Para você que gosta muito ou se interessa pela cultura da terra do sol nascente e mora em São Paulo/SP (ou vai passar por lá, quem sabe), ou que simplesmente quer dar umas voltas, conhecer algo novo, mas está sem muitos dinheiros, confira estas dicas de lugares felizes de se visitar:

Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

  • SITE OFICIAL
  • Onde: Rua São Joaquim nº 381 – 7º, 8º e 9º andar (MAPA)
  • Quanto: R$ 5 (estudantes com carteirinha, crianças de 5 a 11 anos, idosos a partir de 60 anos) e R$ 10 (adultos)
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 13h30min às 17h00min.

Neste museu você pode conhecer toda a história da imigração japonesa no Brasil, o contexto histórico de cada etapa, mergulhar na vida daqueles que, na esperança de um futuro melhor, deixaram suas casas para viajar dias e dias dentro de um navio e cultivar terras brasileiras.

Há uma réplica do Kasato Maru, o histórico navio que trouxe a primeira leva de japoneses em 1908, uma reprodução de uma casa de imigrante e os objetos que continham normalmente, vestimentas da época, milhares de fotos, arquivos oficiais, textos explicativos, permitindo uma viagem completa até os dias atuais. O acervo está distribuído em três andares, começando no 7º e terminando no 9º andar. O ingresso vale para a visita completa.

Pavilhão Japonês 

  • SITE OFICIAL
  • Onde: Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, Portão 3 e 10 (MAPA)
  • Quanto: R$ 6,00 – adulto, R$ 3,00 – Crianças de 5 a 12 anos, estudantes e idosos de 60 a 65 anos. Idosos acima de 65 anos, entrada gratuita.
  • Horário de funcionamento: Quarta-feira, sábado, domingo e feriado, das 10h às 12h e das 13h às 17h.

Aqui você poderá visualizar a arquitetura japonesa em vários aspectos: na estrutura de blocos de madeira encaixados sem utilização de pregos para sustentar a construção, no jardim zen, na piscina de carpas de variadas combinações de cores (sinta-se em Magikarp Jump, mas com todos os tipos de “estampas” de uma vez só e sem fazê-los pular, apenas comer), e nas exposições, que vão desde bonsais a objetos que contam um pouco da história e da cultura do Japão.

A administração do Pavilhão é feita pelo Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social e você pode acompanhar aos vários eventos (muitos deles com entrada gratuita) na PÁGINA NO FACEBOOK.

JAPAN HOUSE

  • SITE OFICIAL
  • Onde: Avenida Paulista nº 52 (MAPA)
  • Quanto: Entrada gratuita
  • Horário de funcionamento: de terça-feira a sábado das 10h às 22h, domingos e feriados das 10h às 18h.

O mais recente e provavelmente o mais frequentado centro da cultura japonesa em São Paulo nos últimos meses, a Japan House é uma iniciativa do governo japonês para ser o ponto de difusão dos vários elementos do país, unindo o tradicional com o moderno.

A nossa JH foi a primeira a ser inaugurada (os próximos serão em Londres e em Los Angeles) e em menos de dois meses de funcionamento, já ofereceu vários cursos, workshops e palestras – muitos deles gratuitos, além de exposições. Ao que tudo indica, esse ritmo será mantido e se não quiser perder oportunidades muito interessantes, fique de olho (no site ou na página do Facebook).

O local conta também com uma biblioteca, um auditório (onde acontecem parte dos eventos), uma cafeteria com doces tão bonitos que dá dó de comer, um restaurante sob o comando do prestigiado chef Jun Sakamoto e lojas de produtos tipicamente japoneses.

Fundação Japão – Biblioteca

  • SITE OFICIAL
  • Onde: Avenida Paulista nº 52 – 3º andar (MAPA)
  • Quanto: Entrada gratuita
  • Horário de funcionamento: de terça-feira à sexta-feira, das 10h30min às 19h30min e aos sábados das 10h30min às 18h30min.

Esta biblioteca é ótima para aqueles que estão estudando o Japão, seja o idioma, a cultura tradicional, a moderna, a história, a imigração… O acervo conta com materiais bibliográficos, didáticos, todos os tipos de livros, jornais, revistas, vários CDs, DVDs, VHS (sim), mangás em japonês e em português, um espaço para desfrutar de tudo isso e ainda possibilita cadastro para fazer empréstimos – apenas preste atenção e siga as regras, para mantermos o bom funcionamento e as condições dos materiais!

Atrações da Liberdade

  • Onde: Bairro da Liberdade (MAPA)
  • Quanto: Gratuito (enquanto você não se render às inúmeras lojas e barracas de comida)
  • Horário de funcionamento: Variado.

Para quem conhece São Paulo, esta indicação é bem óbvia, mas é indispensável. O bairro é a marca da cultura asiática na cidade, misturando japoneses, chineses, coreanos, taiwaneses, cada um mostrando um pouquinho de sua cultura seja nas comidas, nos produtos vendidos ou nas conversas em seus próprios idiomas que acabamos escutando durante um passeio por lá.

Suas principais ruas são decoradas com postes em formato de lanternas japonesas e é lá que acontecem diversos festivais de apreciação gratuita, como as comemorações do Ano Novo Chinês (geralmente no primeiro final de semana de fevereiro) e o Tanabata Matsuri ou Festival das Estrelas, que acontece no final de semana mais próximo do sétimo dia do sétimo mês, sujeito a alterações conforme agendas de eventos, autorizações, enfim.

A Praça da Liberdade ainda costuma ser ponto de encontro dos famigerados otakus, dos cosplayers e dos adoradores da cultura oriental. Nos finais de semana, tem a feirinha com boas opções de comida (nem sempre as mais baratas, porém muito saborosas) como takoyaki, tempurá, okonomiyaki, pastel, espetinhos, raspadinha, felicidade em forma de alimento… O porém é que sempre tem uma multidão, então, se você for do tipo que não aguenta andar sendo (muito) atropelado, sugiro ir de manhãzinha ou no final da tarde. Mas vá, pelo menos uma vez na vida. Ou algumas.

Como a ideia é sugerir coisas baratas, deixo as recomendações de coisas legais para ver e provavelmente comprar para um próximo post!