que tenho uma boa base pras coisas (rs);
  • sou chata (e porque isso é válido? porque as vezes precisamos ouvir umas poucas e boas, ter alguém pra puxar a orelha);
  • sou (ou tento ser) o mais imparcial possível (claro, que precisamos nos posicionar, mas o que quero expressar aqui é que evito ter preconceitos, dos mais diversos);
  • enfatizando: sou bem mente aberta;
  • sou uma pessoinha azarada pra caramba (ou seja, tenho certa experiência em desgraça e passar vergonha alheia);
  • e o meu intuito principal é: ajudar vocês!

Claro, de vez em quando pode parecer só uma opinião de uma estranha ou intrometida e tals. Entretanto, queria mesmo que com o tempo pudessem me ver como uma amiga, uma confidente, ou mesmo, uma veterana em desventuras por esse estranho mundo afora.

No mas, espero que possamos nos conhecer melhor com o tempo.

O ‘Bem me quer, mal não quer’ vai ser um espaço de reflexão construído em conjunto com vocês.

Vamos participar?

Eis que, gostaria de pedir temas/situações/questões/problemas/desabafos para as matérias. Deixem seus comentários aqui em baixo, no post do face ou no twitter com a hashtag #bemmequermalnquer (nuss, parece palavrão) ou #BMQMNQ (e agora parece nome de banda de kpop :v).

E é isso por hoje, suckitos!

Deixem suas observações e sugestões, que serão muito bem-vindas!

Kissus da tia Megu

Ps: Não se preocupem que manteremos o sigilo, ok? Não vamos sair divulgando nomes por aí. Confiança em primeiro lugar ;]

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFairy Tail: Dragon Cry | Primeiro trailer é revelado
Próximo artigoBTOOOM! pode ter segunda temporada
Megu

Pessoinha feliz que as vezes está de mal humor, mas é um doce com os outros. (Educação em primeiro lugar, claro u-u) É um tanto atrapalhada e azarada – “um tanto” = multiplique a porção que você pensou por 100, é mais ou menos isso. Nem sarcástica. Também nem é irônica. Em suma, um amor de ser humano.